terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

O UFC petista

 
Dilma, Raúl Castro e Jaques Wagner em Cuba: só alegria

O governador Jaques Wagner abandonou a Bahia
num caos de segurança pública
e foi a Cuba com a presidente Dilma Rousseff.
É o primeiro mandamento do PT:
"Amar a Fidel sobre todas as coisas".
(03/02/2012 - aqui)

Se você achava o UFC (ou a Faixa de Gaza) o máximo da loucura humana, espere só até conhecer o Carnaval de Salvador sem PM.

Sugiro que o governador Jaques "Pego de Surpresa" Wagner, do Partido "Sempre Pego de Surpresa" dos Trabalhadores, saia sem seguranças na "pipoca" do Camaleão de domingo, para mostrar ao Brasil que está tudo sob controle, apesar dos mais de 100 homicídios desde o começo da greve.

[E tem que cantar: "Eu quero uma latinha/ transbordando você". Senão, não vale.]

Reinaldo Azevedo já mostrou no site da revista Veja que Jaques Wagner estimulava a farra da PM quando era da oposição em 1991/92 (hoje, chama os grevistas de "bandidos"). Mas isto não é apenas o retrato do modo petista de fazer política, apoiando tudo que denigra a imagem de um governo adversário. Isto é o feitiço agindo contra o feiticeiro de rabo preso.

Entre todos os freios morais que o PT removeu de vez do ambiente cultural brasileiro, um dos mais graves foi aquele que impediria a polícia de deixar a população a mercê da bandidagem, mesmo em caso de reivindicação por melhores salários. E o partido - imagine! - ainda quer o desarmamento civil...

Os policiais militares que hoje praticam abertamente o terrorismo estadual - em nome do bem, claro... - tiveram ótimos professores de motim: Jaques Wagner, José Dirceu, Lula, toda a ala de micareteiros da moralidade nacional, sempre protegida pela imprensa cordeira (com duplo sentido, para quem entende de folia baiana).

Às vésperas da mais nova contribuição do petismo à cultura, o Ultimate Fighting Carnival (já cobiçado, inclusive, pelas polícias de outros estados), ainda há no entanto alguma esperança: se a única agonia relevante para um petista é o desgaste político, e se o carnaval é a razão de ser da Bahia, é provável que tudo se resolva até lá.

******

Nota de rodapé: Se você está na dúvida entre vender ou não abadás e camarotes do Carnaval de Salvador, fica a dica: exija do PT a devolução do seu dinheiro; ou, quem sabe, uma viagem a Cuba.

******

Pós-escrito de 08/02 no facebook: A grande imprensa não vai dizer que a PM da Bahia - liderada pelo arruaceiro profissional e multiestadual Marcos Prisco - aprendeu a fazer greve com o governador Jaques Wagner e a cúpula do PT (como escrevi ontem)? Que foi patrocinada por eles em 2001, com a doação, segundo Prisco, de mais de R$ 3 mil, além da colocação de veículos à disposição dos policiais? O Jornal Nacional, que conversou com Prisco, achou relevante noticiar apenas sua opinião sobre gratificações e revogações de prisão, sem nem uma palavra sobre ele ter feito campanha para a primeira eleição de Wagner, a quem chama agora de "traidor"? Não vai sequer confrontar Wagner com seu próprio discurso de 1992 incitando a desobediência policial ao então governador adversário? Vai ficar, em suma, mostrando as versões de cada lado do imbróglio, sem jamais ligar os pontos e apontar causas ou, ao menos, contradições? E você ainda se informa pela grande imprensa? Ainda assiste à TV? Cuidado: assim você acaba mais perdido que os partidos de oposição no Brasil.

Pós-escrito 2: Num país em que a PM faz greve, toda campanha de desarmamento civil é um convite ao suicídio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário