quarta-feira, 28 de março de 2012

Poeminha pro Millôr

[Publicado originalmente no facebook - aqui.]

Morreu Millôr
Morreu a síntese
Sinta-se órfão
Da brevidade.

Morreu Millôr
Morreu a sátira
Riso da pátria
Sem piedade.

Morreu Millôr
Morreram clássicos
Shakespeare, Brecht
Pobres de bis.

Morreu Millôr
Morreu a crítica
Crítico estado
Fica o país.

Morreu Millôr
Morreu a crônica
Texto corrido
Nunca cansado.

Morreu Millôr
Morreu a fábula
(E o frescobol
Já censurado...).

Morreu Millôr
Morreu a máxima
Perde o Brasil
O rei do adágio.

Morreu Millôr
Morreu inédito
O original
Do nosso plágio.

sábado, 24 de março de 2012

Chico Anysio, o ator

[Publicado originalmente no facebook - aqui.]

Nunca achei Chico Anysio engraçado. Não, pelo menos, na TV.

Chico criou personagens e bordões inesquecíveis, frutos de seu talento como ator, capaz de reproduzir em caricatura (vocal, inclusive) os mais diversos tipos populares que seu também notável poder de observação lhe oferecia. Isto, sem dúvida, me despertava alguma empatia; mas dificilmente uma gargalhada. Dificilmente, também, aquele sorriso contínuo e sereno de quem reconhece a comicidade sutil de uma situação real bem retratada.

Revejo hoje seus quadros, e não tenho dúvidas: lá estão personagens marcantes, tentando compensar com seus trejeitos um texto que nunca lhes chega à altura. Talvez por isso, aliás, sejam ainda tão marcantes. Os personagens de Chico sempre sobressaíram mais que suas piadas. Eu me lembro bem do Jovem, do Coalhada, do Bento Carneiro, e de seus bordões, mas de nenhum quadro específico de qualquer um deles. Não vou mencionar o mais famoso, o Professor Raimundo (um tipo tão bem interpretado quanto sem graça), porque este servia apenas de trampolim para a piada alheia. Mas o Chico autor e seus roteiristas nunca alcançaram em conteúdo - ainda que popular; ainda que televisivo - a qualidade do Chico ator e de sua galeria de tipos.

Quem o viu recentemente no cinema, seja atuando (em "Se eu fosse você 2") ou dando seu testemunho histórico (no documentário sobre Wilson Simonal), pode ter uma dimensão um pouquinho melhor do seu talento interpretativo e de seu poder de observação, tanto mais divertidos quanto mais explorados em situações fictícias ou reais de maior consistência.

O Brasil não perdeu um "mestre do humor". Perdeu foi um mestre da interpretação e da criação de personagens, além de um bom contador de histórias. Mas é tão raro no país um ator criativo, polivalente, trabalhador, generoso, inteligente e com senso de humor apurado que até ele mesmo se acreditou, em termos cômicos e autorais, um exemplo de humorista.

sexta-feira, 16 de março de 2012

A Igreja e o Exército

[Publiquei originalmente os 2 posts abaixo no facebook - aqui e aqui]

1)

“Em Deus eu não acredito, não. Mas na Igreja, sim.”

Isto é Diogo Mainardi, em mais uma síntese brilhante para a posteridade.


Está tudo aí, em apenas 10 palavrinhas: a tolerância, o discernimento, a honestidade intelectual, o senso de humor.

Ninguém precisa acreditar em Deus para reconhecer o conjunto de valores éticos, morais e culturais do cristianismo, que definiram o mundo ocidental.

Ninguém precisa acreditar em Deus para querer que seus filhos tenham acesso a toda a herança artística e filosófica da Igreja Católica.

Ninguém precisa acreditar em Deus para repudiar a retirada de símbolos cristãos de locais públicos em nome do "laicismo".

Ninguém precisa acreditar em Deus para não se deixar levar pela caricatura e pelas falsificações históricas que os inimigos da Igreja fazem dela.

Ninguém precisa acreditar em Deus para saber que a descristianização da sociedade, da educação, da mídia e da cultura está diretamente relacionada ao aumento da violência, da crueldade, do egoísmo e da insensibilidade.

Não. Ninguém precisa acreditar em Deus para saber das coisas.

É preciso, no entanto, ter um desejo que os devotos do Santo Senso Comum, os fanáticos de Nosso Senhor dos Automatismos Mentais, os apóstolos de São Feicebuquiano dos Reflexos Condicionados, os crentes de Nossa Senhora da Imprensa Esquerdista não têm; e fazer com ele algo que essa gente é incapaz de fazer.

