quarta-feira, 10 de julho de 2013

Breve dicionário do que você ouve por aí

Rascunho de Felipe Moura Brasil sobre a linguagem esquerdista:

[Publicado originalmente no facebook.]

Espontâneo = planejado; orquestrado.

Pacífico = violento; delinquente; terrorista.

Minoria de vândalos = Parte dos promotores da manifestação + Vândalos recrutados por eles + Manifestantes vândalos

Vítima = bandido; criminoso.

Humanizar = escravizar.

Apartidário = partidário de esquerda.

Bipartidário = partidário de esquerda.

Justiça social = socialismo.

Diversidade = exclusão.

Igualdade = discriminação.

Debate = imposição.

Paz = guerra.

Mundo melhor = mundo pior.

Repressão = manutenção da ordem.

Cultura = artes e espetáculos populares de artistas de esquerda financiados com dinheiro público.

Sistema/Sociedade = Lata de lixo das culpas individuais.

Preconceito = repulsa, nojo, piada ou crítica a qualquer comportamento que o discurso
"politicamente correto" quer imunizar.

Ultrapassado = jamais refutado.

Intolerância = divergência.

Pena de morte = legítima defesa; eliminação de criminosos armados em conflito com as forças do Estado.

Educação = doutrinação ou adestramento socialista.

Coragem = espírito de manada; pavor do isolamento.

Ampliar a democracia = reforçar a ditadura socialista.

Discordância = distorção, mentira, afetação de superioridade por meio de risadinhas e/ou vitimismos.

Lixo = argumento que não se consegue refutar.


Arrogante = alguém cujos argumentos não se consegue refutar.

Metido = alguém que ensina a quem gosta de ser enganado quem é que o está enganando.

Reacionário = adversário político de direita; conservador; qualquer um que reaja "contra tudo que não presta" (Nelson Rodrigues) ou "aos vermes que o corroem" (George Bernanos).

Homofóbico = adversário político cristão, conservador; pastor evangélico; qualquer crítico do sr. Jean Wyllys; qualquer um que se situe entre os que contam uma piada de bichinha e os que matam a bichinha, mesmo que eles, os assassinos, também sejam gays.

Racista = adversário político cristão, conservador; pastor evangélico; qualquer crítico do sr. Barack Hussein Obama; qualquer um que se situe entre os que contam uma piadinha sobre negro e os que matam o negro, mesmo que ele seja um terrorista armado em confronto com a polícia.

Extrema direita = qualquer um que esteja, como a maioria da população brasileira, entre a esquerda moderada e Franco, Salazar ou Pinochet, inclusive.

Nazista/Fascista/Fundamentalista = adversário político cristão, conservador; pastor evangélico; qualquer um que discorde das ideias dominantes.

Patriotismo = servidão voluntária.

Esperança = ignorância; burrice.

HAHAHAHA/ Affffffff/ Quanta asneira!/ Fico com preguiça / etc. = Não consigo refutar o seu texto, mas vou continuar com a opinião que imagino ter a respeito do assunto e, para mostrar isso, vou peidar aqui na sua página e esperar que meus miguxos venham curtir o conteúdo do meu peido.

Faça a sua parte = Seja um idiota útil você também.

*******

[Nota abaixo publicada originalmente no facebook.]

Agora vamos brincar um pouquinho? Eu escrevi no breve dicionário:

Racista = adversário político cristão, conservador; pastor evangélico; qualquer crítico do sr. Barack Hussein Obama; qualquer um que se situe entre os que contam uma piadinha sobre negro e os que matam o negro, mesmo que ele seja um terrorista armado em confronto com a polícia.

Aí vem a parasita da página de uma leitora que compartilhou e diz:

1. "O cara é a favor das piadinhas sobre negros porque sua diversão vale muito mais que a opressão alheia."

Eu sou a favor da piadinha sobre negros? Não foi nem isso que escrevi, mas sim: sem dúvida! Eu, Richard Pryor, Eddie Murphy, Martin Lawrence, Chris Rock, Dave Chappelle, Mussum, Tião Macalé, Hélio De La Peña, Marcelo Marrom e mais uma infinidade de humoristas negros de ontem e de hoje. Se qualquer piada sobre negros é racismo, vamos prender todos eles. Se só eles podem contar piadas sobre negros, vamos prendê-los por todas as piadas que fizeram sobre brancos. Se só eles podem fazer piadas sobre negros e brancos, quem é "oprimido" afinal?

Não era justamente, aliás, da estupidez dessa aversão ao humor que eu falava aqui noutro dia? Pois é.

2. "Ah!! E também é [a] favor do homicídio de negro desde que seja um terrorista armado em confronto com a polícia."

Só uma analfabeta funcional intoxicada de propaganda esquerdista pode traduzir assim o que leu no meu texto. O que eu escrevi é que se chama de racismo hoje em dia até a eliminação de um terrorista armado em confronto com a polícia - às vezes até por policiais negros... - só pelo fato de ele ser negro, o que é tão grotesco quanto chamar de homofobia até o assassinato de um gay por outro gay, só para engrossar as estatísticas fraudulentas.

3. "Significa dizer que para o autor do comentário e seus gratuitos divulgadores a pena de morte é aceita, talvez, até bem vista. Senhor!!"

Como queríamos demonstrar em outro verbete: "Pena de morte = legítima defesa; eliminação de criminosos armados em conflito com as forças do Estado". A parasita chama de "pena de morte" (com toda a carga emocional negativa que a palavra desperta) um policial - possivelmente negro, até... - matar um terrorista armado que esteja, por exemplo, atirando contra ele.

Em sua cabecinha, o terrorista - provavelmente uma vítima do sistema ou da sociedade, como também queríamos demonstrar - pode tentar matar o policial, mas o policial não pode se defender, senão estará apelando à tão odiosa "pena de morte", expressão referente àquela sentença aplicada pelo poder judiciário que consiste na execução de um indivíduo condenado, mas que os parasitas, com sua linguagem militante em nome dos oprimidos, usam até em situações de guerra (e ainda saem dizendo que você é a favor do "homicídio de negro"...).

E essa parasitinha, no caso, depois de repetir o discurso dos revolucionários anticristãos, ainda completa a sua afetação de superioridade moral escrevendo "Senhor!"

Mas que senhor é esse, meu Deus? Munrá?...

Só pode vir dele essa amostra final de cinismo automatizado:

4. "Tem projeto para a 'Cura reacionária'?"

Não, parasitinha, não tem. Esse projeto da esquerda brasileira - que combinou Antonio Gramsci, Herbert Marcuse e Paulo Freire - já virou realidade no país inteiro há décadas. Hoje, basta respirar para se "curar" do reacionarismo e ser um "idiota útil" histérico como tantos outros feicebuquianos já descritos aqui. Todos perfeitamente seguros de que nós, reacionários - para os quais o assassinato de 50 mil brasileiros por ano tem algo a ver com a hegemonia cultural e política esquerdista no país -, somos mesmo muito malvados e odiamos pobres, negros, gays, índios, mulheres, a natureza, o planeta Terra... Todos aqueles que os esquerdistas juram de pés juntos defender.

Sabe como é:

Não há dicionário que cure os parasitas do Facebook.

Mas a minha diversão, de fato, vale muito mais que a burrice alheia.

9 comentários:

  1. Aborto: Prática em defesa e direito de uma mulher indefesa que está despreparada para assumir uma vida difícil por um compromisso tão inconveniente e opressor.
    E os “jornaleiros” puxa-sacos estão vestindo vermelho como nunca se viu antes, tá na moda o vermelho? E bota burrice nisso!
    Bom dia,
    Valéria

    ResponderExcluir
  2. Comunistas:

    Tenho um recado à vcs no melhor estilo 9 dedos:

    “Vão 'tomano' cuba libre enquanto podem e saudações à todos que 'fô' da sua família!"

    Valéria

    ResponderExcluir
  3. É incrível como as reações do facebook foram na sua grande maioria dificuldades em interpretar o texto. Me parece que a forma que o autor escreve é praticamente incompreensível para a maioria do povão, inclusive para mim.
    Estamos condenados. Sou o produto dessa educação Gramscisniana, seja lá o que isso signifique. E paulofreirista, já essa eu conheço bem, saí da escola mais burro do que entrei. Só deu pra aprender as operações e a atribuir a um conjunto de letras, um som.

    ResponderExcluir
  4. Faltou:

    Movimento em defesa do direito da mulher. Direito de ser vadia, putas, de trepar com quantos homens desejar = Feminismo.

    Pedaço de carne = Feto

    Ser humano = Feto com 3 meses e 1 dias ou 91 dias em gestação

    Zigoto = Feto com até 3 meses ou 90 dias em gestação.

    O Brasil acordou = Outros comunas também querem o poder.

    Sexo = Dialogo natureza e corpo.

    Usar coisas naturais = Fumar maconha

    Liberdade = Trepar com qualquer coisa sem ser criticado.

    Renato





    ResponderExcluir
  5. Tem aquele giro linguistico onde, os termos povo tem a mesma conotação que proletário teve no passado e os neoliberais recebem a carga pejorativa que o termo burgueses recebia outrora.
    Mas isso eles aprenderam com os Iluministas que trocaram malandramente o significado semântico das palavras Democracia e Demagogia. Hoje estes termos significam o contrário do que significaram no passado. Eu já comentei isso com o pessoal do NEEs, do Seminário de Filosofia, deveria ser mais debatido.
    Grande Felipe, um oásis de sabedoria em um oceano de ignorancia.
    Rodrigo Costa Lima

    ResponderExcluir
  6. Muito bom. Existe algum estudo linguístico nesse sentido? Gostaria muito de ler um estudo mais profundo sobre a linguística e o movimento revolucionário.
    Acho absurdo a maneira como usam a linguagem, principalmente no jornalismo, para se fazer militancia e patrulha ideológica. Os militantes de Facebook apenas fazem ressonância, porque não têm um intelecto que permita nada além disso. Parabéns mais uma vez pelo post.

    ResponderExcluir
  7. E a novilíngua é uma realidade! Orwell não ficaria contentinho da vida?

    ResponderExcluir
  8. Eu quero continuar achando as histórias das bichinhas do Costinha engraçadas!!!

    ResponderExcluir
  9. Felipe Moura, cara, você detona! Parabéns kkkk

    ResponderExcluir