sexta-feira, 20 de abril de 2012

O exemplo imortal

[Publicado originalmente no facebook - aqui.]

Oswaldo Moura Brasil com seus três filhos, após a apuração dos votos
no edifício da Academia Nacional de Ciências, no Centro do Rio

Parabéns ao mais novo imortal da Academia Nacional de Medicina: o meu pai, Oswaldo Moura Brasil, eleito ontem com 46 votos contra 32 do atual presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

É o reconhecimento de uma carreira brilhante como oftalmologista, da qual a família sempre se orgulhou e cujos maiores beneficiários, além dos jovens doutores que aprendem com ele os segredos da profissão, ainda são seus milhares de pacientes diretos e indiretos.

Eu, filho e paciente direto do "Dr. Moura", fiquei aliviado ao saber que a douta maioria dos acadêmicos teve a coerência de escolher para a sua Secção de Cirurgia um dos maiores cirurgiões de retina do mundo, aquele que passou a operar em menos de 40 minutos o que muitos se gabavam de operar em mais de 4 horas.

Enquanto a Academia Brasileira de Letras (ABL) elege "escritores" como José Sarney e Merval Pereira, e homenageia ases da literatura como Diogo Nogueira e Ronaldinho Gaúcho, a Academia Nacional de Medicina mostra que ainda é possível fazer jus ao nome, elegendo médicos de verdade.

Parabéns, ANM, por imortalizar o exemplo que eu já tinha em casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário