terça-feira, 27 de novembro de 2012

Veta, papai! Veta, mamãe!

[Crônica publicada originalmente no facebook - aqui.]
[Outras recentes: Corações corrompidos; Contra a cafonice; O espírito de peguete] 

Quer escrever o nome do seu galã favorito entre suspiros e coraçõezinhos, fazer montagem da imagem dele chamando você pelo celular, postar foto abraçada com ele, com o poster ou com o boneco dele, ou com os pezinhos dele na calçada da fama, e fazer da seção de comentários um salão de cabeleireiro? Ok!

Quer suspirar por ele no meio do chat ou do papo ao vivo com seus pretendentes do sexo oposto, como se fosse a coisa mais natural do mundo? Ok!

Quer pegar geral no meio da pista em todos os eventos e falar da pegação em linguagem cifrada, entre risos? Ok!

Quer dar selinho em todas as miguxas e montar um mosaico no instagram? Ok!

Só não me diga, meu bem, que você também quer namorar e casar...

Ou papai e mamãe não ensinaram que homem não confia - nem deve confiar - em mulher despudorada? (Tá sem freio? Abre a porta do carro e pula, minha filha.)

Nesses tempos anticristãos de confissões públicas, emancipação feminina, delinquência emocional e consumismo até humano, ninguém mais se dá conta da própria depravação, nem tem a menor ideia das suas consequências nas relações amorosas e familiares.

Que certas moças troquem de peguete com as miguxas como quem troca de bolsa e depois ainda analisem em conjunto - como os moços nem imaginam! - qual é melhor e maior, no todo e nas partes, na textura e na funcionalidade, aí já é prova de que chegamos ao fim da intimidade sexual, seja a própria ou a alheia.

Faz tempo que o cuidado deles em falar delas supera de longe o delas em falar deles, tanto privada quanto publicamente.

Resta saber até quando eles vão se sujeitar a isso.

De minha parte, só sei que, enquanto os cariocas se mobilizam contra a redistribuição dos royalties do petróleo gritando "Veta, Dilma!", eu me mobilizo contra o despudor generalizado das feicebuquianas (de todos os níveis sociais e educacionais) gritando:

"Veta, papai! Veta, mamãe!" Onde andam vocês, afinal?

*****

Felipe Moura Brasil é autor do Blog do Pim, onde já dizia seu personagem Juveninho: "Quando a mulher abandona o pudor, mais cedo ou mais tarde todo homem a abandona."

[Posts exclusivos no facebook: Felipão e o país da demeritocracia; Quanto tempo você dedica?; Israel x Hamas; Rubinho Barrichello; Sobre a saída de Mano Menezes; Luis Fernando Verissimo; Oscar Niemeyer; A discordância pública não justificada; Silicone]

Nenhum comentário:

Postar um comentário