quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Mais burros que Dilma


Eu sei o que Dilma Rousseff cochichou com Raúl Castro em Cuba.

Traduzo livremente do dilmês.

DILMA ROUSSEFF

Ocê acredita, Raulzito, que, no Brasil, o povão e a zelite ainda acham que eu lutava por democracia nos anos 1960/70?

Que ainda culpam os militares por terem impedido o nosso sonho?

Que ainda creem que a nossa “luta” começou por causa do "golpe" deles, e não que o "golpe" deles se deu em 1964 – com apoio do Congresso e de toda a opinião pública – para conter a nossa “luta”, que vinha desde 1961, com atentados, sequestros e bombas, tudo devidamente acobertado pelo presidente João Goulart?

Que ainda ignoram a nossa fonte cubana de inspiração e financiamento?

Que, mais ainda, claro, ignoram que a reação militar brasileira foi a menos violenta e sanguinária jamais havida no mundo a uma revolução comunista?

Que ainda igualam o período militar à ditadura castrista, como se a morte de 424 pessoas – a maioria armada, em combate –, durante o processo de contenção de um movimento revolucionário que, em 1935, já havia matado mais de 500 pessoas em apenas uma semana de levante, fosse tão grave quanto a morte de 100.000 dissidentes e reféns do seu regime, Raulzito?

Que, apesar disso e das mais de 120 vítimas feitas pelo "nosso lado", ainda julgam o período militar muito pior – e mais assassino – do que teria sido um governo socialista nos moldes cubanos?

Que ainda julgam o período militar muito pior – e mais assassino – do que o período petista, que está agora, comigo, no terceiro mandato, permitindo 50.000 assassinatos por ano no país?

Que, mesmo assim, quando queremos denegrir a imagem dos nossos adversários políticos e/ou conservar as ilegalidades que nos interessam politicamente, basta demonizar a polícia militar das regiões governadas por eles, inventando uma porção de casos de truculência para requentar assim a mentira oficial de que sempre lutamos heroicamente contra qualquer ditadura?

Ocê acredita, Raulzito, que, se, em nome dos direitos humanos, eu igualar os prisioneiros políticos desta ilha aos terroristas sob custódia americana em Guantánamo, nenhum jornalista brasileiro notará a diferença?

Que eu posso me fazer de vítima da tortura militar no Brasil e, ao mesmo tempo, viajar até aqui para abraçar o companheiro cujo hobbie era amarrar prisioneiros em árvores, preparando-os para o fuzilamento?



Que o povo e a zelite jamais entenderão que a única diferença entre a esquerda brasileira e os irmãos Castro é que vocês vendam os olhos dos prisioneiros para fuzilá-los, enquanto nós, hoje, podemos deixar a população de olhos bem abertos porque nossos “intelectuais militantes” já passaram 40 anos fuzilando seus neurônios?

Ocê acredita, afinal, Raulzito, que, depois de tanto esforço de infiltração institucional e manipulação ideológica, conseguimos alcançar o incrível resultado de deixar os brasileiros muito, mas muito mais burros do que eu!?

RAÚL CASTRO

Hihihihihihi...

DILMA ROUSSEFF

Do que é que você está rindo, Raulzito?

RAÚL CASTRO

Hihihihihi...

DILMA ROUSSEFF

Ok, ocê pode rir. Todo velhinho sorridente, mesmo que homicida, parece um amor de pessoa... Vamos tirar uma foto? 



2 comentários: