quarta-feira, 28 de agosto de 2013

OS PALAVRÕES DE OLAVO DE CARVALHO

Notas recentes e trechos antigos do maior filósofo brasileiro sobre o seu próprio palavreado, organizados por Felipe Moura Brasil (eu mesmo) especialmente para a turma do “mimimi”, aquela que se recusa a comprar um exemplar medicinal do fenômeno de vendas “O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota” - que nem sequer tem palavrões - porque... bem... você sabe: porque “mimimimimimimi”... Como escrevo no texto de apresentação do livro: "Olavo de Carvalho não é para frouxos."

Olavo de Carvalho por Emerson Oliveira

I.

[Em nota de 27/08/2013 no Facebook (seguida dos comentários):]

Guardadas as devidas proporções, os palavrões que uso têm a mesmíssima função das gárgulas no exterior das catedrais góticas: assustar os demônios e só deixar entrar quem vem com boa intenção. Os fariseus não passam da porta.

Thiago Moraes Palavrões diante de desonestidade e de mazelas evidentes é CARIDADE, professor. O problema é que o mindinho esquerdista politicamente correto noa impõe que dizer palavrões é perder a razão, independente se seu discurso é lógico, crível e honesto. Quer dizer, o que vale é a aparência e polidez, e não a essência e consistência dos argumentos.

Olavo de Carvalho É isso aí. Mandar certos sujeitos tomarem no(s) cu(s) é uma maneira de informar-lhes que frescura não entra.

Marie Simone Sandy Há alguma outra opção para as moças?

Olavo de Carvalho Não. Na vida intelectual a igualdade dos sexos reina mais do que poderia exigi-lo a mais furiosa das feministas.

José Eduardo Bruno Olavo, dependendo da pessoa, vc tem que mudar o calão, pois se o cara , além de idiota e imbecil, for viado, ele vai adorar vc mandar ele tomar no cu...!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Olavo de Carvalho Nesses casos troco a ordem por uma proibição.

Umberto Macedo Cada qual tem sua maneira de se expressar e colocar seus entendimentos... Olavo tem sua maneira, honesta... Padre Paulo Ricardo, na mesma linha, guardadas as devidas proporções, fala à sua maneira, entre tantos por aí... Aqueles que criticam pessoas intelectualmente honestas pela forma em que se expressam, por mais que usem palavras nada ortodoxas, não são pessoas com boas intenções... Veja o caso da maioria dos políticos que são politicamente corretos, mas suas ações não são nada ortodoxas... Por isso fico com Olavo, Padre Paulo Ricardo...

Olavo de Carvalho O Pe. Paulo sempre compreendeu o sentido dos meus palavrões, e acha que são boa tática.

Geraldo Ribeiro Duvido muito da eficácia dos palavrões. Não têm nada de filosófico. Mas também acho que, para Olavo de Carvalho, parar de dizer palavrões seria tão difícil como parar de fumar. Seria como esperar que Diógenes, o cínico, não carregasse a lanterna em pleno dia.

Olavo de Carvalho É a velha mania brasileira de explicar por alguma compulsão grosseira uma conduta que pode ter motivos um pouco acima da compreensão vulgar.

II.

[No True Outspeak de 08/06/2009, transcrito por Felipe Moura Brasil]

[Olavo lê um trecho da mensagem do ouvinte Fernando:]

“Sustento minha admiração e respeito, mas não sou como a grande massa dos seus ouvintes que confunde admiração com devoção religiosa”...

Isso é outra besteira brasileira! Ó, Fernando, você para com isso! Para com isso. No Brasil, qualquer pessoa que você admira ou leva a sério, [a reação é assim:] “É idolatria! É idolatria!” No Brasil, é proibido admirar. A admiração que esse pessoal todo [leitores, ouvintes e alunos] tem por mim é zero perto da admiração que eu tenho, sei lá, pelo grande escritor George Bernanos. Eu jamais permitiria que se falasse mal do cara. No Brasil, quando você admira, sempre tem que falar um pouco de mal, pra não dizer que é idolatria.

Por quê? Porque brasileiro é assim, cada um quer fingir: “Ah, eu tenho o meu pensamento independente... Não sigo ninguém...” Isso é uma farsa. Uma farsa! Eu sei o que é um pensamento independente. Um pensamento independente custa uma vida de esforço. Pra você conseguir ter uma ideia sua, realmente fundamentada, são 30 anos, ô Fernando. Agora, no Brasil, todo mundo finge. E pra fingir, ele tem que fingir que não admira muito: “Ah, eu admiro, mas com restrições...” Isto é uma frescura, uma viadagem, não me venha com essa conversa. Para. Você é um sujeito bom, eu conheço você, você já escreveu várias cartas boas aqui, para com isso, Fernando.

[Olavo lê mais um trecho:]

“Acho que toma certas opiniões com passionalismo”...

Passionalismo, o caralho. Você tá confundindo ênfase verbal — você tá confundindo a linguagem — com a MO-TI-VA-ÇÃO. Quer dizer que se eu mando um sujeito tomar no cu é por passionalismo? Ah, mas o que é que é isto, porra? Quer dizer: você não é capaz de compreender a minha psicologia. Você não tem idade, não tem experiência, não tem conhecimento suficiente pra compreender as MINHAS motivações. Eu não faço NADA por passionalismo. Nada, nada, nada, nada... Minha mulher — estamos casados há 25 anos e ela me conhece há trinta —, ela sabe perfeitamente disso.

Eu uso esses palavrões porque são NECESSÁRIOS. São necessários no contexto brasileiro para demolir essa linguagem polida que é uma camisa-de-força que prende as pessoas, obrigando-as a respeitar o que não merece respeito. Então, às vezes, quando você discorda de um sujeito, mas discorda respeitosamente, você tá dando força, está dando mais força pra ele do que se concordasse. Porque você está indo contra a ideia dele, mas você está reforçando a autoridade dele. A autoridade é a respeitabilidade. O problema dessas pessoas, desses bandidos de que eu estou falando, não são as ideias. É justamente o fato de que são canalhas. São canalhas, são bandidos, são ladrões.

Então a ética brasileira hoje — a moral brasileira — é feita de uma série de confusões e de atitudes totalmente falsas, como essa, por exemplo: “Ah, eu admiro muito o senhor, mas não sou como esses seus devotos fanáticos...” TODOS dizem isso! TODOS! Não tem um que não diga a mesma coisa! Então pergunto eu: do que é que vocês estão falando, gente? Estão se iludindo! Estão se iludindo! Vocês não sabem o que é admiração! Vocês não têm a menor ideia de como é que é isso aí. Porque admirar não faz parte da cultura brasileira, o pessoal não sabe o que é isto.

Ora, Thomas Mann, uma vez o entrevistaram no rádio, pediram a ele um conselho, que desse um conselho para a juventude. Ele disse: “Jamais percam o sentimento de veneração.” Isso é fundamental. E vocês não têm isto. Os meus admiradores não têm isto! Não tem o verdadeiro respeito, que é a noção de objetividade. Tanto que todos fazem questão de dizer: “Admiro, mas não admiro que nem os seus fanáticos.”

Por quê? Isso é inveja. O brasileiro não pode gostar de uma coisa sem falar mal dos outros que também gostam. Porque ele quer mostrar que ele é diferente, que ele é independente. Pra quê? Que vaidade é esta? Eu nunca disse: “Olha, eu admiro [Eric] Voegelin, mas eu são sou como aquele cordão de puxa-sacos.” Eu não tenho nenhum problema se disserem: “Olha, ele tem veneração por Voegelin...” Tenho! Tenho veneração pelo Voegelin, tenho veneração por Sto. Tomás de Aquino, tenho veneração por Aristóteles... E não quer dizer que eu ache que cada linha que ele falar tá certo. Não é esse o problema!

Primeiro que o pessoal também confunde admiração com a concordância. Mais ainda: o pior é achar que a gente está em busca de admiração. Eu não quero admiração, eu quero estudante, meu saco! Um admirador é apenas um membro do público. Agora, um estudante é alguém que tem uma fidelidade e uma veneração, e que vai estudar cada linha que você falou. Mais tarde ele pode discordar de tudo, não tem nenhum problema. Não tem realmente nenhum problema.

Veja: Aristóteles discordou de Platão numa série de coisas. Mas ele disse o seguinte: “Platão é tão grande, tão grande, tão grande que o homem mau não tem sequer o direito de elogiá-lo.” Ou seja: pra você chegar ao ponto de conquistar o direito de elogiar Platão, você já tinha que ser um homem decente. Veja a dimensão da veneração que ele tinha pelo mestre do qual ele discordou num monte de coisa!

Eu nunca vi brasileiro ter esse sentimento! Brasileiro tem aquela admiração exterior que já quer mostrar que não admira tanto pra ele não ser chamado de fanático. Quer dizer: você tá ligando mais pra opinião de quem pode falar mal de você! “Ai, eu tenho medo de admirar o Olavo porque as pessoas vão falar mal de mim.” Então já começa a dizer: “Olha, eu admiro, ma non troppo...” Só que não é você que diz isso, ô Fernando, são todos que dizem isso! (...) Mas para com esse negócio...

Outra coisa: também não confunda impaciência com raiva. Eu estou com 62 anos. Eu ouço as mesmas perguntas, as mesmas coisas há 40 anos! Eu tenho o direito de estar com o saco cheio. Não preciso ser um cara passional pra isso, porra. Se eu fizer a mesma pergunta 5 vezes, na quinta, na sexta você me manda tomar no cu.

É aquele negócio [aquela anedota, piada] do Confúcio. O Lula morreu, foi pro Céu, e daí São Pedro falou: “Onde é que eu vou colocar esse sujeito?” Aí falou: “Vou botar entre os sábios, pra ver se ele aprende alguma coisa.” Daí estava o Lula lá conversando com Confúcio, e daí o Confúcio disse: “Olha aqui, meu filho, pela milésima vez, ‘epístolas’ não são as mulheres dos apóstolos; e, pela duomilésima vez, ‘Pafúncio’ é a puta que pariu!” (Risos) Então é mais ou menos isso. (Risos) Então não me leve a mal, hein, ô Fernando, eu gosto muito de você. E ó: até pra falar com você, que eu sei que eu gosto, eu falo assim, porra. É estilo.

III.

[No True Outspeak de 5/12/2012, o último da 1ª temporada iniciada 6 anos antes, em 6/12/2006 - e aqui transcrito por Felipe Moura Brasil]

(...) Eu me vejo não digo obrigado, mas induzido a interromper o programa pelo menos durante algum tempo. Primeiro, porque eu acredito que ele alcançou os seus objetivos e que, de agora em diante, seria apenas repetição do que já foi dito.

Um desses objetivos foi modificar um pouco a linguagem da conversa política no Brasil, porque, na medida em que a conduta dos nossos políticos descia a níveis abissais, não fazia sentido continuar falando deles naquela linguagem polida, afetada, que a nossa oposição costumava usar. Tínhamos que aprender a dizer que um filho da puta é um filho da puta e assim por diante. Mesmo porque esta é a linguagem DELES! Esta é a linguagem do sr. Lula. O sr. Lula vive falando palavrão a torto e a direito, agora, se a gente diz um palavrão para eles, eles dizem: “Oh, que falta de educação!” Então nós tínhamos que nivelar isso aí. Foi nivelado. Para fazer isto, eu tive que fazer esta concessão de falar na linguagem do esculacho brasileiro — que não é a minha linguagem. Mas era o único jeito de fazer as pessoas sentirem a baixaria que o Brasil havia se tornado e criar uma linguagem, que é a linguagem da própria baixaria, para falar dela mesma. Esta finalidade foi inteiramente cumprida. Eu vejo que muita gente aprendeu. Aprendeu a xingar, aprendeu a mandar tomar no cu quando é para mandar tomar no cu, aprendeu a chamar de filho da puta quando é para chamar de filho da puta, e assim por diante. Isto foi um progresso ENORME!

O segundo ponto é que, usando esta linguagem da baixaria brasileira, ao mesmo tempo nós não perdíamos o nível intelectual, que é mais ou menos o das aulas que eu tenho dado. Com algumas análises que a gente fazia aqui, a gente percorria toda a escala que ia desde o mais baixo até o mais alto que é possível no momento. Então, unir a linguagem popular brasileira com a alta cultura foi outro objetivo que foi atingido aqui. Muita gente já aprendeu a falar assim. Claro que existem os maus imitadores, que são apenas macaqueadores que não pegam o espírito da coisa. Em primeiro lugar, os piores entre eles são aqueles que acreditam que a linguagem que eu usei no programa é a minha linguagem. Não, não, não! Esta é a linguagem do Brasil! Para dar as minhas aulas e escrever os meus livros, eu uso outra língua, que é a minha língua pessoal. Mas, para tratar desses assuntos do noticiário da semana, foi necessário criar esta linguagem típica do True Outspeak, que funcionou muito bem. Então, eu considero que a missão está cumprida porque, neste ínterim, apareceram centenas de sites, que estão dizendo as coisas como elas realmente são. E eu não vejo porque continuar eu mesmo fazendo este serviço se já tem tanta gente fazendo — e fazendo bem.

(...) Eu estou precisando economizar este tempo para dedicar mais ao Seminário [de Filosofia], que tem uma finalidade de mais longo prazo, que é a finalidade de criar uma nova camada intelectual no Brasil, uma nova camada de escritores, artistas, pensadores mais qualificados, que possa devolver um pouco da dignidade que a alta cultura brasileira tinha uns anos atrás. O nosso governo está anunciando um plano nacional de cultura que nós sabemos o que é: gastar dinheiro com besteira. No Brasil, quando se fala em alta cultura, as pessoas pensam: alta cultura é concerto, exposição de arte, divulgação cultural... Elas não têm a menor ideia do que é isso. Não têm a menor ideia. Praticamente ninguém tem. Este diletantismo burguês ou pequeno burguês que eles tomam como alta cultura é exatamente o contrário.

Alguns dos meus alunos já desempenham hoje algum papel na sociedade. A maioria, ainda não. À maioria eu mesmo digo: “Você fiquem quietinhos, vocês estudem, não se metam em discussões, até que vocês estejam mesmo preparados. Quer dizer: consertem vocês primeiro antes de consertar o país — que é uma coisa que o sr. Lula e a dona Dilma não aprenderam até hoje. Tem até ministro da Educação que não precisa educar a si mesmo para depois educar os outros. Não. Ele já parte da sua ignorância, ele já faz dela o padrão para reformar o país, e todo mundo tem que ser remoldado à imagem e semelhança do ministro da Educação.

Então, em função desses fatores, eu estou encerrando o programa. (...) Se eu cometi alguma injustiça, se eu ofendi alguém injustamente, eu peço que me perdoe. Com toda a sinceridade. Mas àqueles que foram insultados com justiça, eu repetirei mentalmente o insulto pelos próximos anos. [Risos] Então fiquem com Deus, Deus os abençoe, e até a próxima se Deus quiser.

[Nota do Org.: O programa True Outspeak já voltou a ser transmitido, sem periodicidade definida.]

[Nota do Org.: Para uma ideia dos palavrões usados por Jesus Cristo e pelos santos católicos, ver a lista “Xingando com os santos — xingamentos para católicos com testosterona”; e o artigo de Olavo de Carvalho “Concurso Santo Palavrão: o prêmio é meu”, de 21 de julho de 2011. Eis uma citação apreciada pelo autor: “Se, porém, eles pelas obras profanam a fé e não se escondem, cobertos de vergonha, debaixo da terra, por que se irritam contra nós, que condenamos com palavras o que eles manifestam com ações?” (São João Crisóstomo).]

IV.

[No Canal Futura, durante o programa Sala de Debate de 06/08/2013 - A ARENA e o Ressurgimento do Conservadorismo no Brasil, o sr. Paulo Domenech Oneto, professor de filosofia política na UFRJ, disse as seguintes palavras sobre Olavo de Carvalho aos 21min30seg:]

PAULO DOMENECH ONETO: Eu só queria comentar, porque ele [Sidney Silveira] mencionou o Olavo de Carvalho, que no meu modo de ver é uma influência muito deletéria ao pensamento brasileiro em geral. A questão não é se ele é conservador ou não é, mas a maneira como ele procede, a maneira como ele procede à base de impropérios, acusações sem nenhuma prova, como ele fez durante muito tempo como colunista do jornal O Globo, é uma coisa extremamente deletéria que atrapalha muito, prejudica muito. E o que é ruim é que como a filosofia - e eu falo [como alguém] do campo da filosofia -, é que como a filosofia no Brasil é muito frágil e as pessoas gostam muito de uma opinião bombástica, o Olavo de Carvalho cresceu demais no Brasil. É uma influência deletéria nesse sentido. Se ele é conservador ou não, não vem ao caso, mas a maneira como ele atua, de uma maneira truculenta, lançando impropérios, acusações aburdas, em colunas inclusive, sem prova nenhuma, inclusive contra o governo do PT, na ocasião né, dizendo que havia uma relação clara entre o governo do PT e o narcotráfico, e ia provar não sei como, nunca provou nada, e faz programas acusando, xingando pessoas, quem conhece Youtube sabe disso né. Eu tentei várias vezes entrar em contato com ele; existem verdadeiros guarda-costas de internet, de Youtube né, que bloqueiam qualquer acesso a ele, ele não quer debater nada. Então é uma influência deletéria ao pensamento, sendo um conservador ou não. Não importa se é um conservador, nesse caso.

COMENTÁRIOS DO OLAVO NO FACEBOOK

1.

Na ânsia desesperada de dizer algo contra mim, determinados fulanos chegam a inventar coisas tão absurdas que desafiam a imaginação humana. No debate com o Sidney Silveira, um sr. Paulo Domenech Oneto, professor de filosofia política na UFRJ (porca miséria!), afirmou, com ares de quem acreditava mesmo nisso, que tenho à minha volta um pelotão de guarda-costas eletrônicos, que na internet barram todo acesso à minha pessoa, para me proteger de debates. Não ocorreu à criatura que para fazer isso os referidos teriam de violar a minha correspondência e neste caso não seriam meus guarda-costas, e sim espiões. E depois o sujeito ainda reclamou que insulto as pessoas. Mas como, ó céus, como responder a tamanha estupidez polidamente, como não mandar um cretino desses tomar no cu?

2.

Ainda a respeito do tal Paulo Domenech Oneto:

Tenho umas três mil páginas de escritos publicados em livro, quarenta mil paginas de aulas transcritas e mais uma infinidade de palestras gravadas ainda sem transcrição, mas um filho da puta ouve dois minutos do programa True Outspeak, nota que xinguei alguém, e já sai alardeando que não tenho argumentos, só insultos, e que faço "acusações sem provas". E o mais lindo é que faz isso fingindo neutralidade ideológica e puros escrúpulos de honestidade intelectual. Acho que inventaram a "Lei da Palmada" para proteger a porção glútea dessas criaturas.

3.

Enviei a primeira mensagem ao sr. Domenech. Quando fui enviar a segunda, a página dele estava inacessível. meu acesso bloqueado. "Acuse-os do que você faz, xingue-os do que você é."

Olavo de Carvalho Agora a página do sujeitinho no Facebook SUMIU.

4.

MODESTA CONTRIBUIÇÃO À EDUCAÇÃO DOS MEUS CRÍTICOS:

Como determinados sujeitos adquiriram o hábito de condenar integralmente a minha obra com base em dois ou três programas de rádio que ouviram e um ou dois artigos de mídia que leram, forneço aqui uma breve lista dos meus trabalhos, a qual, embora ainda incompleta, lhes dará os recursos essenciais para que, conhecendo o meu pensamento com base documental suficiente, possam, com aquela pujança intelectual que os caracteriza, demoli-lo, desmascará-lo, reduzi-lo a pó num estalar de dedos e brilhar ante seus queridos aluninhos e devotas leitoras para todo o sempre. Peço aos visitantes desta página que, quando lerem por aí análises profundíssimas da minha pessoa e obra como aquelas que me dedicaram os srs. Apanhman, Bostone, Pirula, Poeteu e tutti quanti, sem contar outros mais conhecidos nos meios universitários e jornalísticos, enviem cópias desta lista aos autores de tais maravilhas, para reforçá-los naquele sentimento de domínio absoluto do assunto, que os levou a escrever o que escreveram.

OBRAS DE OLAVO DE CARVALHO - AQUI.

5.

NOTAS ANTIGAS E SINTOMÁTICAS DE PAULO DOMENECH ONETO NO FACEBOOK [encontradas por Mírian Macedo e postadas na página do Olavo]:

Paulo Domenech Oneto, em 11 de setembro de 2011:

11 de setembro. Data trágica para o Chile. Em menor escala, trágica tb para N.Y.C. Colocar um fim no terrorismo de Estado para colocar fim no terrorismo em geral.

Paulo Domenech Oneto, em 11 de outubro de 2010:

Penso no debate de há pouco. Dilma se soltou. Serra e seus correligionários esconderam seu jogo baixo. Peço aos que votaram Marina e Plínio que votem PT. O Brasil vem mudando: bateu na mentalidade escravocrata, distribuiu renda, melhorou as universidades, deu independência à política externa. Não privatizou de forma irresponsável, como os "tucanos". Sei que falta coragem e transparência ao PT, mas VOTEM DILMA.

*********

O mínimo que você precisa saber para não ser um Paulo Domenech Oneto já está à venda - e entre os mais vendidos - nas melhores livrarias do Brasil. Saiba mais nos links abaixo:

- ENTREVISTA com o organizador Felipe Moura Brasil. [A partir de 1min53seg.]


ARTIGOS SOBRE O LIVRO:

- Rodrigo Gurgel
- Luciano Henrique Ayan
- Paulo Briguet
- Ronald Robson [+ Notas de FMB e OdeC]

Estande da editora Record na XVI Bienal do Livro
do Rio de Janeiro, de 29 de agosto a 8 de setembro de 2013.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Qual jornalista da grande mídia vai ter peito para falar do novo livro do Olavo de Carvalho?

[Também publicado no Mídia Sem Máscara; e originalmente no Facebook.]


27/12/1994. Olavo de Carvalho na capa do jornal O Globo.

A chamada: "Um escândalo ronda a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. O filósofo Olavo de Carvalho denuncia que um parecer de recusa a um texto seu para a revista 'Ciência Hoje' comete erros históricos e filosóficos. 'É escandaloso que um trabalho científico seja entregue a um ignorante', diz Olavo. A SBPC se recusa a divulgar os nomes dos avaliadores."

A reportagem "Um parecer errado acaba em escândalo", assinada por Elisabeth Orsini no Segundo Caderno, está agora disponível no novo acervo digital do Globo. Além de dar voz a Olavo - que, como de hábito, humilha intelectualmente o parecerista -, ela traz um texto do saudoso poeta Bruno Tolentino, que humilha ainda mais o infeliz, exigindo que a SBPC divulgue seu nome.

O caso foi emblemático. Olavo comentou várias vezes a respeito:

- Em 1994, na segunda aula do curso "Pensamento e atualidade de Aristóteles":

"O aristotelismo como movimento filosófico é tardio. Começa a se formar timidamente nos séculos III e IV da era cristã, isto é, sete séculos depois da morte de Aristóteles (já tive aliás um arranca-rabo com um cretino da SBPC que afirmava que nesses séculos ninguém tinha lido nada de Aristóteles, quando ele é que não tinha lido nada)."

- Em 1997, em artigo sobre "O pajé" Luiz Pinguelli Rosa:

"Ademais, ele tem em seu currículo o fato de ter sido presidente da SBPC - aquela entidade que nomeia um semi-analfabeto para avaliar um trabalho científico e, denunciada, faz desaparecer o acusado sob o manto do anonimato."

- Em 1998, em artigo sobre a "Ralé de toga" nacional:

"(...) ninguém, absolutamente ninguém na universidade brasileira, se deu o trabalho de discutir minhas teses, e, se alguém aí quis dizer algo a respeito, foi para dar o show de inépcia daquele parecerista da SBPC que escrevia 'inverossímel', com 'e', e confundia Santo Alberto Magno com São Gregório Magno."

- Em 2001, no PS de um artigo publicado cinco dias após a morte do então diretor de jornalismo da Rede Globo (e diretor do Globo à época da polêmica), Evandro Carlos de Andrade:

"Nunca me encontrei com Evandro Carlos de Andrade. Toda a convivência que tive com ele foi por e-mail e telefone. No entanto, se existiu na imprensa brasileira alguém que ajudou a restaurar minha confiança na dignidade da profissão jornalística, foi ele. Foi ele que, no confronto desigual entre os mandarins da SBPC e um ilustre desconhecido, em 1994, abriu generosamente o espaço do GLOBO para que a parte mais fraca se defendesse e acabasse obtendo, em resultado, a mais improvável das vitórias. Nunca me esqueci dessa demonstração de exemplar decência, a que se seguiram muitas outras, consolidando minha admiração por um colega distante cuja fisionomia, até agora, nem sequer imagino.

Goethe afirmava que três qualidades resumem o dever do homem sobre a Terra: ser digno, prestativo e bom. Evandro não apenas foi tudo isso, mas soube sê-lo para com um desconhecido, do qual nada podia esperar."

Eram outros tempos, sem dúvida. Tempos em que Olavo de Carvalho, ex-colunista do Globo, não só podia sair na capa do jornal, como saía para se defender contra o veto mal justificado de uma revista como a 'Ciência Hoje', da SBPC. Mas Evandro Carlos de Andrade morreu. E, como escreveu Olavo em 2013, depois do "vexame sofrido em 1996 por uma dezena de intelectuais de esquerda, que caíram de paus e pedras sobre o meu livro 'O Imbecil Coletivo' e se deram muito mal, nada mais tendo conseguido provar senão que a obra era a respeito deles próprios", "a atitude mais prudente a observar com relação ao autor era a mais rigorosa boca-de-siri”. Restou apenas, portanto, a "regra baixada [em 2004] pelo comissário do povo, Milton Temer, para todos os militantes, simpatizantes e puxa-sacos do comunismo na mídia brasileira: ‘O Olavo de Carvalho não é para ser comentado.’”

Eis o trecho completo de Temer, espécie mais astuta e precavida de Breno Altman:

“Não, não comenta o Olavo de Carvalho... Isso não deve ser tema de faculdade de jornalismo. O Olavo de Carvalho não é para ser comentado. São paradigmas da irracionalidade absoluta. Eu nem levo em conta o que esse cara diz. E eu acho uma tragédia que o Globo tenha entre seus colunistas ele e o Denis Rosenfeld toda semana."

A "tragédia" acabou, para felicidade de Temer. Há anos que O Globo não tem mais Olavo de Carvalho. Nem como colunista, nem como personagem. A ocupação gramsciana de espaços alcançou uma de suas metas mais elevadas - e, para infelicidade da pátria, O Globo virou 'Ciência Hoje'. A rigor, a imprensa inteira do Brasil, exceto o Diário do Comércio, virou uma grande SBPC. Com uma diferença, é claro: o veto agora é sumário e preventivo, para ninguém correr o risco da humilhação com uma réplica de Olavo ao seu parecer. O negócio é maldizê-lo por trás, deixando o confronto direto para o exército de imbecis juvenis (e não tão juvenis...) adestrados nas universidades para odiá-lo sem jamais ler sua obra.

Para desespero desses, o novo livro do maior filósofo brasileiro, "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota" já está nas livrarias - e, a despeito do silêncio midiático, alcançou rapidamente as estantes reais e virtuais dos mais vendidos do país.

Eu, o organizador do volume, não sei se algum jornalista/veículo será - não digo nem digno, prestativo e bom como Evandro Carlos de Andrade, mas - corajoso o suficiente para quebrar a temida regra de Temer e fazer novamente jornalismo na imprensa, como naquela reportagem de 1994. (Não sei se a própria Elisabeth Orsini teria hoje tamanho desprendimento, em memória de Evandro.) Mas se é para vetar de vez dos jornais o nome de Olavo de Carvalho, manda a precaução que os editores comecem desde já a vetar (ou adulterar) a lista dos 10 livros mais vendidos também.



Livraria da Travessa - Centro, Rio de Janeiro.

Livraria Argumento - Leblon, Rio de Janeiro

 

Pós-escrito: Paulo Eduardo Martins, exceção admirável na mídia, faz no SBT o que os dinossauros da imprensa não fazem nos jornais: diz o que tem de ser dito - e recomenda a nossa vacina para todo mundo. Grande momento do telejornalismo brasileiro. "Ora porra!"


http://felipemourabrasil.com.br

[Para compartilhar este texto no Facebook, clique aqui.]

terça-feira, 13 de agosto de 2013

O orgulho da delinquência

1.


Quando o assunto é igualar a união de homossexuais à de héteros ou descriminar o aborto de feto anencéfalo, o ministro do STF Luis Roberto Barroso, indicado por Dilma Rousseff, rasga a Constituição sem a menor cerimônia e ainda faz perorações em sua página na internet.

Quando o assunto é a perda automática do mandato para parlamentar condenado em processo criminal, ele lamenta muito - fofinho, né? -, mas diz que não pode "vulnerar" um texto constitucional, como se os artigos 15 e 55 - além do 92 do Código Penal -, conforme já mostrou Reinaldo Azevedo, precisassem mesmo ser vulnerados.

"Não posso produzir a decisão que gostaria, porque a Constituição não permite", alegou Barroso, subitamente apaixonado por ela. E eu não posso mandar Vossa "Eçelença" para o vaso sanitário como eu gostaria, porque, como se sabe, as fezes não permitem.

(Constituição para esquerdista é como cadáver: só merece atenção quando é útil para a causa - e de preferência uma atenção míope.)

Se hoje bandidos como Fernandinho Beira-Mar já comandam ataques e retaliações de suas prisões, quem sabe amanhã, de Barroso em Barroso, teremos também parlamentares comandando oficialmente o país de suas digníssimas celas. Não é maravilhoso?

Os mensaleiros agradecem emocionados - cada um sonhando, talvez, em tornar-se um dia o 1º presidente presidiário do Brasil.

2.

O sujeito que, por amor às causas que defende, não demonstra a menor vergonha quando vê uma cena de novela que faz comercial do aborto como de cartão de crédito; colunistas que justificam o terrorismo como forma legítima de protesto; hackers que invadem os sistemas virtuais de seus adversários político-ideológicos; ministros do STF que substituem o Poder Legislativo para aprovar a união homossexual e o aborto de anencéfalos; mídias que posam de independentes recebendo dinheiro público e sendo admitidas como parte da nova militância pelo presidente do próprio partido governante; editores de sites e feicebuquianos em geral que xingam os autores cujas obras não conseguem refutar; e todas as demais canalhices, mentiras e ilegalidades expostas diariamente por intelectuais sérios que, ao contrário do que rezam as lendas urbanas, sempre foram, são e serão os primeiros a condenar tais métodos ainda que através destes se pretenda defender qualquer ideia ou estado de coisas que eles defendam - o sujeito assim, repito, não precisa mesmo se pronunciar sobre coisa nenhuma, porque ou é um canalha por natureza ou já foi moralmente corrompido pelo ambiente cultural esquerdista [sic] que, estando ou não ele consciente disso, também já o fez um canalha, do tipo para quem tudo a favor é bem-vindo, e que se danem os meios.

Por mais que você prove que não somente as medidas concretas de seus pares, mas também as próprias opiniões do sujeito nasceram de um amontoado de slogans e técnicas de manipulação de massa que ele prefere desconhecer, a tendência é que ele continue se deixando levar pelos seus piores instintos de adolescente intrigueiro e assim jamais resista a curtir, entre risadinhas cínicas, qualquer xingamento ou peido na página de quem o educa.

"A vida é um combate cotidiano contra a estupidez própria", dizia Nicolás Gómez Dávila. O amor à causa, completo eu, é uma celebração cotidiana da estupidez alheia.

3.

Foi só eu falar [acima] dos atos alheios de delinquência de que as pessoas acanalhadas não sentem a menor vergonha que aparece mais este.

 
As risadinhas de aprovação já pululam na internet. Todos os crimes são permitidos a favor da esquerda. Em nome dos fracos, minoritários e oprimidos, vale intimidar, hostilizar, agredir e muito mais. Como escreveu Olavo de Carvalho: "A capacidade de ódio histérico que esse pessoal tem confirma a minha teoria: ser gay pode não ser doença, mas ser gayzista é."
 

4.

É muito difícil para o sr. Facebook criar a opção de compartilhar um link INCLUINDO o texto que o autor do post original escreveu sobre ele? Ou é assim como fazer um delinquente entender que NUNCA existiu um projeto de "cura gay"?

5.

Nosso filho está nascendo, para desespero da canalhada que luta - e continuará lutando - pelo seu aborto. Em todos os sentidos, é uma aula de vida.

Da obra de Olavo de Carvalho, organizado e apresentado por Felipe Moura Brasil (eu mesmo), "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota".

 



Pré-venda aqui.

Curta também a página oficial do livro no Facebook e fique por dentro de tudo.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Os amiguinhos dos terroristas

Minhas notas recentes no Facebook - e mais algumas inéditas, como a 2 e a 3 da Parte I - sobre os miguxos do terror no Brasil e nos EUA. [Para saber do "banco imobiliário" dos ninjas ou do novo livro do Olavo de Carvalho, avance três casas.]

Parte I: EUA

1.


Da série: "Ah, se fosse o Bush!"

Um jornalista da CNN, por incrível que pareça, resolveu fazer a última coisa que qualquer sujeito bem informado (ou seja: 0,000002% dos jornalistas brasileiros) espera que alguém faça na famigerada porta-voz do Partido Democrata: jornalismo. E justamente nesse momento, este sim histórico, os jornalistas brasileiros (99,999998%), que só traduzem os veículos obamistas como CNN e New York Times, não deram a menor pelota.

Sim, senhores: eles conseguem ser mais obamistas que os obamistas americanos. Ou mais desinformados, embora eu não devesse lhes conceder o benefício da ignorância.

Que a CNN dê uma notícia que o Blog do Pim, Olavo de Carvalho e meia dúzia de sites nos EUA já deram há quase 1 ano, já até virou um hábito, e não vai ser a simples sugestão de que o governo Obama estava armando rebeldes sírios um motivo de espanto. Mas que ela também acrescente novas informações? Aí é novidade!

A reportagem de Jake Tapper revelou que havia 35 agentes em terra no dia do ataque terrorista ao anexo da CIA em Benghazi, na Líbia, e que a CIA está submetendo MENSALMENTE ao DETECTOR DE MENTIRAS todos os sobreviventes que sabem de alguma coisa sobre o que aconteceu, para verificar que não estão vazando informações; e não é só isso: ela também muda o nome de cada um e os espalha pelo país para que não deem com a língua nos dentes à imprensa e ao Congresso. Intimidação pouca é bobagem. Néver bifór in de rístori ófi dis cáuntri... Quem vazar informações pode ser pego na mentira, perder a carreira e sabe-se lá o que mais. Uma fonte alega que até as famílias dos agentes estão sob ameaça. Sentiu o clima?

Então assista:



Isto porque Obama havia declarado que o caso Benghazi (o meu filme favorito, que já está merecendo até uma Parte II) era um "falso escândalo", um "circo político" criado pelos adversários republicanos... Quer dizer: nunca esteve tão em dia (mentira, sempre esteve) sua célebre frase de 21 de agosto de 2010:

"The only people who don't want to disclose the truth are people with something to hide.

Não há a menor dúvida que Obama, o primeiro negro transparente intransparente a ocupar a presidência dos EUA, tem muito a esconder sobre o que de fato aconteceu naquele '9/11' (no Brasil, 11/9, ok?) de 2012, quando o embaixador Christopher Stevens e mais três americanos foram mortos por terroristas na Líbia.

Só não digo que ele está submetendo mensalmente a mídia brasileira inteira ao detector de mentiras, para se assegurar de que ninguém vaze informações nem mesmo por aqui, porque esta, como o Foro de São Paulo não nos deixa mentir, omite voluntariamente tudo que seja relevante.

Mas ah... Ah, se fosse o Bush!...

Nota de rodapé: Em maio, eu já tinha zombado de Caio Blinder, que escreveu a seguinte pérola sobre Benghazi: “Tudo é feito para maximizar a tragédia, já de olho na campanha eleitoral de 2016”. Mas agora Caio tem uma ótima desculpa para ficar calado: está de férias.

2.

O acobertamento do acobertamento

Às 17 horas do dia 11 de setembro de 2012, o presidente Barack Obama foi "brifado" cara a cara pelo secretário de defesa Leon Panetta e pelo general Martin Dempsey sobre o ataque que estava acontecendo ao Anexo da CIA em Benghazi, local que vinha sendo utilizado para o tráfico internacional de armas, sendo que um dos objetivos da Missão Especial americana atacada teria sido recuperar aquelas fabricadas pelos EUA, justamente para acobertar o fato (em pleno ano de eleição) de que elas haviam sido fornecidas pelo próprio governo Obama aos insurgentes sírios, entre os quais constavam terroristas da Al Qaeda.

[Não era, como se vê, uma missão muito tranquila, não é mesmo? Qual terrorista gosta de devolver os brinquedinhos que ganhou de presente? Há quem diga que eles ficaram um tantinho irritados com a desfeita.]

Após o "briefing", Obama foi jantar na Casa Branca e depois seguiu para uma videoconferência, que já estava marcada, com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. A principal assessora de Obama, Valerie Jarret, estava presente à reunião, que durou cerca de duas horas, e antes que Obama saísse de lá para até-hoje-ninguém-sabe-onde, ela teria ido diretamente para a Situation Room, a moderna e superequipada sala de reunião da Casa Branca, onde Panetta, Dempsey e outros altos oficiais americanos monitoravam o ataque na Líbia.

A misteriosa ordem para que as forças militares próximas a Benghazi permanecessem em seus lugares, em vez de tratarem de salvar os compatriotas sob ataque e matar uns tantos terroristas da aliada da Al Quaeda, Ansar Al Sharia, teria vindo justamente de Valerie Jarret, segundo informa o Conservative Report, em mais uma revelação bombástica sobre a história mais mal-explicada do governo Obama (e olha que a concorrência é imeeeeeensa!...).

Agora: se Valerie foi ao Situation Room sob as ordens do presidente ou simplesmente porque estava com uma incontrolável vontade de assistir a Panetta e Dempsey jogando seus videogames de última geração, só Valerie e Obama poderiam esclarecer. Mas autoridade para dar aquela ordem, ainda mais passando por cima de um secretário de defesa e de um general, ela não tinha, nem tem. Quem tem é ele, claro: o primeiro negro transparente intransparente a ocupar a presidência dos EUA.

Aquele que é obrigado a acobertar as próprias operações de acobertamento.

[Leia também: "Desperation in the Benghazi Coverup", no American Spectator.]

3.

Este é o brinquedinho que estava à disposição do governo Obama em Trípoli para evitar a morte de alguns de seus governados - o meu querido AC-130U Spooky:


Ele contém armas sincronizadas com os designadores a laser dos agentes em terra. Um deles, morto no ataque, teria designado os alvos inimigos com seu próprio laser, na esperança de que o brinquedinho viesse em seguida pelos ares distribuindo umas bombinhas assim teleguiadas. Mas não veio. E o laser usado pelo agente só teria servido para revelar a sua própria localização. Muito legal deixá-lo na mão, não é mesmo?

Agora conheçam Valerie Jarret, este amor de pessoa, como aliás todas as mais próximas de Obama:


Traduzindo para quem não entende o verdadeiro inglês obamista:

"Vâmu pegá geral, parceiro! Tá dominado! Tá tudo dominado!"

Parte II: Brasil

1.

[Sobre a reportagem do Globo "Ninjas querem verba oficial para sobreviver":]

Mídia Ninja é isso: gente descolada que comemora invasão, que respeita a trajetória de José Dirceu, que não vê problema em buscar dinheiro público e ainda posar de independente.

Uma Carta Capital moderninha, de laptop na mochila.

Tudo fio da mesma barba, companheiro. E o que não falta é barbudinho otário pra ir atrás.

2.

[Segue trecho da entrevista dos ninjas no Roda Viva, da TV Cultura. Quem não tiver paciência pode pular para meus comentários feitos em tempo real:]

Suzana Singer – O que vocês acham dos atos de vandalismo?

Bruno Torturra – Olha, eu estive presente em (sic) vários deles, a gente transmitiu ao vivo, a gente foi muito bem recebido pelo próprio Black Bloc, que não achou nada ruim que a gente transmitisse ao vivo tudo o que eles estavam fazendo…

Wilson Moherdaui – Vocês acham isso bom?

Bruno Torturra – Não é uma questão de achar bom ou de achar ruim. A minha motivação, quando estou na rua, não é a mesma do Black Bloc. Eu não me identifico com a destruição de vidraças…

Suzana Singer – Mas você condena esse tipo de ação?

Bruno Torturra – Eu acho que a discussão é um pouco mais complicada do que isso. Para a gente dizer se dá para condenar ou não uma ação do Black Bloc, a gente tem de discutir, antes, a prioridade, inclusive midiática, e o escândalo que a sociedade sente quando um vidro é quebrado, quando o patrimônio de um banco é quebrado, e a gente não tem a mesma reação, e a gente não encara da maneira escandalizada, quando o cidadão é agredido. A gente tem confundido muito. Tem gente achando que é muita violência…

Suzana Singer – Você tem de discutir a cobertura da mídia antes de discutir se e válido ou não [depredar]?

Bruno Torturra – Não, não é a cobertura da mídia; é a própria visão da sociedade em relação ao que o Black Bloc faz. O que a gente tem de entender é que são jovens que sofrem violência há muito tempo. A maioria deles não confia no estado…

Mário Sérgio Conti – Isso é apuração ou suposição sua…

Burno Torturra – Isso é apuração…

Mário Sérgio Conti – Eu não vi entrevista deles falando isso nas coisas que vocês mostraram.

Bruno Torturra – A gente transmitiu ao vivo várias delas. Por exemplo, tem um jargão do Black Bloc que deixa muito claro… Que eles falam, por exemplo, que “vândalo é o estado”. Não é o que eu necessariamente concordo (sic). Mas eu consigo entender de onde esse pensamento vem. Consigo entender que o jovem que apanha da polícia ou que respira gás lacrimogêneo, que é uma substância altamente tóxica…

Suzana Singer – E o que saqueia loja?

Bruno Torturra – O que saqueia loja, eu acho que é uma outra coisa também… Eu acho que o Black Bloc, mais do que ser um movimento, ele é uma estética, ele é uma tática internacional, que tenta quebra símbolos do capital. Eu, particularmente, não me identifico com isso. Eu vou com a minha cara, eu tenho métodos totalmente pacíficos numa manifestação, mas eu… A gente poderia até discutir o valor, se é justo ou se não é justo. Mas eu acho que se dá muito pouco espaço para a gente discutir o que levou o Black Bloc a fazer isso. E, a partir disso, a gente consegue dizer se é justo ou não. Eu, particularmente, não me identifico com quebrar banco.

[Seguem abaixo meus comentários feitos em tempo real: do item 3 ao 8.]

3.

Bruno "Mídia Ninja" Torturra, o legitimador moral do Black Bloc, é como Francisco Bosco: ele nunca disse o que disse. Mas disse.

4.

Pablo Capilé diz que está próximo do Black Bloc. Gente boa.

5.

Lenin: "Xingue-os do que você é; acuse-os do que você faz."

Pablo Capilé: "A mídia seria mais honesta se assumisse a sua parcialidade."

6.

Quando filósofos do naipe de Bruno "Ninja" Torturra falam da "obviedade do fracasso da guerra às drogas" em um país governado por parceiros das Farc, eu penso o quão óbvio é o fracasso da "guerra" aos pirulitos em um país governado por crianças.

7.

O Brasil tem mais de 50 mil assassinatos por ano. O novo filósofo Bruno Torturra não vai falar da "obviedade do fracasso da guerra" aos assassinatos? Não vai pedir a legalização deles também?

Vamos lá, rapaz! Coragem!

Quem é ninja não tem medo de um país de 007.

8.

"Recurso público não é sinônimo de não independência."
(Pablo Capilé)

"Eu me sinto completamente independente para tratar de qualquer tema."
(Bruno Torturra)

"Eu não sabia de nada."
(Lula)

9.

Vamos ver se vocês estão mesmo espertinhos:

1) Quem considerou a entrevista dos ninjas Pablo Capilé e Bruno Torturra no Roda Viva um "acontecimento histórico"?

2) Quem elogiou a postura "pluriperspectivista" de Torturra e a linguagem "nada subserviente" de Capilé, que "falava 'sacou', toda hora, cagando para a expectativa de certo padrão linguístico"?

3) Quem acha que isso tudo "é o tipo da coisa que nos mostra que o Brasil está mudando sim (e não 'sim, senhor')"?

A) Ricardo Boechat
B) Eliane Brum
C) Luis Nassif
D) Leonardo Sakamoto
E) Emir Sader
F) Francisco Bosco
G) Arnaldo Jabor
H) Rui Falcão

Dica do dia: a resposta é a mesma para as três perguntas.

[E está no fim deste artigo, para quem não sabe ainda poder pensar mais um pouquinho.]

10.

Bom dia. Temos um empresário assassinado no Centro de Niterói; um casal de policiais militares, o filho de 12 anos e mais dois parentes mortos a tiros na zona norte de São Paulo; e aguardamos ansiosamente o pronunciamento da turma de direitos humanos, incluindo o debate entre Marcelo Freixo e Luiz Eduardo Soares, os artigos de Francisco Bosco e Leonardo Sakamoto, a reportagem de Fernando Gabeira na Globo News, as camisas de Pablo Capilé com os dizeres "Quem matou Alex Mariano?" e a de Bruno Torturra com "Quem matou Luis Marcelo Pesseghini e família?", além de manifestações de rua com a cobertura do Mídia Ninja - este órgão independente, livre e imparcial que se interessa por cadáveres tanto de empresários e PMs quanto de pobres "Amarildos" da favela; confere, produção?

Ótimo! Sabia que podia contar com vocês.

Marcos Daniel Parece que o menino matou a família e se suicidou, por incrível que pareça.

Felipe Moura Brasil Essa hipótese era considerada desde o começo, conforme já mostrava a reportagem indicada no link [e não foi por outro motivo que escrevi "mortos a tiros" e não assassinados, já que ao menos um deles poderia ter cometido suicídio]. Mas sabe como é: no caso Amarildo, ninguém esperou a conclusão da investigação pra chorar pela suposta morte do rapaz e se pronunciar contra a polícia. Coração de esquerdista é assim: só se comove com os cadáveres que servem à causa. De modo que, se foi o menino, vocês já sabem: a culpa terá sido das armas...

11.

Mais um autêntico eleitor de Marcelo Freixo.
[Veja o apoio declarado aqui, na página do político do PSOL.]


Felipe Moura Brasil Esses comentários do Latuff me lembraram o vídeo abaixo, de 25/10/2010, em que o filósofo Olavo de Carvalho, aos 6 minutos, lê um trecho do que escreveu Lobão: "O Lula não serve nem nunca serviu para ser presidente. É otário ou canalha." Em seguida, Olavo corrige e comenta: "As duas coisas, Lobão! A canalhice não é impedimento à estupidez e vice-versa. Na Bíblia, já está lá que a astúcia demoníaca é substitutivo da inteligência. Quer dizer: o Lula é burro e astuto ao mesmo tempo. Ele tem aquela astúcia de bandidinho."



A propósito: O novo livro do Olavo de Carvalho, do qual sou o organizador, já está em pré-venda nas livrarias virtuais da Travessa, da Cultura, da Saraiva, da Folha etc. Não perca: "O mínimo que você precisa para não ser um idiota". Trecho do texto da orelha:

"(...) O pensamento de Olavo de Carvalho, corajoso, independente, original e esclarecedor, ademais costurado por uma prosa de estilo único, é aqui beneficiado pelo extraordinário trabalho de Felipe Moura Brasil, cuja organização primorosa – ao que se somam o texto de apresentação e as centenas de notas – oferece os melhores instrumentos para uma leitura que ao mesmo tempo provoca e apraz. (...)"



[Para divulgar no facebook, compartilhe este post.]

12.

Em tempo: a cineasta Beatriz Seigner deu uma bela desmascarada nos métodos do ninja Pablo Capilé e de seu coletivo Fora do Eixo. O depoimento original, longuíssimo, está aqui. Reinaldo Azevedo destacou os trechos mais relevantes aqui. Só tenho uma pergunta: haverá algo mais natural e sintomático de um progressista tipo Capilé do que considerar os livros "tecnologias ultrapassadas"?

Esquerdismo é isso, ora: o progresso da incultura.

13.

Para ter uma opinião sobre qualquer assunto, manda a honestidade intelectual que o sujeito conheça ao menos os motivos declarados pelos quais os maiores representantes da corrente adversária têm a opinião oposta.

Se um amigo seu, portanto, que é a favor do aborto, do casamento gay, da legalização das drogas, das cotas raciais, do assistencialismo, do aumento do Estado ou de qualquer outro quesito do kit-esquerdista vier porventura falar mal dos conservadores, reacionários, direitistas, "caretas", "ultrapassados", "fascistas", "fanáticos" etc., pergunte caridosamente:

- Mas você tem alguma ideia dos motivos de eles serem contra? Sabe repetir seus argumentos? Que obras desses autores você leu?

Dito isto, não esqueçam de gravar a resposta e depois colá-la aqui para a gente se divertir mais um pouco.

Bom dever de casa, crianças!

****

[Resposta do item 8: letra F, é claro. Lembra dele?]

PRÉ-VENDA DO LIVRO MAIS ESPERADO DO ANO: Da obra de Olavo de Carvalho, organizado e apresentado por Felipe Moura Brasil, "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota"

[Pós-escrito de 21 de agosto de 2013: O livro já está nas lojas. Veja notícias e fotos - aqui.]



COMEÇOU A PRÉ-VENDA DO LIVRO MAIS ESPERADO DO ANO.

Da obra de Olavo de Carvalho, organizado e apresentado por Felipe Moura Brasil, pela Editora Record: "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota". Garanta já a sua cura - e faça essa caridade para os seus amigos.

Na Travessa:

http://www.travessa.com.br/O_MINIMO_QUE_VOCE_PRECISA_SABER_PARA_NAO_SER_UM_IDIOTA/artigo/adac13bb-6f02-47d8-a1dc-61364117de37

Na Saraiva:

http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/5093597/o-minimo-que-voce-precisa-saber-para-nao-ser-um-idiota/

Na Cultura:

http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=42136781&sid=0167922421579335006436867

Na Folha:

http://livraria.folha.com.br/catalogo/1206056/o-minimo-que-voce-precisa-saber-para-nao-ser-um-idiota

...e nas melhores casas do ramo.

[Nas livrarias, fisicamente, estará à venda no dia 16 de agosto, mesma data em que começará a ser vendida a versão digital em e-book.]

Contamos com a sua divulgação, porque são tantos jornalistas desmascarados no livro que não podemos esperar muito deles...

Para divulgar no facebook, compartilhe este post.

Obrigado!

http://felipemourabrasil.com.br/



Segue o texto da orelha, escrito pelo valente editor Carlos Andreazza, que não tem medo da patrulha dos canalhas:

Há tempos que a obra jornalística de Olavo de Carvalho – o maior filósofo brasileiro – merecia uma leitura como esta, lapso intelectual imperdoável, a que só mesmo a organização de um livro como este poderia responder.

Escritos entre 1997 e 2013 e publicados em diferentes jornais e revistas do país, os 193 textos aqui selecionados, artigos e ensaios de consistência e profundidade só muito raramente esboçadas na imprensa nacional, esmiúçam os fatos do cotidiano – as notícias, o que nelas fica subentendido, ou que delas passa omitido, o centro das questões, o que verdadeiramente importa e implica – para afinal destrinchar, sem dó, a mentalidade (ou seria cegueira?) brasileira e sua progressiva inclinação pelo torpor e pela incompreensão.

O pensamento de Olavo de Carvalho, corajoso, independente, original e esclarecedor, ademais costurado por uma prosa de estilo único, é aqui beneficiado pelo extraordinário trabalho de Felipe Moura Brasil, cuja organização primorosa – ao que se somam o texto de apresentação e as centenas de notas – oferece os melhores instrumentos para uma leitura que ao mesmo tempo provoca e apraz.

Com este "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota", a Editora Record publica apenas uma pequena fração – uma pequena, mas estupenda fração – do que é a colossal e brilhante obra de Olavo de Carvalho, livro que se pretende, portanto, pontapé inicial para outros que virão.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

O poder dos psicopatas sobre as pessoas normais

"Para derrubar o psicopata, mostre que ele é fraco;
o histérico, que ninguém gosta dele." 
(Olavo de Carvalho)

"O mérito ofende, porque marca uma diferença.
O sucesso do incapaz, ao contrário, espalha uma esperança."
(Olavo de Carvalho)

"O comunismo foi inventado pelo diabo em pessoa,
para fazer da humanidade uma cobra que se come pela cauda."
(Olavo de Carvalho)

Notas do filósofo Olavo de Carvalho, organizadas por Felipe Moura Brasil.

[Dicas: Definição de comunismo: item 17. Papa Francisco no Brasil e o "coração do problema": item 22 em diante. Fraude do Hino Nacional Brasileiro: item 39.]

1.


Nota do Org.: Se você não acompanhou a surra moral e intelectual que Olavo de Carvalho deu no editor do portal Opera Mundi, Breno Altman, eis os links dos artigos, em ordem:

Breno Altman:Por que a direita odeia o Foro de São Paulo?

Olavo de Carvalho:Por que alguém gosta do Foro de São Paulo?

(também publicado no Mídia Sem Máscara)

Breno Altman: A mão que balança o berço da violência

Olavo de Carvalho:Filosofia de Breno Altman

[Com uma citação de Felipe Moura Brasil, para honra deste autor-organizador.]

Olavo de Carvalho:Breno Altman, de calças na mão

2.

Reinaldo Azevedo pergunta: Mas por que o pit bull de Zé Dirceu está rosnando?

[Ver o post de Reinaldo Azevedo: "Futuro carregador das quentinhas de José Dirceu resolve me atacar num texto em que defende os crimes do Foro de São Paulo. Faço um desafio ao valentão"]

Paula Costa Professor, lá pro Zé ele até pode ser um cão de guerra, mas perto do Sr. e do tio Rei, é um pinscher!!! Kkkkk

Olavo de Carvalho Ele é aspirante a chihuahua.

3.

O sr. Breno Altman está me chamando de liberal fascista. Tem razão. Sou também católico luterano, feminista machista, gay heterossexual e estalinista trotskista.

Isael Marcos de Araujo Cala a boca Olavo!

Olavo de Carvalho Isso seria tão bom, não é mesmo? É o sonho dourado de quem não tem resposta.

Luiz Guilherme Professor, o órgão responsável pela capacidade de raciocínio dos intelectuais de esquerda do Brasil é o ânus. Logo, quando alguém diz alguma verdade que lhes é impossível compreender, eles sofrem de terríveis dores anais e tem os rabos arrombados em decorrência do simples exercício de pensar.

Olavo de Carvalho Sim, esses sujeitos são a confirmação científica da teoria do Paulo Ghiraldelli sobre o parto anal.

Andrey Kotsifas O Mestre humilhando como sempre! Olavo, não enjoa ter de gastar energia e tempo para responder a asnos como o sr. Bruno?

Olavo de Carvalho Mas eles são a alegria da minha vida!

4.

Breno Altman não é judeu. É índio, cacique da tribo dos Tomonokús.

5.

Quando o sr. Breno Altman jura que tudo no Foro de São Paulo é público e transparente, sendo ele próprio um articulador de conversações secretas entre o governo brasileiro e as Farc, ele não é uma exceção. TODO comunista é um monstro de mendacidade. E não uso a palavra “monstro” à toa. Há uma diferença enorme entre a mendacidade vulgar e a mendacidade psicopática de comunistas, nazistas e tutti quanti. Leiam “Political Ponerology” do psiquiatra polonês Andrew Lobaczewski e compreenderão do que estou falando.

6.

O Foro de São Paulo é a maior corja de assassinos que já se viu na América Latina. Mas basta uma pedrada na vidraça (mesmo encomendada por eles próprios) e todos já saem fazendo beicinho, choramingando, chamando mamãe. A autopiedade exacerbada é característica infalível de criminosos psicopatas. Leiam o Andrew Lobaczewski. A conduta dos psicopatas no poder logo se espalha epidemicamente entre a militância histérica, e, ao mesmo tempo que se regozijam com os sofrimentos medonhos que impõem aos inimigos (não faltará entre eles quem faça piada do caso de Don Jaramillo), saem todos chorando juntos quando têm uma unha encravada, um furúnculo, um cocô entalado. Vejam o Lula, que, depois de chegar ao maior posto eletivo do país, ainda chorava ao falar da sua infância de menino pobre, coitadinho, mas não derramou jamais meia lágrima pelos 50 mil brasileiros assassinados anualmente. Moralmente, são monstros. Sobretudo são monstros quando imaginam, projetivamente, que queremos dar a eles o mesmo tratamento que vêm dando a seus adversários há quase um século, e, só de imaginá-lo, já nos acusam preventivamente.

