segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Os seguidores 'fakes' do presidente 'fake'

[Tradução de Felipe Moura Brasil da “análise finíssima”, como comentou Olavo de Carvalho, escrita por Daren Jonescu e publicada no American Thinker em 27 de setembro de 2013 com o título original "Obama's 'Fake' Twitter Followers Explained". Tradução publicada originalmente no Facebook.]


Barack Obama tem 36,9 milhões de seguidores no Twitter, 19,5 milhões dos quais, ao que parece, são ‘fakes’. Este é um sinal bastante preocupante para os adversários de Obama, pois demonstra quanto apelo o presidente ainda tem com a sua base fundamental de apoio, ou seja, com aqueles que se identificam de forma mais estreita com ele em um nível pessoal: as pessoas ‘fakes’.

O Daily Mail Online analisou os números e descobriu que entre as figuras políticas norte-americanas, as quatro contas de Twitter com o maior número de seguidores ‘fakes’ - isto é, seguidores que realmente não existem - são as de Barack Obama (disparada), Joe Biden, Michelle Obama e a do departamento de comunicações da Casa Branca. Aqueles que menosprezariam isso como evidência de uma patética tentativa progressista de manipular as percepções do público talvez estejam perdendo o ponto. Os americanos que se preocupam com a decadência do seu país deveriam estar mais preocupados com a tendência aqui indicada. Segmento até então insignificante da população, os seres humanos inexistentes encontraram na atual administração dos EUA uma razão poderosa para emergirem finalmente das sombras e se tornarem participantes totalmente engajados no processo político. Não há indicação mais clara dos perigos enfrentados pelos EUA do que este aumento, na atividade política, de pessoas que não existem, especialmente quando se considera que este grupo ultrapassa em número o das pessoas existentes.

Mas por que todo esse entusiasmo político repentino entre os irreais? A resposta é bastante clara. Em 2008, os EUA elegeram o primeiro presidente ‘fake’ de sua história, dando esperança e uma tábua de salvação para ‘fakes’ de todos os lugares: "Talvez eu possa participar em igualdade de condições com as pessoas reais, também."

Considere o presidente - ou melhor, não. Na verdade, não se pode considerá-lo. Para todos os efeitos, ele não existe. O "primeiro presidente negro" nasceu de uma mãe branca, e foi criado por avós brancos. Quer saber quais matérias ele fez na faculdade? Não - você não está autorizado a saber. Como é que este autodescrito preguiçoso ex-viciado em drogas entra em tantas universidades de ponta, aparentemente transferindo-se de uma para a outra no meio do curso sem fazer esforço algum? Não pergunte - seus formulários de inscrição e cartas de aceitação aparentemente são segredos de segurança nacional. [1]

Ele foi presidente da Harvard Law Review, mas nunca escreveu um artigo para a revista. Ele foi descrito pelos conservadores já naqueles dias como sendo bem apreciado e confiável, apesar de ser ideologicamente dedicado a destruir tudo o que eles acreditavam. Sua primeira autobiografia, definidora de sua trajetória, era ‘fake’: romantizava um parentesco espiritual com um homem que ele mal havia conhecido, em uma linguagem que ele provavelmente não poderia ter escrito de próprio punho. Sua agência literária o divulgou por dezesseis anos como nascido no Quênia [2], usando uma pequena biografia do autor que ele mesmo presumivelmente escreveu ou aprovou - até o momento (em 2007) em que esse detalhe biográfico deixou de ser motivo de credibilidade imediata, e passou a ser de desqualificação instantânea.

