sexta-feira, 14 de junho de 2013

O manifestante ideal

[Publicado originalmente no facebook.]

- Você sabe como se calcula o preço da tarifa do ônibus?
- Não!
- Você sabe se o preço que você paga é o preço total da tarifa?
- Não!
- Você sabe o que é subsídio concedido pelo Estado?
- Não!
- Você sabe quanto o Estado gasta em subsídio?
- Não!
- Você sabe se o subsídio aumenta quando se diminui o preço da tarifa?
- Não!
- Você sabe do bolso de quem vem o dinheiro do subsídio?
- Não!
- Você sabe exatamente o que mais encarece a vida dos pobres?
- Não!
- Você sabe quais países têm transportes públicos de graça?
- Não!
- Você sabe quem sou eu e quem são os outros líderes do movimento?
- Não!
- Você conhece a história dos nossos partidos?
- Não!
- Você conhece a história do comunismo?
- Não!
- Você estuda política?
- Não!
- Você gosta de estudar?
- Não!
- Você ama os pobres?
- Sim!
- Você está revoltado com o país?
- Siiim!
- Você quer fazer alguma coisa?
- Siiiiiiiim!
- Você quer mostrar aos amigos que faz alguma coisa?
- Siiiiiiiiiim!
- Você quer fazer alguma coisa junto com seus amigos?
- Siiiiiiiiiiiiiim!
- Você sabe andar, pular, repetir slogans e gritos de guerra?
- Siiiiiiiiiiiiiiiiim!
- Você sabe falar sobre tudo isso que você tanto sabe no seu facebook?
- Siiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim!
- E também na página dos outros?
- Siiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim!
- Ótimo. Você é o manifestante ideal. Cartazes, bandeiras, coquetéis... O que quiser pegar tem ali. Próximo!

********

Notas

1.

Os verdadeiros "idiotas úteis" são assim: participam pacificamente da "manifestação" promovida e liderada por vândalos comunistas, e acham que foi tudo muito lindo a não ser por alguns "exageros" de vândalos comunistas.

Depois lamentam que a mídia concentre suas reportagens nos "exageros" dos vândalos comunistas (que a mídia, como eles, sequer ousa chamar pelo nome) e não no pacifismo deles (os "idiotas úteis"), sem o qual o vandalismo não poderia mesmo se passar por simples manifestação.

Depois, do alto de sua digníssima afetação de bondade, acusam de egoísmo elitista e indiferença para com os pobres aqueles que os alertam justamente contra os vândalos comunistas que os recrutaram para o imprescindível papel de "idiotas úteis" em seu sanguinolento teatrinho revolucionário.

Quer dizer: em vez de ajudar (apenas) os pobres que estão ao seu alcance, na rua, na porta da sua casa, dando-lhes dinheiro, comida, livros, ou pagando um professor de português a cujas aulas também deveriam assistir, os "idiotas úteis" resolvem lutar de uma vez em favor de todos os pobres da cidade, do estado ou do país, através de um movimento cujos objetivos, origens e resultados históricos desconhecem por completo.

É como se, para ajudar muitas pessoas, o único esforço intelectual necessário fosse o de sair às ruas e decorar o grito "Quem não pula quer aumento!", com toda a sua coreografia altamente complexa, de fazer inveja a Deborah Colker e Carlinhos de Jesus.

Os verdadeiros "idiotas úteis" são assim: sentem que precisam fazer alguma coisa para transformar o mundo - e esta coisa é sempre tudo, menos educar a si mesmos para não fazer idiotices como essas.

2.

Quantos comunistas precisarão ficar tão poderosos e milionários quanto Lula e Lulinha para que os "idiotas úteis" entendam de uma vez que qualquer "manifestação" escancaradamente promovida e liderada por eles jamais tem qualquer coisa a ver com ajudar os pobres e "oprimidos"?

Quando um parasita da minha página no facebook manda eu me informar melhor, e como demonstração de que é deveras informado me mostra uma “reportagem” do UOL (“Aumento de R$ 0,20 na passagem obriga paulistanos de baixa renda a pular refeições”) cujas vigarices estão todas expostas neste link, chego pela enésima vez à resposta óbvia:

Nem se todos ficarem!

3.

No prédio da Escola de Cinema Darcy Ribeiro, no Rio de Janeiro, o verdadeiro símbolo dos "manifestantes" (o do comunismo) ao lado de um de seus principais mandamentos ("Rebelar-se") serve de legenda para toda a violência cinematográfica a que vocês assistiram na TV. Pena que os jornalistas brasileiros não sabem ler.



4.

Nada me impressiona mais no facebook do que a prontidão com que os idiotas descritos em um texto vêm registrar logo abaixo dele:

"Sou eu! Sou eu!"

5.

Para brasileiro protestar contra os 50 mil assassinatos por ano no país, só se cada cadáver lhe custasse 20 centavos.

6.

Se o Fernandinho Beira-Mar promover uma manifestação contra o aumento do preço do caixão dos pobres, metade do facebook vai atrás.

3 comentários:

  1. É a revolta pela revolta.
    Os "2 minutos de ódio" são necessários aos idiotas úteis para satisfazer os desejos reprimidos de angústia e raiva, por levar uma existência tão controlada e desprezível que beira o insuportável. É gente, pensar livremente dá um trabalho danado!!!

    P.S. O manifestante ideal no Brasil não precisa de armas ou molotovs, basta gritar histericamente quando confrontado com um argumento contrário, seguir cegamente o que manda a "causa" do dia e protestar muito no twitter e facebook, além de claro possuir doses cavalares de empáfia e arrogância para sempre estar certo.

    ResponderExcluir