7.

"As idéias são mais poderosas do que as armas. Se não permitimos que nossos inimigos tenham armas, vamos então permitir que tenham idéias?" (Josef Stalin)

8.

[Olavo curtiu a reportagem da Folha: "Manifestantes gritam contra PT, Lula e comunismo em frente a reunião do Foro de SP".]

9.

Quem paga a festa? Quem pagou durante 23 anos? As Farc? O governo brasileiro? O petróleo do sr. Hugo Chávez? Cadê os recibos? Cadê as notas fiscais? Cadê as autorizações de despesa?

Bráulio Mendes Arantes Professor, qualquer país em que o foro esteja presente pode solicitar auditoria?

Olavo de Carvalho Sim.

Rafael Vitola Brodbeck Mas o TCU está aparelhado!

Olavo de Carvalho Não são contas da união. É a contabilidade de uma instituição privada.

10.

"Caro professor Olavo,

Há algumas semanas, a Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo (CMSP), por ordem do seu presidente, o vereador petista José Américo, começou a preparar e divulgar o Seminário Internacional ‘Atuação Parlamentar na América Latina’. A lista dos participantes foi dada toda pronta pelo vereador, e incluía, entre outros:

- Nidia Diaz, deputada da Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional, de El Salvador;

- Dolores Padierna, senadora pelo Partido da Revolução Democrática, México

- Ana Elisa Osorio, deputada do Partido Socialista Unido da Venezuela,

- Gloria Inez Ramiraz, senadora do Partido Comunista Colombiano.

Além dos internacionais, todos os demais participantes eram da extrema esquerda, como se pode ver pelo cartaz do evento, que segue anexo.

O fato é que, poucas horas antes do seminário, que seria realizado no dia 1º de agosto, os organizadores foram surpreendidos com a notícia de que NENHUM dos parlamentares compareceria ao evento. Ficaram sem saber o que dizer aos pouco mais de 200 inscritos. Por fim, o evento acabou acontecendo, com substitutos que não se sabe ao certo de onde vieram, mas sem nenhum dos convidados originais.

Os organizadores do evento acreditam que foram feitos de trouxas, e que o seminário foi apenas uma fachada para que os parlamentares pudessem vir a São Paulo participar do Foro de São Paulo com hospedagem e translado pagos pelos seus próprios países. Até onde sei, não houve gastos pagos pela Câmara.

Enfim, eis aí uma das possíveis respostas para a pergunta ‘Quem paga?’, título de um recente artigo seu.

Peço novamente que, se houver algum interesse nesta denúncia, que ela seja utilizada sem que seja citado meu nome."

Gracita Salgueiro Olavo, a senadora Gloria Inés Ramírez veio sim para o encontro do Foro de São Paulo, pois tenho uma entrevista que ela deu daqui do Brasil. Leia aqui.

11.

Vocês já notaram a quantidade de sujeitos que aparecem no Facebook dizendo que não sou filósofo de maneira alguma, mas nunca contestam ou discutem uma só afirmação filosófica que eu tenha feito nos meus livros ou cursos? É uma epidemia de blefes como nunca se viu no mundo. Eu gostaria imensamente que cada um desses, em vez de dar uma agulhadinha e sair correndo, em vez de arrotar superioridade desde uma confortável e bem protegida distância, puxasse alguma discussão filosófica comigo para provar assim a minha completa inépcia.

Na verdade, já lancei um desafio público para que essas criaturas tão superiores se reunissem numa equipe de quarenta e, juntas, me desafiassem para um debate filosófico. Não apareceu ninguém até agora. Se têm tanta necessidade de fazer-me passar por incompetente, por que não demonstram a minha incompetência em vez de apenas insinuá-la sem necessidade de provas? Por que será? Fica portanto aqui renovado o convite.

O sr. Breno Altman é o primeiríssimo que teria a obrigação de demonstrar, em discussão sobre algum tema filosófico, a minha incompetência na matéria, já que ele se julga tão qualificado para me julgar desde cima. Que tal, seu bosta? Quer discutir as categorias de Kant, a lógica de Aristóteles, a fenomenologia de Husserl, a dialética trágica de Nietzsche, o quê? Vale até a noção de ideologia em Marx. Escolha, seu filho de uma puta, e tente ser homem ao menos uma vez na sua porca vida. Pelo menos tente.

Gracita Salgueiro Esta gentalha é mestra em jogar a pedra e esconder a mão.

Olavo de Carvalho Peço a todos os leitores desta página que postem este convite [do último parágrafo] no Opera Mundi, para que o cagão não alegue ignorância.

12.

Além de espalhar toda sorte de invencionices e lendas urbanas a meu respeito, os devotos do sr. Altman estão agora recorrendo ao expediente de postar mensagens assinadas falsamente com o meu nome. Uma delas acaba de aparecer no site Brasil 247. Meus leitores mais experientes reconhecerão facilmente a diferença de estilo, mas alguns dos mais novos podem-se deixar enganar.

Fatima Marques Meu Deus, Olavo, essas pessoas jogam baixo demais! Por que você não os processa? É crime fazer isso...

Olavo de Carvalho Você tem razão, mas, da distância em que estou, fica difícil arranjar um advogado no Brasil para fazer isso.

13.

O sr. Giancarlo Summa, sumidade petista, aquele mesmo que em carta ao Globo jurou que o Foro de São Paulo era apenas um clube de debates sem alcance decisório ou estratégico, sendo em seguida devidamente desmascarado como mentiroso, postou na página do sr. Breno Altman a seguinte referência à minha pessoa. Reparem na meiguice das palavras finais que ele dirige ao sr. Altman:

"Flibusteiro! Bucaneiro! Marinheiro de água doce! Subprojeto de ectoplasma! Babuíno microcéfalo! Quem me dera lembrar de todo o repertório do Haddock! Falando sério: ele não vale nem mesmo um segundo que você gaste com ele. Beijos carinhosos."

Olavo de Carvalho Vejam quem é o merdinha: “Qualquer coisa e o sr. Summa".

14.

A mensagem do sr. Summa aparece agora na página do sr. Altman com o nome do remetente trocado para "Bebel Enge", obviamente fake.

15.

Marcos Dutra Vejam os podres do Emir Sader... e ainda vai ser senador! ["Quanto vale o show de Emir Sader"]

Olavo de Carvalho O Raul Reyes, comandante das Farc, informou em entrevista à Folha que o distinto Marquês de Sader era um dos principais elos de contato entre aquela organização criminosa e o governo federal brasileiro.

16.

Mírian Macedo Merda quanto mais mexe mais fede. Opera Mundi e George Soros juntos, alguém se espanta? [Vídeo “A prova – Libertar.in”]

Olavo de Carvalho Há milênios só o que sai do cu sem ter lá entrado é merda. Não houve nenhuma inovação no setor.

17.

Mírian Macedo Professor, o tal grupo de Marbella, que se reuniu no Chile em maio de 1997, é prova de que comunistas são sem-vergonha e sabem usar o capitalismo para atingir seus objetivos políticos. No momento mesmo em que vociferavam contra políticas neoliberais, lideranças esquerdistas da América Latina decidiam fazer exatamente aquilo de que acusavam os FHCs de fazer: privatizações, aumento da carga tributária e substituição do imposto sobre a renda pelo imposto sobre o consumo (o que penaliza fortemente a classe pobre). Isto em 97, antes mesmo de ser oficializada a candidatura de Lula contra a reeleição de FHC. A Carta aos Brasileiros, de 2002, já estava escrita cinco anos antes. Com tua lucidez e informações, esclarece para nós o que significa Marbella no projeto revolucionário e como o grupo reunido no Chile se conecta com a estratégia do Foro de São Paulo. Achei estas informações na internet. [http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/0638/noticias/o-vermelho-esta-ficando-rosa-m0050860; http://home.comcast.net/~pensadoresbrasileiros/RobertoCampos/tres_conversoes.htm; http://www.revistaoutubro.com.br/edicoes/03/out3_10.pdf; http://www.youtube.com/watch?v=px7nPh8GGIY]

Olavo de Carvalho Há um século a política econômica comunista, como aliás também a capitalista, é um vaivém entre estatização e privatizacão. Nunca vai sair disso, porque tomadas em sentido extremo as duas coisas são impossíveis. Quem acha que o oposto de comunismo é livre mercado não entende PORRA nenhuma do assunto. Comunismo NÃO é um sistema econômico, é um projeto de poder mundial e de destruição civilizacional que, a cada momento, usará as políticas econômicas mais oportunas, girando 180 graus, se preciso, com a maior cara-de-pau. Marx, por exemplo, era um grande apologista do livre comércio internacional, que a esquerda hoje em dia abomina (mas do qual tira vantagem).

Olavo de Carvalho Você nunca viu um comunista demonizar o livre comércio e ao mesmo tempo dizer que a culpa da miséria cubana é do embargo? Quando o sujeito quer se enganar a si mesmo para melhor enganar os outros, vale tudo.

Olavo de Carvalho Comunismo é algo que está entre psicopatia e obsessão demoníaca, nos dois casos liberando a mente de toda escrupulosidade moral e intelectual.

Marta Serrat Sure, professor. Eles fazem qualquer coisa por esse poder tão desejado. E por falar nisso se alguém tiver mais notícias sobre Passadena, nos avisem ou avisem ao MPF: “O Fim de Lula e Dilma: Escândalo Bilionário na Petrobras é Maior Que o Mensalão”.

Olavo de Carvalho Escândalos, por si, não derrubam governos, às vezes nem mesmo arruínam reputações. Só o fazem quando há uma autoridade superior capaz de punir os culpados. No Brasil não há autoridade superior exceto a dos próprios culpados. As Forças Armadas talvez sejam uma, mas, até o momento, só no reino das possibilidades teóricas.

Olavo de Carvalho A luta comunista não tem a eficiência de um plano racional, mas a de uma exploração astutamente racional e fria (ela própria psicopática) da irracionalidade. O comunismo expande-se não como um sucesso crescente, mas como uma epidemia de insanidade incontrolável, que tanto mais se aplaude e angaria aplausos quanto mais majestosos os fracassos que produz. O poder de persuasão comunista não deriva de uma superioridade argumentativa ou mesmo propagandística, mas da força penetrante, atemorizante e hipnótica que os psicopatas têm sobre as pessoas normais.

Olavo de Carvalho Contra o fascínio comunista, só uma coisa funciona: o desmascaramento psicológico, a humilhação constante, repetida e impiedosa. O psicopata não tem senso moral interno, mas é hipersensível à humilhacão pública, à revelação dos seus ardis psicológicos mais secretos.

Olavo de Carvalho Quando um sujeito desses sente que suas artimanhas psicológicas estão falhando, ele não tem mais remédio senão abandonar o ringue, ao menos temporariamente. Mas, se você se engalfinha com ele numa discussão de "idéias" ou de "propostas", só o está ajudando a dar mais verossimilhança à farsa psicológica que é o terreno onde ele se sente melhor.

Marta Serrat Entao, creio que nao teremos salvação porque muitos dentro das Forças Armadas estao vendidos atraves de cargos na organizacao e seguranca da Copa e aumentos salariais. Estamos tao desesperancosos que a sensacao e que em qualquer lugar da terra que possamos nos esconder desse pesadelo vermelho todos os caminhos nos levarao ao caos. Para aqueles que nao querem se esconder esta reservado o caminho do nada a coisa nenhuma porque ninguem sera capaz de um levante popular contra os esquerdopatas.

Olavo de Carvalho Não sei avaliar isso. Perdi todo contato com militares brasileiros desde que vim para os EUA. Quem está no Brasil sabe mais a respeito do que eu.

Marta Serrat Em relação ao penúltimo comentário. Então não dê mais bola para o Altman, ne? É isso que eles querem, se eu entendi bem, professor.

Olavo de Carvalho O Altman já teve a quota de humiliação necessária, agora ele está revirando catálogos farmacêuticos em busca de remédios para hemorróida moral.

Olavo de Carvalho Mas, aliás, tipinhos como o Altman são a alegria da minha vida. Se não bato neles, vou bater em quem?

Olavo de Carvalho Exemplo de humilhação que funciona, que a "direita", doente de bom-mocismo, jamais usa: Durante as campanhas eleitorais, ninguém perguntou ao Lula por que ele continuava falando errado como o povão mas aprendera a se vestir como um grão-senhor, até aparando a barba e polindo as unhas. Exibi-lo em público como um consumista fútil e meio bichoso teria demolido a segurança psicológica dele.

Olavo de Carvalho Conheço bem a vaidade psicopática, estudei o assunto com muito cuidado. O falecido Getulio Bittencourt (que foi assessor de imprensa do Tancredo Neves) veio uma vez se queixar de que no seu programa de TV um certo entrevistado, politiço famoso, sempre o derrotava por ser um cara de pau, um tipo coriáceo, moralmente insensível. Ensinei-lhe um truque que, no programa seguinte, quase fez o sujeitinho chorar de vergonha. Não vou dizer o nome da criatura.

Olavo de Carvalho Quando falo em humilhação, é preciso que ela seja constante e repetida. Onde quer que o sujeito apareça, deve ser desmantelado psicologicamente de novo e de novo. Dei alguns exemplos de como se faz, reduzi mesmo algumas dessas criaturas a um longo silêncio, mas não posso produzir esse efeito na QUANTIDADE necessária. Seria preciso muito mais gente. Acho, por exemplo, que a enxurrada de mensagens arrasadoras na área de comentários dos artigos do Altman teve um efeito muito bom.

Olavo de Carvalho Muitos dos tagarelas comunistas, como explica o Dr. Andrew Lobaczewski, não são psicopatas, são apenas seus imitadores histéricos. Estes podem ser atemorizados mais facilmente, pois têm uma carência afetiva real e necessitam de aprovação. Dona Dilma, por exemplo, não é psicopata e por isso mesmo é bem vulnerável. Já o Zé Dirceu...

Olavo de Carvalho Para derrubar o psicopata, mostre que ele é fraco; o histérico, que ninguém gosta dele.

Olavo de Carvalho Tive a satisfação de mostrar em público a fraqueza do João Pedro Stedile, na terra dele e diante de uma platéia de seus seguidores. Depois disso ele sumiu do palco por uns bons tempos. Perdeu metade do gás. Mas não posso estar fazendo isso a toda hora com todo mundo, Precisamos de uma indústria da humilhação.

Olavo de Carvalho Mas, atenção: todo esquema de domínio funda-se no tripé poder-riqueza-prestígio. A técnica da humilhação funciona contra o prestígio, bloqueando às vezes o acesso de um fulano aos outros dois elementos ou até dificultando o uso que possa fazer deles. Mas, em princípio, não funciona contra o poder e a riqueza já adquiridos.

Olavo de Carvalho Também, caraio, não tenho solução para tudo...

Marta Serrat Ainda a respeito do consumista fútil e bichoso professor. O senhor recebeu meu e-mail a respeito dos relogios da presidente? Estou de olho em um relógio de ouro que ela tem usado.

Olavo de Carvalho Não use esse relógio perto do Renan Calheiros.

Marta Serrat kkkk. Mas e a presidente que anda espreitando o Renan com esse relógio no braço. Acho que isso não vai dar certo de qualquer jeito. Ou o Renan acaba com ela ou seu relógio.

Marta Serrat Amigos. Estou apenas curiosa para saber se esse relógio foi comprado com os recursos pessoais dela, se usou cartão corporativo ou se ganhou de presente de alguém interessante.

Olavo de Carvalho Ele não conhece a diferença entre essas coisas.

Pedro Agudo E contra quem já é rico e possui o poder...? Fudeu? xD

Olavo de Carvalho Pode-se expulsá-lo da arena pública, mas não impedir que ele use o poder e o dinheiro por vias mais discretas. Aí é preciso outros remédios.

18.

Sobre a matéria do Opera Mundi “História provou que democracia é melhor fonte para esquerda chegar ao poder, diz Lula”:

Olavo de Carvalho Lula tem razão ao dizer que a democracia é o melhor meio de a esquerda chegar ao poder. E quem precisa dos meios depois que atingiu os fins? Essa é a diferença essencial: para uns, a democracia é um fim, para outros é um meio.

19.

Leitor Mestre Olavo, veja que pérola... [“Venezuela afirma que América Latina deve optar entre ‘socialismo ou barbárie’”]

Olavo de Carvalho Tudo depende de saber se o "ou" designa uma alternativa ou uma sinonímia.

20.

[Olavo curtiu o depoimento de Felipe de Freitas:]

“Assisti ao documentário ‘Inside North Korea’ do National Geographic. Perto dos ditadores daquele país miserável, a Dilma é o Papai Noel com uma tonelada de presentes. Se o povo brasileiro não abrir o olho de verdade, o futuro será uma merda dessas.”

21.

Marta Serrat Será que se eu deixar de pagar meus impostos o governo vai perdoar minha dívida? [“Patriota anuncia perdão de 98% da dívida da Guiné”]

Olavo de Carvalho Se você apresentar carteirinha do PT ou de algum partido comunista estrangeiro, pode ser.

Marta Serrat Ah tá. E se eu disse que sou prima do Nassif? Tá valendo?

Olavo de Carvalho Pode funcionar.

Marta Serrat kkk. O Brasil ja perdoou a dívida do Congo e continua enfiando dinheiro em Cuba. Alguém tem que parar isso.

Olavo de Carvalho O dinheiro já vem na cueca. Dali para Cuba é menos que um pulinho.

22.

Não sei se toda a análise do Carlos Reis está certa [ver o vídeo “Quem é o Papa Francisco”], mas uma coisa é inegável: o silêncio sobre a questão do aborto foi obsceno. O Papa poderia ter tentado ao menos mudar o curso das coisas, mas NÃO QUIS. Em todo caso, e a despeito desse episódio em particular, sempre considerei que essas lutas parcelares, baseadas seja em pontos específicos da moralidade cristã, seja em interesses grupais legítimos ou ilegítimos, são absolutamente inúteis e destinadas ao fracasso, principalmente quando se voltam ao esforço de bloquear ou mudar certos projetos de lei específicos, evitando ou contornando a questão central, que é a do PODER.

Essas lutas são boas numa democracia normal, onde as regras gerais do jogo são estáveis e só resta resolver pontos de detalhe - uma lei, um projeto de orçamento, um programa social, etc. No Brasil essa estabilidade normativa não existe, não há ordem constitucional nem legal, há apenas o arbítrio do poder central com o Foro de São Paulo por trás. O que tem de ser combatido não é portanto este ou aquele projeto, este ou aquele programa, mas o sistema inteiro do poder petista-comunista. Por mais respeitáveis que determinadas causas parcelares sejam em teoria, todo esforço dedicado a elas, se desligado de uma estratégia geral anticomunista, é perda de tempo e gasto vão de energia. Reflete apenas a falta de consciência política de grupos que se apegam a detalhes por serem covardes ou estúpidos demais para enxergar o quadro geral e lutar na escala maior. Alguns desses grupos, especialmente religiosos, são culpados daquele misto de orgulho e pusilanimidade em que o sujeito se faz de superior à briga na qual tem medo de entrar.

Com Papa ou sem Papa, a causa anti-abortista, como a causa antigayzista, ou anti-reservas indígenas, ou anti qualquer outro empreendimento governista em particular, nunca teve chance, justamente por tentar roer pelas beiradas para não ter de tocar no coração do problema. O próprio fato de os grupos de oposição se limitarem a causas específicas e evitarem a luta essencial já é, ele próprio, sintoma e parte integrante da hegemonia comunista, que destitui os adversários do direito e da possibilidade de ter um discurso ideológico próprio, reservando-lhes o escaninho menor das reivindicações de detalhe. Esses adversários caem como patos, apegando-se aos seus discursos parciais e até se orgulhando de ser "apolíticos" ou (ilusão mortal) suprapolíticos.

Se os comunistas estão no poder, entrar numa disputa parlamentar com eles, sobre este ou aquele ponto em particular, resulta simplesmente em legitimá-los e consolidá-los no poder, de modo que qualquer vitória específica que você obtenha contra eles hoje será sempre neutralizada amanhã ou depois. Digo isso há pelo menos quinze anos, mas os militares não me ouvem porque sou civil, os protestantes porque sou católico, os católicos porque acham que não sou tão católico quanto eles, os burgueses porque não sou gente fina como eles, e assim por diante. Cada um se apega a pretextos levianos oriundos do puro orgulho grupal para recusar conselhos certos e bem fundamentados.

Quantas derrotas ainda terão de sofrer para compreender o óbvio?

Olavo de Carvalho Às vezes eu me sinto como um médico que tenta salvar um paciente terminal e vê que este gasta suas últimas energias pare recusar valentemente o remédio.

Fabio L. Leite A escala do mal é tão grande que, para a maioria que não costuma pensar ou sentir nessa escala, se assemelha mais provável um indivíduo estar errado do que algo assim existir.

Olavo de Carvalho Sua expressão é obscura mas sua intuição é certeira.

Fabio L. Leite Tentando esclarecer então. Na minha experiência de tentar explicar sobre o Foro e o movimento revolucionário o que eu já recebi como resposta de diferentes pessoas é simplesmente: "Não é possível que seja assim", ou "Se querem isso mesmo, com certeza não vão conseguir porque isso é impossível". A primeira é a aposta de que é mais provável que o informante, no caso eu, esteja errado do que a existência de um movimento de pessoas absolutamente obcecadas pelo poder. O segundo é o tal problema de "escala". As pessoas simplesmente estão convictas de que metas de vida maiores do que as direcionadas para a administração e realização de questões pessoais são irrealizáveis por natureza.

Fabio L. Leite E olha que eu passo os vídeos e documentos. Como vivemos a época do 'big data", a inundação de dados que não chegam a serem consolidados em informação, as pessoas simplesmente os colocam na categoria de "provavelmente estes dados estão sendo interpretados de forma errada".

Olavo de Carvalho Essa história de "eles não vão conseguir" erra o alvo por muitos quilômetros. O problema não é o que eles vão conseguir, mas o que nós vamos perder. Comunistas nunca conseguiram nada, mas pelo caminho vão arruinando tudo o que encontram pela frente. E vivem dessa ruína.

Olavo de Carvalho A economia comunista é impossível. Isso já foi demonstrado pelo von Mises em 1922. Mas não é nada impossível, nem aliás difícil, transformar o capitalismo num inferno em nome dela.

Olavo de Carvalho Marx dizia que a primeira fase do comunismo seria a do "capitalismo cru", em que, despido de suas compensações éticas, religiosas, etc., o capitalismo mostraria sua face mais brutal de pura ladroagem e comércio de carne humana. A economia soviética foi exatamente isso. A mesma coisa na China, no Camboja, etc. Como a passagem à economia comunista stricto sensu é impossível, fica sempre nessa merda ou volta tudo a um capitalismo mais saudável, mas agora numa sociedade já corrompida pelo comunismo. Um ciclo infernal.

Olavo de Carvalho O comunismo foi inventado pelo diabo em pessoa, para fazer da humanidade uma cobra que se come pela cauda.

Douglas Ultramar Mas professor, será que ele [o Papa] sabe o que acontece no Brasil? Como ele iria saber se os nossos Bispos, que deviam assessorá-lo não têm a dimensão do tamanho do problema? Se o contato da Igreja com o governo se dá através do Sr. Gilberto Carvalho?

Olavo de Carvalho A Igreja é Mãe e Mestra, seu chefe tem um direito limitadíssimo de alegar ignorância. Desde 1962 ouço essa desculpa, e cada vez acredito menos nela.

Felipe Bellard A propósito, acabei de ver na Timeline de um petista próximo (acabei de me desapontar por reconhecê-lo como tal) um gráfico que demonstrava como o governo Lula havia erguido o IDH do país. Puta que pariu... As pessoas precisam comer um pote de Nutella recheado com fezes de mendigo para acreditar nisso. Se a classe média é esmagada contra a base da pirâmide econômica, é LÓGICO que os gráficos mostrarão homogeneidade. O que não significa que nem as classes C e D estejam se tornando capazes de comprar aparatos tecnológicos e nem que a classe média esteja deixando de precisar abrir mão de sua agenda socioeconômica e se limitar para sobreviver aqui na Banânia, digo, no Brasil. O pior é que as pessoas, não satisfeitas em sofrerem de analfabetismo funcional, ainda se mostram incapazes de fazer cálculos percentuais. E é então que decidem disseminar estas informações facilmente descartáveis e hordas incontáveis de primatas entram em concordância. Existe salvação, se não fugir deste lugar que vem, pouco a pouco, se transformando na antiga URSS?

Olavo de Carvalho Como é possível o IDH subir se o acesso a educação de qualidade e ao mínimo de segurança indispensável se reduz a cada dia?

Antonio Chacar Hauaji Sem se informar plenamente a respeito da situação do país, seria complicado o Papa falar do que não sabe - e por isso achei natural a possibilidade de ele falar apenas de maneira menos específica a respeito, como fez. (...)

Olavo de Carvalho Impossível. O Vaticano tem um excelente serviço de inteligência.

23.

[Em resposta a Flavia Tavares:]

Se o Papa pode falar contra o aborto em Roma, por que não pode fazer o mesmo no Brasil, justamente na ocasião em que ele está aqui e o Parlamento brasileiro está votando a respeito? Ser contra o aborto é uma coisa, outra coisa é omitir-se de falar a respeito num momento decisivo e no lugar onde isso é mais necessário.

Quanto aos índios, você parece julgar que são criaturas indefesas, continuamente perseguidas por brancos malvados. Nunca vi neste país UMA só notícia de violências cometidas por índios, que acontecem a três por quatro em toda a religião amazônica.

E acho que você é um tanto boba ao defender as reservas indígenas e ao mesmo tempo clamar contra a evasão de minérios. Não vê que as reservas existem precisamente para isso?

Flavia Tavares Respondo com as palavras do Papa Francisco em sua homília do dia 27/07/2013 na Catedral do Rio de Janeiro: "Chamados a promover a cultura do encontro. Em muitos ambientes, infelizmente, ganhou espaço a cultura da exclusão, a 'cultura do descartável'. Não há lugar para o idoso, nem para o filho indesejado; não há tempo para se deter com o pobre caído à margem da estrada." Mas, parece que só foi ouvido pelos que são movidos pela fé cristã. Talvez ele precisasse de um dicionário de "explicitamento" para se dirigir aqueles que estão sempre atrás de motivações "contra ou a favor".

Flavia Tavares Sobre a questão indígena, não será um bate papo no FB com ofensas que vai mudar a realidade do nosso país. Talvez seja melhor o senhor se aprofundar nessa questão tendo acesso a outros dados que não sejam os dos grileiros internacionais e dos "ruralistas" negociadores de indenizações milionárias.

Olavo de Carvalho Quando o aborto está sendo aprovado no Congresso, não é hora de aludir a ele mediante generalidades vagas que não incluem nem mesmo A PALAVRA "aborto", mas de falar o português claro. Você parece não saber o que é rodeio, circunlóquio, desconversa. Você é a típica imbecil católica que foge da realidade e se acha por isso um primor de fé cristã. É gente COMO VOCÊ que rejeita conselhos certos por achar que quem os trouxe não é um modelo de virtude cristã como você. Vá à merda, menininha presunçosa.

Flavia Tavares Hans Staden era um agente holandês, que publicou um livreco sem nenhuma base científica e cujas ilustrações definem bem toda a sua mentira. As pessoas que posaram para os desenhos eram europeias. Os modelos de "ocas" não existiam no Brasil. Foi a maior mentira que se contou sobre a história do Brasil. Essa grande encenação possibilitou os calvinistas, praticamente, dizimarem os índios do nordeste.

Olavo de Carvalho Um Papa não precisa de puxa-sacos, mas de fiéis sérios capazes de exigir dele as atitudes certas e apoiá-lo contra os inimigos. No Brasil ele se ocupou mais em evitar ferir os inimigos do que em proteger a vida de milhões de bebês que seráo assassinados em número cada vez maior.