Seu amigo e colega Bill Ayers [3] foi empurrado para a névoa da Vila Sésamo do bairro quando sua proeminência na vida de Obama tornou-se desconfortável. O mesmo vale para o pastor que o casou, mas que ele facilmente colocou de lado quando as opiniões que ele aprendeu com esse pastor se tornaram politicamente embaraçosas. E não se incomode de examinar seu histórico de votações antes de se tornar presidente. Ele quase nunca votou a favor ou contra o que quer que seja. Ele votou "presente" - isto é, ele assinou seu nome na lista de presença e, em seguida, dormiu durante a aula. Ele concorreu à presidência sem nem mesmo saber quantos estados tem o país, embora ele mesmo tenha (supostamente) nascido e sido criado no quinquagésimo e último estado. [O Havaí.]

Mas tudo isso era apenas o preâmbulo de sua mais impressionante encarnação como o histórico presidente ‘fake’. Havia vestígios de um homem - um homem escondendo-se da realidade adulta - em toda a falsidade de sua vida antes de 2008. Depois desse ponto, não. Como presidente, tornou-se perfeitamente imerso na maquinaria da filosofia política ‘fake’ de maior sucesso no mundo, o progressismo, que é como a tirania começou a chamar a si própria quando os tiranos finalmente conseguiram superar a vaidade primordial da necessidade de que todos soubessem a identidade de seu opressor e o temessem, e perceberam que a ânsia sanguinária de poder é servida de maneira mais eficaz por meio de uma simples máscara de mentiras.

Tanto é assim que a busca por um sistema global de castas, controlado por uma elite auto-engrandecedora, foi definida como a luta pela igualdade; que um "movimento" cujos dogmas centrais são a destruição da família e a perpetuação de uma subclasse eternamente dependente se proclamou o lar natural dos "oprimidos"; que políticas explicitamente concebidas pelos principais intelectuais progressistas como meios de minar o individualismo e o racionalismo em favor do sentimentalismo coletivista são vendidas para as "massas" como meios de proteger "o cidadão comum" (ironia pouca é bobagem); que a aniquilação sistemática da propriedade privada, incluindo a sua instanciação mais básica, a auto-propriedade, é representada como a concessão de novos direitos; e que o flagrante desrespeito pela vida humana real e a vontade de permitir ou precipitar a morte, o sofrimento e a destruição em prol do alcance ou da preservação de poder ilegítimo são apresentados como um empenho pela paz e pelo bem comum.

Obama é o testa de ferro desse movimento. O testa de ferro é, naturalmente, um líder ‘fake’, de modo que Obama é o líder ‘fake’ de uma filosofia política ‘fake’. Nessa função, ele liderou a luta para estabelecer gradualmente um sistema de saúde de pagador único - exatamente como havia prometido fazer antes de ser presidente -, mas negou explicitamente que sua intenção era esta. Ele tem conduzido o crescimento da dívida federal dos EUA a proporções de colapso econômico - exatamente como havia prometido não fazer. Ele deixou que seus representantes na Líbia fossem mortos em um ataque terrorista sem levantar um dedo para ajudá-los, e deu uma mera declaração protocolar lamentando suas mortes antes de seguir para uma arrecadação de fundos de campanha em Las Vegas. Ele, então, mentiu sobre as causas do ataque em Benghazi, bem como sobre a sua própria reação inicial a ele. [4]

Ele é o líder nominal do esforço para ampliar as normas de comportamento pessoal e comercial, violadoras de direitos, em nome de uma teoria científica ‘fake’ (como você chamaria uma teoria cujos proponentes mudaram o seu nome, as suas previsões, e até mesmo a sua hipótese fundamental?) sobre uma alteração drástica do planeta feita pelo homem, a qual os próprios defensores da teoria admitem que não está realmente acontecendo. Ele foi apresentado ao mundo como um modelo de superação da segregação racial nos EUA, e no entanto fez mais declarações explícitas calculadas para instigar tensões raciais e hostilidade do que talvez qualquer presidente anterior. Ele é o porta-voz de um movimento político que busca manter registros detalhados de toda a comunicação telefônica e eletrônica de cada ser humano, estado de saúde, rotina diária, atividade sexual e paradeiros - e no entanto objeta contra as exigências de que as pessoas forneçam identificação antes de votar, sob a alegação de que isto é desnecessariamente intrusivo e intimidatório.

