quarta-feira, 28 de março de 2012

Poeminha pro Millôr

[Publicado originalmente no facebook - aqui.]

Morreu Millôr
Morreu a síntese
Sinta-se órfão
Da brevidade.

Morreu Millôr
Morreu a sátira
Riso da pátria
Sem piedade.

Morreu Millôr
Morreram clássicos
Shakespeare, Brecht
Pobres de bis.

Morreu Millôr
Morreu a crítica
Crítico estado
Fica o país.

Morreu Millôr
Morreu a crônica
Texto corrido
Nunca cansado.

Morreu Millôr
Morreu a fábula
(E o frescobol
Já censurado...).

Morreu Millôr
Morreu a máxima
Perde o Brasil
O rei do adágio.

Morreu Millôr
Morreu inédito
O original
Do nosso plágio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário