quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Qual jornalista da grande mídia vai ter peito para falar do novo livro do Olavo de Carvalho?

[Também publicado no Mídia Sem Máscara; e originalmente no Facebook.]


27/12/1994. Olavo de Carvalho na capa do jornal O Globo.

A chamada: "Um escândalo ronda a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. O filósofo Olavo de Carvalho denuncia que um parecer de recusa a um texto seu para a revista 'Ciência Hoje' comete erros históricos e filosóficos. 'É escandaloso que um trabalho científico seja entregue a um ignorante', diz Olavo. A SBPC se recusa a divulgar os nomes dos avaliadores."

A reportagem "Um parecer errado acaba em escândalo", assinada por Elisabeth Orsini no Segundo Caderno, está agora disponível no novo acervo digital do Globo. Além de dar voz a Olavo - que, como de hábito, humilha intelectualmente o parecerista -, ela traz um texto do saudoso poeta Bruno Tolentino, que humilha ainda mais o infeliz, exigindo que a SBPC divulgue seu nome.

O caso foi emblemático. Olavo comentou várias vezes a respeito:

- Em 1994, na segunda aula do curso "Pensamento e atualidade de Aristóteles":

"O aristotelismo como movimento filosófico é tardio. Começa a se formar timidamente nos séculos III e IV da era cristã, isto é, sete séculos depois da morte de Aristóteles (já tive aliás um arranca-rabo com um cretino da SBPC que afirmava que nesses séculos ninguém tinha lido nada de Aristóteles, quando ele é que não tinha lido nada)."

- Em 1997, em artigo sobre "O pajé" Luiz Pinguelli Rosa:

"Ademais, ele tem em seu currículo o fato de ter sido presidente da SBPC - aquela entidade que nomeia um semi-analfabeto para avaliar um trabalho científico e, denunciada, faz desaparecer o acusado sob o manto do anonimato."

- Em 1998, em artigo sobre a "Ralé de toga" nacional:

"(...) ninguém, absolutamente ninguém na universidade brasileira, se deu o trabalho de discutir minhas teses, e, se alguém aí quis dizer algo a respeito, foi para dar o show de inépcia daquele parecerista da SBPC que escrevia 'inverossímel', com 'e', e confundia Santo Alberto Magno com São Gregório Magno."

- Em 2001, no PS de um artigo publicado cinco dias após a morte do então diretor de jornalismo da Rede Globo (e diretor do Globo à época da polêmica), Evandro Carlos de Andrade:

"Nunca me encontrei com Evandro Carlos de Andrade. Toda a convivência que tive com ele foi por e-mail e telefone. No entanto, se existiu na imprensa brasileira alguém que ajudou a restaurar minha confiança na dignidade da profissão jornalística, foi ele. Foi ele que, no confronto desigual entre os mandarins da SBPC e um ilustre desconhecido, em 1994, abriu generosamente o espaço do GLOBO para que a parte mais fraca se defendesse e acabasse obtendo, em resultado, a mais improvável das vitórias. Nunca me esqueci dessa demonstração de exemplar decência, a que se seguiram muitas outras, consolidando minha admiração por um colega distante cuja fisionomia, até agora, nem sequer imagino.

Goethe afirmava que três qualidades resumem o dever do homem sobre a Terra: ser digno, prestativo e bom. Evandro não apenas foi tudo isso, mas soube sê-lo para com um desconhecido, do qual nada podia esperar."

Eram outros tempos, sem dúvida. Tempos em que Olavo de Carvalho, ex-colunista do Globo, não só podia sair na capa do jornal, como saía para se defender contra o veto mal justificado de uma revista como a 'Ciência Hoje', da SBPC. Mas Evandro Carlos de Andrade morreu. E, como escreveu Olavo em 2013, depois do "vexame sofrido em 1996 por uma dezena de intelectuais de esquerda, que caíram de paus e pedras sobre o meu livro 'O Imbecil Coletivo' e se deram muito mal, nada mais tendo conseguido provar senão que a obra era a respeito deles próprios", "a atitude mais prudente a observar com relação ao autor era a mais rigorosa boca-de-siri”. Restou apenas, portanto, a "regra baixada [em 2004] pelo comissário do povo, Milton Temer, para todos os militantes, simpatizantes e puxa-sacos do comunismo na mídia brasileira: ‘O Olavo de Carvalho não é para ser comentado.’”

Eis o trecho completo de Temer, espécie mais astuta e precavida de Breno Altman:

“Não, não comenta o Olavo de Carvalho... Isso não deve ser tema de faculdade de jornalismo. O Olavo de Carvalho não é para ser comentado. São paradigmas da irracionalidade absoluta. Eu nem levo em conta o que esse cara diz. E eu acho uma tragédia que o Globo tenha entre seus colunistas ele e o Denis Rosenfeld toda semana."