Olavo de Carvalho O que sei da região amazônica não aprendi em Hans Staden mas em depoimentos diretos que ouvi lá. Praticamente toda a população ali é de origem indigena, mas só os "índios oficiais" têm proteção do governo e dos organismos internacionais. Ficam milionários ajudando estrangeiros a contrabandear minérios e depois se fazem de coitadinhos.

Flavia Tavares Pois pra mim o Papa foi bem explicito ao defender a vida e a família.

Olavo de Carvalho Você já esteve pelo menos uma vez na região amazônica? Tem parentes que vivem lá apavorados com os ataques de índios? Eu já estive e tenho.

Flavia Tavares Talvez as pessoas estejam mais acostumadas aos guinchos do Pastor Malafaia.

Olavo de Carvalho Não desconverse.

Marcos Yh Infelizmente sua santidade o papa Francisco, quando em questões relacionadas ao aborto no brasil, ficou devendo... Mas no vaticano ele se posiciona enfaticamente contra.

Flavia Tavares Marcos, ele falou contra o aborto e a favor da vida em várias ocasiões. A Igreja Católica é a igreja que cultua a VIDA.

Olavo de Carvalho Falou sim. Falou em todos os lugares onde o Parlamento NÃO ESTAVA decidindo a respeito naquele momento. Só não falou onde tinha de falar.

Flavia Tavares Como será que os indios se sentiram quando foram acossados e reduzidos de mais de 1 bilhão de indivíduos para um pouco mais de 800 milhões?

Olavo de Carvalho Números inventados. Mais inventados do que as histórias de Hans Staden.

Marcos Yh Flavia Tavares, pois é... justamente pela Igreja Católica ser a igreja que cultua a VIDA é que se esperava um pouco mais de pragmatismo por parte de Sua Santidade ao qual sabemos também cultuar a vida...

Flavia Tavares Bom, que eu saiba o Papa é um líder religioso que veio falar para os católicos e simpatizantes, não sabia que ele tinha voto no congresso nacional.

Olavo de Carvalho Vá à Amazônia e veja com seus próprios olhos. Os índios "desaparecidos" estão nas cidades e são contados comp brancos nas estatísticas. Não são "indios oficiais". Eu vi porque estive lá.

Marcos Yh Voto não tem mas poderia usar a influência a favor da vida em um congresso de maioria católica não?

Olavo de Carvalho Quando Pio XII fazia no rádio a campanha em defesa dos judeus ameaçados, ele estava falando para "os católicos e simpatizantes" ou para o governo alemão?

Olavo de Carvalho E até parece que no Parlamento não há "católicos e simpatizantes"

Flavia Tavares Ah, sim então na época em que Cabral veio ao Brasil não tinha mais de 1 bilhão de índios? Durante a ditadura militar eles não foram mortos ou expulsos das suas terras? Mas, não é o que milhares de pessoas afirmam.

Flavia Tavares Mas claro do que o Papa Francisco ser contra o aborto impossivel. É por isso que eu falo que vcs e o PT não tem muita diferença. Agora eu vejo que ambos são surdos.

Flavia Tavares Exato, Marcos, mas tem os que são contra, o que não é o caso da Igreja Católica.

Olavo de Carvalho Até o momento, só quem mostrou não ter resposta é você. Quem inventou os números do "morticínio" indígena no tempo dos militares foi o Christovam Buarque. Preciso dizer mais?

Olavo de Carvalho Essa menina já disse besteira demais e deu respostas de menos. Devo bloqueá-la?

Flavia Tavares É melhor sentar na cadeira e jamais participar de um debate com quem sabe alguma coisa, por menor que seja. Sou formada em História e direito.

Flavia Tavares A Igreja Catolica tem se posicionado sempre contra o aborto.

Olavo de Carvalho Lá vem ela exibir diplominha, Não seja ridícula. Ser formado em História numa faculdade brasileira quer dizer apenas que você não sabe nada.

Flavia Tavares Repetindo: Voces não querem um Papa, líder religioso. Querem um papagaio. [Ela mostra a foto "contra o aborto".]

Ney Gonçalves Eu não tenho nenhum dado na mão, mas 1.000.000.000 de índios massacrados por milhares de portugueses??? Nessa conta pergunto: Por que raios os portugueses não dominaram o mundo?

Flavia Tavares Ney, quem dizimou os índios foram os holandeses, franceses, espanhóis. Pelo contrário, os portugueses em várias regiões acolheram os índios. Por que você acha que nós somos esse povo mestiço?

Olavo de Carvalho Na época dos militares eu era de esquerda e acreditava nessa merda toda.

Flavia Tavares Sei mais do que o senhor imagina. Nunca me detive em apenas "livros de faculdade".

Flavia Tavares O senhor pode me bloquear se quiser. Já fui bloqueada pelo site dos Ateus e muito me orgulho.

Flavia Tavares Aliás, já compartilhei várias opiniões suas, mas não significa que lhe dou unanimidade.

24.

Sobre o post "El Martirio", da Diocésis de Arauca:

Olavo de Carvalho Vejam se é possível "discutir idéias" com teólogos da libertação. O que é preciso é contar o que fazem, arrancar a máscara santarrona que encobre a sua feiura indescritível.

Olavo de Carvalho Um só caso desses supera, em horror, todos os crimes da ditadura militar somados.

Olavo de Carvalho Quando se defrontarem com um Boff qualquer, cobrem dele a responsabilidade ideológica por essas e outras monstruosidades. Na Colômbia, vi hordas de camponeses expulsos de suas terras pelas Farc, mendigando pelas ruas de Bogotá. Era a "opção preferencial pelos pobres" em ação.

25.

As boas almas católicas que ao menor sinal de apreço pelo valor do conhecimento na economia da salvação já saem gritando "Gnosticismo!" e esbravejando que tudo o que importa é a fé, deveriam ler antes a definição de "fé" no Catecismo do Concílio de Trento: "Fé é o assentimento íntimo do espírito ao conhecimento que ele tem da verdade eterna."

Olavo de Carvalho Lembrei-me disso ao ler no site sementes do espírito.com.br, a frase de Santa Catarina de Siena, "A humildade nasce do autoconhecimento."

Olavo de Carvalho A fé consiste pois na docilidade do espírito humano a um conhecimento prévio, cuja fonte é dupla: a Revelação, de um lado, de outro a intuição imediata dos princípios da razão, sem a qual seria impossível a simples compreensão do texto revelado. Daí nascem a fidelidade ao que se compreendeu claramente e a confiança naquilo que apenas se entreviu obscuramente, "o conhecimento das coisas ainda não vistas", de que falava o apóstolo. A síntese de fidelidade e confiança é a fé propriamente dita.

Olavo de Carvalho Se estou errado, por favor me avisem.

Fabio Blanco Os primeiros grandes pensadores cristãos, como Clemente de Alexandria e Orígenes diziam que a fé é um conhecimento sem os elementos atuais disponíveis, ou seja, um conhecimento antecipado. Considerando que a salvação vem pela fé, então podemos, sim, afirmar que a fé vem pelo conhecimento. O conhecimento pela fé seria como um salto sobre as trevas causadas pelo pecado, que impedem de vermos as coisas como elas são.

Olavo de Carvalho Bravo!

26.

Carlos Henrique Vargas Sem brincadeira, na faculdade onde estudo, os alunos da História até hoje acreditam piamente na velha e mentirosa versão de que Pio XII é o "Papa de Hitler". Tudo o que o general desertor da KGB (Pacepa) disse é verdade! Mais uma vez o Sr. acertou, Prof. Olavo de Carvalho.

Olavo de Carvalho E milhões de trouxas continuarão acreditando enquanto a Igreja não PROCESSAR CRIMINALMENTE John Cornwell, Rolf Hochhuth e outros criadores da balela. Até quando veremos as autoridades eclesiásticas se fazerem de boazinhas virando a outra face DE TERCEIROS?

Olavo de Carvalho Devemos perdoar quem nos ofenda, mas nada dá a ninguém o direito de perdoar a ofensa feita a um outro sem nem mesmo consultar esse outro.

Olavo de Carvalho E Ele também disse "O que fizerdes ao menor destes, a Mim o fizestes."

Olavo de Carvalho Esse episódio ilustra o DOMÍNIO AVASSALADOR que a KGB tem sobre toda a grande mídia ocidental, sobre a cultura ocidental inteira.

27.

Sobre a notícia “Banco do Vaticano: Principal acionista da maior indústria de armamentos do mundo, a Pietro Beretta”:

Olavo de Carvalho Não sejam hipócritas. Se vocês são a favor de ter armas, devem também ser a favor de fabricá-las.

28.

Sobre a reportagem “World leaders should unite to end anti-Christian persecution, Vladimir Putin says”:

Será que o Putin está mesmo a fim de defender o cristianismo no mundo? Quaisquer que sejam os motivos de suspeita (e o prof. Duguin me deu muitos), começo a pensar que é impossível tudo isso ser um fingimento. Talvez seja um erro avaliar o Putin pelo seu guru. Vamos dar tempo ao tempo, e aguardar informações mais substantivas.

Fernando Pereira Professor, caso não seja um fingimento dele, o senhor acha que nese caso ele correria risco de morte?

Olavo de Carvalho Não tenho a menor idéia, mas acho que não.

29.

Provavelmente a idéia do Putin é cristianizar o mundo sob a hegemonia ortodoxa. É um velho sonho dos nacionalistas russos, entre os quais Soloviev e Dostoiévski. Se a Igreja Católica continuar cedendo terreno, adiando para o Dia de São Nunca a consagração da Rússia, essa parecerá ser a única saída viável para quem não quer nem comunismo, nem islamismo, nem globalismo à Rockefeller. Não deixa de ser interessante notar que, extinta a credibilidade do marxismo, a elite russa voltasse a se apegar aos velhos profetas do tzarismo. Um dia desses o Putin vai se coroar tzar, e todos os russos o aplaudirão.

Olavo de Carvalho João Paulo II fez uma consagração parcial, atenuada e imperfeita. Em vez da conversão da Rússia ao catolicismo, o que veio em resposta foi o ressurgimento da Ortodoxia como aspirante a religião mundial. É melhor que o comunismo, mas está infinitamente abaixo do que Nossa Senhora prometeu em Fátima.

Olavo de Carvalho Há muita gente orando para que o novo Papa faça a consagração, mas o que é preciso é exigir, pessoalmente e cara a cara, que ele a faça. Falta uma nova Santa Teresa para espremer o Papa na parede e dizer-lhe "Seja homem".

Olavo de Carvalho Não há nenhuma contradição entre amar o Papa e passar-lhe um pito.

Carlos Henrique Vargas Professor Olavo de Carvalho, salvo engano, a Consagração precisa ser feita em TERRITÓRIO RUSSO. Ou não?

Olavo de Carvalho Não. O que é preciso é que seja consagração DA RÚSSIA (e não "do mundo" como fez João Paulo II) e seja feita pelo Papa simultaneamente com todos os bispos do mundo.

Leonardo Pratas Crendo que talvez eu não tenha colocado bem minha pergunta, permita-me explicar melhor: Eu entendo que o senhor, como bom católico-Romano, crê que o verdadeiro Cristianismo esta presente no catolicismo-Romano, porém, qual sua opinião sobre a Fé Cristã Ortodoxa no Oriente?

Olavo de Carvalho A Igreja Católica reconhece todos os sacramentos oficiados pela Igreja Ortodoxa. Nao há como desconsiderar esta última.

Thiago Bouzan Professor, doutrinalmente qual a diferença entre os dois catolicismos? ela ainda é significativa hoje em dia?

Olavo de Carvalho O Espírito Santo nos vem do Pai ou do Pai e do Filho como reza o Credo católico? Tudo começou com essa divergência teológica.

Marta Serrat Não deve estar longe porque ele está começando a mostrar as garrinhas com esse asilo ao Snowden. Tenho que reler os escritos sobre Fátima. Muito embora eu defenda a fé cristã e até proteja religiosos, estou longe da igreja.

Olavo de Carvalho Há muitos fiéis longe da Igreja porque está cada vez mais difícil encontrar uma Igreja aberta; e quando está aberta está cheia de comunistas. A corrupção não começou entre os fiéis, mas, como anunciou Nossa Senhora em La Salette, veio de cima, dos purpurados.

Olavo de Carvalho Faltam quatro anos para o centenário de Fátima. Quando penso nisto, lembro do pedido de Jesus em junho de 1689, através da Santa Margarida Alacoque, ao Rei Luis XIV, para que **consagrasse** a França ao seu Sagrado Coração e colocasse o seu coração nos estandartes franceses. O pedido não foi cumprido. Cem anos depois (1789) **muito sangue derramado**. Passou da hora da Consagração da Rússia ser realizada, conforme solicitado em Fátima.

Olavo de Carvalho Nossa Senhora é a mão da misericórdia. Se você a rejeita, não pode reclamar do que vem depois.

Olavo de Carvalho A França é a monarquia, e a monarquia é a Igreja. A República, desde a Revolução, veio de fracasso em fracasso até à abjeção total. Se eu fosse francês, seria monarquista.

Olavo de Carvalho No Brasil, a monarquia foi menos corrupta e menos autoritária do que a República que se lhe seguiu. Mas foi sempre inimiga da Igreja, e deu no que deu.

Olavo de Carvalho Por isso é que não posso ser monarquista no Brasil, malgrado minha simpatia pelo D. Bertrand.

Carlos Henrique Vargas Professor, o Pr. Silas Malafaia disse que os EUA são a maior democracia do mundo, alegando que é o país mais protestante do mundo (terceiro mais católico atrás do Brasil e México). Ainda podemos dizer que os EUA são a melhor república que já existiu?

Olavo de Carvalho De maneira nenhuma. A democracia está em extinção nos EUA.

Carlos Henrique Vargas Mas já foi a melhor república do mundo, então?

Olavo de Carvalho Foi pelo menos a mais estável. As igrejas protestantes têm algum mérito nisso, mas não por serem protestantes doutrinalmente, e sim apenas pelo fato de serem independentes umas das outras, o que obrigava o Estado a respeitar a liberdade de todas, inclusive da católica, Mas isso está acabando rapidamente.

Carlos Henrique Vargas Professor, estão circulando até mesmo em programas acadêmicos que os EUA só são o país mais poderoso graças aos Rockefellers e Cia. Lembro que o Sr. disse que eles pelo contrário, só fodem os EUA.