Para saber das coisas, afinal, é preciso ter desejo de conhecimento - e estudar.

2)

Este texto - que eu gostaria de ter escrito - presta o devido tributo àqueles que estão sempre dispostos a nos proteger, seja qual for a condição, apesar de toda a campanha de desmoralização que sofrem daqueles que não fazem outra coisa senão nos enganar. Não é à toa que o Exército e a Igreja são os alvos permanentes da máquina petista de mentiras. A lealdade e a moralidade resultantes da educação militar e cristã são eternos obstáculos a quem depende da frouxidão alheia para usurpar o poder.

*****

A PF não quer ir pra fronteira porque a diária é pouca? Chamem os milicos.
A PM não quer subir o morro porque é perigoso? Chamem os milicos.
A PM faz greve porque o salário é baixo? Chamem os milicos.
A Anvisa não quer inspecionar gado no campo? Chamem os milicos.
O Ibama não dá conta de fiscalizar os desmatamentos? Chamem os milicos.
Os corruptos ganham milhões e não constroem as estradas? Chamem os milicos.
As chuvas destroem cidades? Chamem os milicos.
Caiu avião no mar ou na selva? Chamem os milicos.
Em caso de calamidades públicas, a Defesa Civil não resolve? Chamem os milicos.
Desabrigados? Chamem os milicos.
A dengue ataca? Chamem os milicos.
O Carnaval, o Ano Novo ou qualquer festa tem pouca segurança? Chamem os milicos.
Certeza de eleições livres? Chamem os milicos.
Presidentes, primeiros-ministros e visitantes importantes de outros países? Chamem os milicos.

Adicional noturno? Não temos!
Periculosidade? Não temos!
Escalas de 24 por 72 horas? Não temos!
Hora extra, PIS, PASEP? Não temos!
Residência fixa? Não temos!
Certeza de descanso no fim de semana? Não temos!
Salário adequado? Não temos!

Acatar todas as ordens para fazer tudo isso e muito mais, ficando longe de nossas famílias, chama-se respeito à hierarquia.
Aceitar tudo isso porque amamos o que fazemos chama-se disciplina.
Quer conhecer alguém que ama o Brasil acima de tudo? Chame um milico!

* [Nota: a autoria do texto ainda é desconhecida.]


*****

Felipe Moura Brasil no facebook - AQUI.
Adicione este quebrador de nozes mentais.


quinta-feira, 8 de março de 2012

Mulheres que merecem homenagem

(Mais um texto que repercutiu no facebook)

A todas as (2 ou 3) mulheres que:

1. Sabem o preço dos seus desejos, tanto ou mais que o preço de seus blushes.
(E que, portanto, correm atrás do que lhes falta para ficar à altura do homem com quem sonham.)

2. Não apelam ao choro para conseguir o que só o esforço solitário pode alcançar.
(O sucesso de uma relação depende da qualidade das partes, não da piedade de uma delas.)

3. Não confundem o afeto das "miguxas" (e da mamãe) com a capacidade delas de ajudar a evoluir.
(Educar-se é, também, buscar o conhecimento que o meio social imediato é incapaz de oferecer.)

4. Não colocam nos outros a culpa de viver entre namoros sufocantes e pegação despudorada.
(As escolhas erradas vêm quase sempre do pavor de enfrentar as dificuldades das certas.)

5. Não desperdiçam novos pretendentes em nome do "respeito" ao ex-namorado.
(Ex nao é filho; e quem não termina na prática o que já terminou em teoria só tem um nome: enrolona.)

6. Não abandonam o corpo em nome do trabalho, nem o trabalho em nome do corpo.
(Poucas coisas são mais deprimentes do que a preguiça travestida de falta de tempo.)

7. Não estão dispostas a morrer, emburrecer ou embarangar só para dizer que "curtiram a vida".
(Quem precisa ser feliz a todo instante nunca superou medos profundos. A serenidade é a felicidade dos sábios.)

8. Não deixam as pressões profissionais lhes roubarem a graça da molecagem.
(As atividades artísticas e esportivas são eternas fontes para a jovialidade e, claro, a sedução...)

9. Acalentam projetos pessoais mais elevados do que ser a estrela da noite e do facebook.
(Quem se envaidece com o assédio dos trogloditas, o "curtir" dos masturbadores e o "que linda!" das miguxas é tchutchuca.)

10. Procuram um homem que seja um exemplo para seus filhos.
(Porque, bem ou mal, queiram ou não, é o que ele será.)

A todas essas mulheres, repito, os meus sinceros parabéns pelo dia de hoje.

Vocês merecem!