A "tragédia" acabou, para felicidade de Temer. Há anos que O Globo não tem mais Olavo de Carvalho. Nem como colunista, nem como personagem. A ocupação gramsciana de espaços alcançou uma de suas metas mais elevadas - e, para infelicidade da pátria, O Globo virou 'Ciência Hoje'. A rigor, a imprensa inteira do Brasil, exceto o Diário do Comércio, virou uma grande SBPC. Com uma diferença, é claro: o veto agora é sumário e preventivo, para ninguém correr o risco da humilhação com uma réplica de Olavo ao seu parecer. O negócio é maldizê-lo por trás, deixando o confronto direto para o exército de imbecis juvenis (e não tão juvenis...) adestrados nas universidades para odiá-lo sem jamais ler sua obra.

Para desespero desses, o novo livro do maior filósofo brasileiro, "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota" já está nas livrarias - e, a despeito do silêncio midiático, alcançou rapidamente as estantes reais e virtuais dos mais vendidos do país.

Eu, o organizador do volume, não sei se algum jornalista/veículo será - não digo nem digno, prestativo e bom como Evandro Carlos de Andrade, mas - corajoso o suficiente para quebrar a temida regra de Temer e fazer novamente jornalismo na imprensa, como naquela reportagem de 1994. (Não sei se a própria Elisabeth Orsini teria hoje tamanho desprendimento, em memória de Evandro.) Mas se é para vetar de vez dos jornais o nome de Olavo de Carvalho, manda a precaução que os editores comecem desde já a vetar (ou adulterar) a lista dos 10 livros mais vendidos também.



Livraria da Travessa - Centro, Rio de Janeiro.

Livraria Argumento - Leblon, Rio de Janeiro

 

Pós-escrito: Paulo Eduardo Martins, exceção admirável na mídia, faz no SBT o que os dinossauros da imprensa não fazem nos jornais: diz o que tem de ser dito - e recomenda a nossa vacina para todo mundo. Grande momento do telejornalismo brasileiro. "Ora porra!"


http://felipemourabrasil.com.br

[Para compartilhar este texto no Facebook, clique aqui.]

13 comentários:

  1. Parabéns pelo trabalho Felipe, e Sucesso!!

    ResponderExcluir
  2. "Vocês vão ter que me engolir." - Olavo de Zangalo.

    ResponderExcluir
  3. Cara, você com certeza é um do grandes ... Meus votos mais sinceros de prosperidade e que seu trabalho seja sempre como esse.
    Rodrigo Costa Lima

    ResponderExcluir
  4. Caro Felipe Moura!
    Que Deus te ilumine cada vez mais.
    Muito Obrigado pelo grande trabalho!!
    Muita paz amor e luz para ti, grande!
    Um abraco,
    Carlos Jorge Cruz

    ResponderExcluir
  5. Olá Felipe. Para quem reclama do preço, use a matemática: R$ 10,00 por página. Vale a pena mesmo! Parabéns pelo trabalho. (não tenho conta no google por isso postei como anonimo: Maria Regina Monte).

    ResponderExcluir
  6. Muito bom, esse Milton Temer com certeza deveria ler o livro. Parabéns, trabalho maravilhoso.

    ResponderExcluir
  7. Felipe,
    Hoje recebi com imensa alegria meu mais novo livro de cabeceira, gerado por essa tua genial sacada! Reunir o espetacular pensamento do gênio Olavo de Carvalho, que desde que tive conhecimento, despertei do sono e pesadelo em que a esquerda me embalava.

    Descobrir e expor as falácias que alguns “pensadores”, que são chamados filósofos, nos disseram. E como se consegue isso? Estudando muito. E Olavo estudou muito, com muita disposição, vontade, e chegou à Verdade. O amor e a paixão pela Verdade, a vontade do despertar da consciência, a satisfação em ser intelectualmente honesto e o dom do raciocínio perfeito e de quem sabe o que diz, porque estuda, raciocina, pensa e entende, um sábio e verdadeiro filósofo!

    Desmascarou com astuta lucidez e sabedoria esse ópio, esse lixo, que é a esquerda, o comunismo, o marxismo cultural, gramscismo, esse tipo de mal que há centenas de anos, vem entorpecendo, iludindo, enganando, desinformando e confundindo as pessoas.

    E sempre aparecendo mais e mais informação como a desse post, essa história de 1994, kkk, o Olavo como sempre desmascarando ignorantes, como eles passam vergonha, kkk, morrem de medo! Adorei!

    Como também sou buscadora da Verdade, depois de ver muitos vídeos, textos que lí do Olavo pensei:
    “Não é possível que ele vá passar em branco e ser escondido por esse meio jornalístico medíocre...tem que haver um outro gênio para trazê-lo ao conhecimento de todos.”