Olavo de Carvalho Programas acadêmicos já vêm impressos em papel higiênico.

Olavo de Carvalho Aliás, financeiramente os Rockefeller estão falidos há décadas.

Carlos Henrique Vargas Antes da fundação da Federal Reserve (1913), parece que os EUA tinham mais de 1200 bancos, mas tudo virou uma terrível oligarquia banqueira globalista. Correto?

Olavo de Carvalho Corretíssimo.

Rafael P. Volpato O que o senhor tem a dizer sobre Medjugorje e Naju, professor?

Olavo de Carvalho Não sou um juiz abalizado de profecias. Espero a Igreja se pronunciar.

Luciano Mendes Professor, considerando as colocações sobre Putin e a Igreja Ortodoxa, hoje podemos afirmar que a Rússia não mais retornaria ao comumismo e hoje, como os Russos enxergam essa "onda vermelha" na América Latina?

Olavo de Carvalho Não a aprovam doutrinalmente mas esperam tirar proveito dela como instrumento de anti-americanismo. Isso fica bem claro nas falas do Duguin.

30.

Leitor Olavo, o que podes dizer a respeito do asilo temporário dado pela Rússia a Edward Snowden?

Olavo de Carvalho Quem, no governo russo, iria recusar tal mina de informações?

31.

Fernando Henrique Lopes Professor, o que o senhor acha desse artigo? [“O NÓ DO DEBATE ENTRE OLAVO DE CARVALHO E ALEXANDER DUGIN” - http://promariana.wordpress.com/2013/07/19/o-no-do-debate-entre-olavo-de-carvalho-e-alexander-dugin/]

Olavo de Carvalho O artigo tem muitos pontos interessantes e valiosos, mas o autor, como é usual no Brasil, não consegue distinguir entre doutrinas e sociedades reais. Entende que defender a América contra o ataque russo-islâmico é "defender o liberalismo". Coisa de amador.

32.

Carlos Henrique Vargas Será que é um "PLANO-B" de Deus ou disso poderá vir a Consagração da Rússia? [“Arcebispo de Moscou prega encontro entre Papa Francisco e Patriarca Kirill”]:

Olavo de Carvalho Pode ser isso e pode ser o contrário disso.

33.

Sobre a palestra "A Filosofia e Seu Inverso", de Olavo de Carvalh:

Olavo de Carvalho A idéia de casamento gay foi lançada na praça para diluir todo o direito de família e abrir as portas a todas as loucuras.

34.

Leitor O senhor poderia me explicar por que os Rockefeller querem controlar os índices de natalidade. [Dúvida surgida a partir do vídeo do Olavo: "Teoria da conspiração X Teoria da mera coincidência"]

Olavo de Carvalho Leram Malthus e acreditaram.

35.

Sobre “Crianças seduzidas através de Facebook saem de casa e caem em mãos inescrupulosas”:

Olavo de Carvalho Cabe a nós fazer com que o Facebook se torne um portador da Luz de Cristo em vez de um megafone do diabo.

36.

A Marcha das Vadias inaugurou uma nova era na história da espiritualidade: são visões místicas nunca antes alcançadas nem pelos maiores santos e profetas. Leiam o depoimento, de próprio punho, deste grande visionário:



Salomão Campina Mas que filho da puta. Falta de respeito.

Olavo de Carvalho Ele deveria publicar a foto com a legenda: "Meninos, eu vi."

37.

Leitor Grande Olavo, veja essa matéria da BBC [de 2011]: "Média de homicídios no Brasil é superior à de guerras, diz estudo".

Olavo de Carvalho Enquanto isso, o governo move guerra aos fumantes.

38.

Sobre a reportagem do Fantástico, cuja chamada dizia: "No Brasil, mata-se muito mais do que os números oficiais dizem. [Provavelmente, portanto, mais de 50 mil vezes por ano.] Um levantamento inédito revela que quase 130 mil homicídios deixaram de ser contabilizados num período de 15 anos. É como se a população de uma cidade inteira simplesmente desaparecesse":

Olavo de Carvalho Que são os "crimes da ditadura" em comparação com esse estado de coisas CRIADO PROPOSITADAMENTE PELA ESQUERDA NO PODER DESDE OS TEMPOS DE FHC?

Olavo de Carvalho Sem as boas relações entre os terroristas e os bandidos comuns no Presídio da Ilha Grande, sem a amizade PT-Farc e sem todo o favorecimento estatal aos criminosos, jamais teríamos chegado a isso. Os comunistas são CULPADOS DO MORTICÍNIO BRASILEIRO.

39.

Sobre “A Desconhecida Introdução Do Hino Nacional Brasileiro”:

Olavo de Carvalho O Hino Nacional Brasileiro é uma fraude. Com a proclamação da República, o governo instituiu um concurso pata escolher um novo hino nacional. Leopoldo Miguez venceu, mas o Marechal Deodoro, então presidente, impôs ARBITRARIAMENTE que se conservasse o hino anterior. O cordão dos puxa-sacos transformou então a composição de Leopoldo Miguez em "Hino da República" como prêmio de consolação. Foi a sacanagem inaugural da República, tanto mais porque o hino boicotado é muito melhor que o outro. Ouçam aqui.

40.

Já expus no meu curso Teoria do Estado, realizado na PUC-PR em 2003, os fundamentos teóricos das minhas análises políticas. Meus artigos de jornal são uma pequena amostra, e a mais superficial, da ciência política tal como eu a concebo. Se você deseja ter uma compreensão mais profunda do assunto, não deixe de acompanhar as gravações do curso, que estão disponíveis no Seminário de Filosofia - aqui.

41.

Sobre a reportagem “Os gregos já curtiam uma comunidade”:

Olavo de Carvalho Interessante, mas previsível demais. Quando você começa a precisar de computadores e métodos estatísticos para comprovar que água molha e merda fede, é que você está ficando tanto mais burro quanto mais sofisticados são os seus equipamentos de pesquisa.

42.

José Melo Professor, este vídeo reflete um pouco o conjunto de impossibilidades que é a burocracia brasileira, a que o senhor fez referência no curso. Abraço.

Olavo de Carvalho Perfeito.

43.

[Olavo curtiu a piada (ou não) enviada por Marta Serrat:]

"José Sarney apresenta melhoras e já desvia dinheiro sem a ajuda de aparelhos."

44.

Sobre a morte de Jean Madiran (1920-2013), diretor da Revue Itinéraires:

Olavo de Carvalho Valente soldado de Cristo. Nem sempre acertava, mas era sempre sincero.

45.

[Olavo curtiu: “Perigo para o povo da América Latina: Unasul cria exército vermelho no continente".]



46.

Cassiano Ribeiro Santos Caro Olavo, tem notícias daquele professor, Brasilianista salvo engano, o Mangabeira Unger? Conhece o trabalho dele? Tem alguma produção profícua e útil?

Olavo de Carvalho O primeiro livro dele, "Conhecimento e Política" revelava algum talento, enfraquecido pela óbvia confusão mental que impedia o autor de distinguir entre doutrinas e regimes. Daí por diante, ele passou a falar num tom papal de quem tem o remédio para os males do mundo e já não se interessa por uma coisinha chamada "realidade". É uma pena.

Olavo de Carvalho P. S. - Foi ter decidido seguir os conselhos desse professor o que destruiu a carreira política do Ciro Gomes.

Olavo de Carvalho Acho que ele dá urucubaca.

47.

[Olavo curtiu a foto do grupo “Unidos contra o Foro”:]



[Nota do Org.: O trecho na foto é do discurso de Lula na celebração dos 15 anos de existência do Foro de São Paulo, reproduzido no site oficial do governo - aqui.]

48.

Robson Penassi Professor, sei que você não tem tempo para responder a qualquer mentecapto que o ofende mas dê uma lida no que esse outro Altman da vida escreveu sobre ti: “A desonestidade intelectual de Olavo de Carvalho”.

Olavo de Carvalho Esse sr. Luiz Galeno, que deve ser muito jovem, já que ressalta duas vezes a minha idade como se fosse coisa muito estranha as pessoas envelhecerem, me acusa de dois delitos intelectuais terríveis: nunca ter falado mal do pastor Silas Malafaia nem do Estado de Israel. That's all. Não lhe ocorre que essa dupla acusação suscita automaticamente a pergunta: E daí?

Robson Penassi Já desconfiava que esse bostinha não merecia sequer uma resposta sua. De qualquer forma, me desculpe por aborrecê-lo com mais um desses moleques bobos.

49.

Sobre a reportagem “Rio vê renascimento de movimentos conservadores”:

Olavo de Carvalho O autor da matéria, com toda a evidência, nada sabe sobre o fascismo. Chamar o fascismo de conservador é o que pode haver de mais insustentável historicamente.

50.

Felipe Sampaio Intelectuais que precisam ser resgatados... Xavier Zubiri (esquerda), José Ortega y Gasset (meio) e Manuel García Morente (direita). Concorda Olavo?


[Olavo curtiu.]

51.

[Olavo curtiu a foto da Jornada Mundial da Juventude:]



52.

Sobre o True Outspeak de 08/06/09, em que Olavo falava de admiração: "No Brasil, qualquer pessoa que você admira, leva a sério, o cara vai dizer assim: 'Ah, é idolatria, é idolatria!' No Brasil é proibido admirar (...). Quando você admira, sempre tem que falar um pouco de mal, pra não dizer que é idolatria (...). Admirar não faz parte da cultura brasileira, o pessoal não sabe o que é isto. Olha, Thomas Mann, uma vez entrevistado no rádio, pediram a ele que desse um conselho à juventude. Ele disse: 'Jamais percam o sentimento de veneração, isto é fundamental' (...)."

Olavo de Carvalho Só é lícito admirar pessoas que subiram na vida sem precisar de mérito, como Lula ou Jean Wylys.

Olavo de Carvalho O mérito ofende, porque marca uma diferença. O sucesso do incapaz, ao contrário, espalha uma esperança.

53.

[Sobre as evidências de fraude na documentação de Barack Hussein Obama, Olavo recomenda este link.]

54.

Excelente artigo: Murder data, de Jon Christian Ryter. [Sobre armas e políticas de desarmamento. Página original - aqui.]

55.

Lembro-me disto como se fosse hoje. Um dia, aos 43 anos, quando fazia a barba, vi meu rosto no espelho e tive um estalo: "Caramba, eu já sei praticamente tudo a meu respeito!" A partir desse dia cessei de ser um problema para mim mesmo e me senti preparado para tratar de assuntos objetivos. Compreendo perfeitamente a diferença entre autoconhecimento e autodomínio, sei que mesmo conhecendo um por um meus demônios, minhas loucuras, minhas paixões, minhas perversões e os ardis do meu subconsciente, estou longe de ser um piloto excelente da minha própria alma. Mas pelo menos livrei-me do vício de olhar o mundo pelo viés daquele discurso interior de auto-exaltação e autocondenação compulsivas que constituem noventa por cento da atividade mental da maioria, e que a levam a julgar e condenar conforme projete nas pessoas e idéias em torno os seus próprios demônios. Se eu conseguir transmitir um pouco dessa experiência aos meus alunos, acho que terei feito alguma coisa.

Flavio Picchi Foi nesse dia que você virou o Descartes de ponta-cabeça, Olavo?

Olavo de Carvalho Acho que sim, não sei direito. Descartes foi um problema para mim durante muitos anos. Deu até pesadelo.

Danilo Querino Autoexaltação e autocondenação convivem?

Olavo de Carvalho Sim. O diabo é dialético.

Paulo Briguet Que emoção ler isso... aos 43 anos.

56.

Àqueles que sem me conhecer nem de longe saem por aí apregoando que sou um sujeito vaidoso, sugiro que leiam este parágrafo que publiquei no JB em 2006:

"Segundo leio no site do Stephen Kanitz, sou o terceiro na lista dos formadores de opinião mais lidos no Brasil, logo abaixo do próprio Kanitz e do guru empresarial Tom Peters. Se tão honroso posto não equivalesse, de acordo com a mesma fonte, ao centésimo-septuagésimo-milésimo lugar no correspondente ranking mundial, eu começaria a achar que sou mesmo alguma coisa. Estar entre os mais lidos num país onde ninguém lê nada é ser campeão de caratê num torneio de velhinhos com Alzheimer."

Gabriel Cavalcante Sua fama chega primeiro! Boa fama, digo!

Olavo de Carvalho Lembro que alguém me fez esse cumprimento num puteiro que eu freqüentava na juventude.

Olavo de Carvalho Eu ia lá com tanta freqüência que ganhei a fama de Pai das Putas.

Olavo de Carvalho Um dia uma das garotas desmaiou antes que eu pudesse executá-la. Fui ver, o braço dela estava roxo de tanto pico. Carreguei-a até um táxi, levei-a a um hospital e fui visitá-la todos os dias até que ela recebesse alta. Quando voltei ao puteiro depois disso, foi uma festa, beijinhos para todo lado e algumas semanas de sexo gratuito.

Olavo de Carvalho Confesso que era um puteiro dos mais miseráveis, perto da Estação do Brás. Tive mais fama naquele baixo mundo do que depois no jornalismo.

Olavo de Carvalho Esclareço, por dever de modéstia, que essa fama se devia apenas ao meu cavalheirismo romântico e não ao meu desempenho genital.

Olavo de Carvalho Recordar é viver.

Haroldo Monteiro Olavo entendo sua postura...mas convenhamos, vejo claramente as tuas veementes denuncias ganharem autonomia e alastrarem-se pelo debate público informal....talvez daqui a 5 anos, assuma formalmente um palanque!!!!

Olavo de Carvalho Quando eu aparecer num palanque, podem jogar tomates. Se quiserem vou estocando alguns desde já, para garantir a qualidade do produto.

Olavo de Carvalho P. S. geral deste tópico - Um dia todos vocês ficarão velhos e começarão a se divertir como loucos com a sua própria história.

57.

Vou dormir um pouco. Obrigado pela atenção. Ouvi dizer que a Funai enviou uma carga de pomada anti-hemorroidal para a tribo Tomonoku, mas, pelos gemidos que não param, acho que foi tudo desviado.

******

Felipe Moura Brasil edita o Blog do Pim e é o organizador e autor do prefácio do livro de Olavo de Carvalho, O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota, que está prestes a ser lançado pela Editora Record.