quinta-feira, 26 de abril de 2012

A jovem beldade

[Publicado originalmente no facebook - aqui.]

- Qual é o seu sonho, filha?
- Ser bonita.
- Mas isso você já é.
- Quero ser mais.
- Eu estava falando de projeto de vida...
- Eu também.
- Minha filha!
- Que foi?
- ...
- Fica tranquila, mãe, eu não quero ser puta.
- O que você quer fazer?
- Qualquer coisa que as moças bonitas têm direito.
- Direito?
- Qualquer coisa que as moças bonitas costumam fazer.
- Que são...
- ...eventos, desfiles de moda, fotos de sites e revistas, programas de TV, viagens, álbuns de facebook...
- Álbuns de facebook?
- É a consequência, né, mãe? Quem tem o resto tem o álbum.
- E isso rende o quê?
- Bom, o "resto" rende o acesso, mãe. Acesso é tudo.
- Acesso a quê?
- Acesso aos meios de gente bonita, cool, chique, vip... Artistas, atletas, empresários... Enfim, gente badalada.
- Badalada por quem?
- Por todo mundo, ué. Menos por gente chata.
- Entendi: existem o mundo dos badalados e o dos chatos. Melhor eu não perguntar a qual pertenço.
- É melhor mesmo.
- E o álbum?
- O que tem o álbum?
- O que ele rende, filhinha?
- Rende elogios, desejos, invejas, rancores... As mulheres querem ser como a gente. Os homens querem ter a gente.
- E "a gente", no caso, gosta disso?
- A gente adora, mãe!
- E que mulheres são essas? Que homens são esses?
- Todas e todos, ué. Até as chatas e os chatos, embora finjam que não.
- Isso é o que você presume?
- Isso é a realidade, mãe.
- Mas você quer ser possuída ou quer ser amada?
- Ai, mãe, larga de ser cafona...
- Então me diz: quando a beleza acabar, você...
- Quando a beleza acabar!? Tanta coroa enxuta por aí, mãe... Hoje se compra juventude na farmácia, você devia olhar as promoções.
- Obrigada pela dica, filhinha, você é um amor.
- Disponha. Alguma outra dúvida?
- Qual é o tipo de homem que você deseja?
- Um muito gato, cavalheiro, carinhoso, bem-sucedido...
- Um que renda ainda mais... como é mesmo?... "acesso"...
- Esse mesmo!
- Mais elogios, desejos, invejas, rancores...
- Isso, mãe! A senhora me entende!
- Mais chifres, dores de cabeça, filhos bastardos...
- Ai, mãe, a senhora não entende nada...
- É... Eu só entendo de chatos, como seu pai.
- Tô vendo... Eu já tenho um monte desses atrás de mim.
- Tem, é?
- Aham.
- Espere só até eles conhecerem você um pouquinho melhor.
- Quem diria, hein... Subestimando o poder da filha...
- "Isso é a realidade", meu bem. A beleza atrai, e atrai até os bons. Mas o que segura é outra coisa.
- O sexo...
- O sexo? Hum... O sexo amarra, dá um nó. Mas o que não deixa arrebentar é outra coisa.
- "A beleza atrai. O sexo amarra. Mas o que não deixa arrebentar é outra coisa." Muito profundo, mãe! A senhora devia postar isso no face!
- Bem em cima de "Acesso é tudo"?
- Pode ser embaixo!
- É... Quem sabe, as beldades se interessariam em ter "acesso" a "outra coisa"...
- Seja lá o que isso for...
- E qual é o próximo passo do seu projeto?
- Colocar peito.
- Mas isso você já tem.
- Quero ter mais.
- Para atrair mais?
- Isso!
- Mais bocós, mais cafajestes, mais pilantras...
- Ai, que saco!
- Ô...
- Você devia, como mãe, me incentivar a realizar meu sonho.
- Só estou me certificando de que você o entende.
- Eu o entendo perfeitamente!
- "Tô vendo"...
- Você é muito preconceituosa. Mulher bonita também pode ser inteligente, sabia?
- Ah, agora estamos dando nome aos "chatos"...
- Nem todos os inteligentes são chatos.
- Sei... E a inteligência é mais uma daquelas coisas que o "acesso" dá? Vem presa na pulseirinha vip?
- Vem! Vou trazer uma do próximo evento pra você.
- Ah, filha, obrigada.
- Imagina, mãe, "você é um amor".

Nenhum comentário:

Postar um comentário