    Um dia, comecei a visitar esse blog (que adoro) e para minha surpresa, encontrei o tal gênio que imaginava, sim, ele existe!, e como excelente escritor que é, resolveu arregaçar as mangas e presentear a todos, com essa maravilhosa obra, reunindo “rascunhos” do maior filósofo da atualidade no Brasil, talvez o único.

    Grande Olavo de Carvalho, parabéns, mestre! A humanidade te agradece!
    Grande Felipe Moura Brasil, parabéns! Sábio, inteligente, deu valor ao mestre, você fez!

    Que essa obra, de suma importância, chegue a todos os que estão entorpecidos e intoxicados na condição atual em que a esquerda os mantém - como indigentes mentais – e os faça sair dessa ideologia destrutiva, miserável, e deixem de ser idiotas-úteis.

    Quem será o primeiro “escriba” da grande mídia que aparecerá, falando abobrinhas, para ser posteriormente desmascarado pelos gênios?
    Os propagandistas da cultura à esquerda devem estar matraqueando, fora-dos-eixos nos botequins virtuais do feice...já já, um morde a isca. Veremos...

    Grande é aquele que desmascara o pai da mentira, Deus agradece!
    Vamos sobreviver desse holocausto intelectual que querem fazer no mundo!

    Felicidades, muito obrigada e que Deus os abençoe!

    Bj com admiração,
    Valéria D. Bittar

    ResponderExcluir
  8. Parabéns!
    a espiral do silencio vai cair.
    tremei idiotas!!

    ResponderExcluir
  9. Como todo bom olavette que se preza já estou juntando as moedinhas do meu porquinho pra adquirir o lançamento literário do ano no país dos petralhas (e dos seus parceiros do narcotráfico terrorista, cercado de ninjas classe-média revoltosos de boutique e fora do eixo mental, moral e sub-humano por todos os lados).

    Quero ver a cara de bunda que essa turma do 'beautiful people' midiático e artístico vai fazer agora diante do óbvio sucesso antecipado que o livro do Felipe está fazendo.

    Fico a imaginar o que a praga comunista está a tramar pelas vielas escuras agora... O que vão fazer diante de tamanha petulância?

    -Fingir que não tem um elefante branco (ou um godzilla faminto) na sala, fazer ouvidos moucos e rezar muito pra ver se o mal passa rápido?

    -Usar a tática da Xuxa com aquela edição da playboy?

    -Colocar a militância esquerdista do Fora do Eixo e da Mídia Ninja (junto a outros coletivos radicais socialistas tipo os 'bundas-feias' do sado-masô gayzista-vadio, os maconheiros do FHC e os nanicos do PSTU. PSOL e PCO) pra tocar o terror nas ruas? Já pensou todos em uníssono manifestando em frente as principais livrarias, e, com essa manobra genial acabarem por servir de exemplo ao que está no livro e no título do livro, produzindo com isso uma maciça propaganda gratuita que só tenderá a alavancar as vendas do livro "fascista"?
    |¬)


    Se esse livro é uma realidade, é porque o Brasil ainda tem jeito. E porque ainda existem sujeitos que não prestaram atenção na placa 'ISSO NÃO É POSSÍVEL DE SER FEITO'.


    Parabéns aí, meu brother e a todos os cúmplices desse projeto literário. Feliz por vcs.


    E desculpa aí, mas eu não vou me poupar na tietagem:


    "Olavão para nÓÓÓÓssa alegria!!!..."


    Aos detratores e invejosos:


    "Um, dois, três, PIM, PIM pra vcs!"(fazendo o movimento do gluglu-ié-ié com as mãos)





    Anderson Silva





    ResponderExcluir
  10. Felipe,

    Muito Obrigado pela organização que você realizou nos artigos do Olavo. Eu tive a mesma ideia há alguns meses, porém teu trabalho está muito bom e sepultarei o meu para meu uso pessoal.

    Me chamou a atenção a organização que você deu ao livro, muito semelhante àquela que o Olavão dá ao COF. Olavo começa pelo sujeito para somente depois adentrar nas questões propriamente filosóficas com mais vagar. Me parece que teu livro segue inconscientemente esse esquema. O livro é um testemunho do poder estruturante do COF, em carne e osso.

    O fato de você organizá-lo assim só prova que você é um aluno atento ao trabalho do Olavo.

    Parabéns.

    tms

    ResponderExcluir
  11. Com certeza irei apreciar esta obra!

    O Olavo já está sendo citado em sala de aula por alguns alunos na universidade onde estudo. Depois desse livro, acredito que a referência ao trabalho dele vai se intensificar!

    Vida longa ao Olavo!!!

    Felipe, parabéns pelo seu trabalho!

    Aline

    ResponderExcluir
  12. Reinaldo Azevedo!
    Esta hoje no blog dele.

    ResponderExcluir
  13. O que é o verbete da wikipedia deste tal Alexey Dodsworth Magnavita?!?!?!?! Ridículo é pouco.

    ResponderExcluir