Ele apoiou a Irmandade Muçulmana [5], uma organização religiosa ‘fake’ dedicada à destruição do governo representativo, da civilização ocidental, da liberdade de expressão e das mulheres, e uma organização que acaba de ser proibida (de novo) em seu país de origem, até mesmo quando Obama estava exigindo sua “igual” participação na reforma política daquele país - uma reforma necessária em virtude da própria tentativa da Irmandade Muçulmana de prender o país na armadilha da sharia, a lei islâmica.

Agora eu lhe pergunto: se você não existisse, mas quisesse vir à tona e ser levado em consideração de qualquer maneira, você poderia escolher melhor facção para se alinhar do que a administração Obama e uma causa melhor para aderir do que o progressismo? A característica definidora de uma pessoa inexistente é, obviamente, a sua irrealidade. E quem representa a causa da irrealidade mais vigorosamente do que o presidente Obama? Embora alguns de seus oponentes ainda não tenham aceitado a verdade pós-moderna deste homem, já há algum tempo parece que a razão pela qual nós não sabemos "quem ele realmente é" é a razão mais óbvia de todas - ele realmente não é.

Ele fala sobre seus filhos, que não existem. Ele conta histórias elaboradas de sua juventude que simplesmente nunca aconteceram. Ele narra contos imaginários dos últimos dias de vida de sua própria mãe. Quando é perguntado sobre o que fez durante uma emergência de segurança nacional, ele descreve instruções abstratas que ele supostamente deu, que são completamente incongruentes com as circunstâncias que estão lhe pedindo para descrever.

Barack Obama representa perfeitamente o espírito da época: luzidio mas vazio, a calça bem vincada com nenhum ser vivo dentro. Ele é amado por celebridades pop e pseudointelectuais, de Beyoncé a David Brooks - os dois grupos de pessoas que vivem de criar superficialidades sem substância alguma. Eles veem que ele é, como Brooks definiu de forma tão reveladora em 2008, "um de nós". Um ‘fake’.

Então ignore os 19,5 milhões de seguidores ‘fakes’ de Barack Obama no Twitter, ou os 1,9 milhões de sua esposa (o segundo maior total) por sua conta e risco. Há mais deles do que há de você, e eles estão na vanguarda da descida da humanidade para o abismo, enquanto você é apenas a poeira que está sendo varrida pelo vento desta espiral descendente.

Se eu sou tolo o bastante para imaginar que o inexistente pode ter qualquer efeito sobre alguma coisa? Ora, você faz uma pergunta dessa em uma época em que o cargo mais poderoso da Terra é ocupado por um deles? Uma época em que a nação mais rica da história está endividada até os dentes das próximas quatro gerações? Uma época em que a última fortaleza da liberdade no mundo é agora o Estado de vigilância mais avançado da história? Uma época em que a nação de vaqueiros e desbravadores foi reduzida à da posição daqueles que aguardam docilmente nos aeroportos enquanto suas esposas, filhas e avós têm as suas partes (ex-)íntimas sondadas manualmente pelo governo? Uma época em que a única nação da história fundada explicitamente no princípio de que um homem tem o direito de estar vivo e preservar a si mesmo está no processo de submeter a existência física deste homem aos caprichos e cálculos desinteressados de uma burocracia médica?

Não me faça rir. É precisamente entre os existentes - aqueles com substância moral, uma realidade física finita que eles se sentem obrigados a preservar, aqueles que desejam trabalhar, assumir a responsabilidade por si mesmos e seus próprios entes queridos, e cujos pensamentos não são pré-embalados na fábrica de retardamento em massa conhecida como educação pública – que o valor, a voz e a autoridade de tomada de decisão prática estão em declínio. E se os existentes estão de saída, quem é que isto deixa no assento de comando?

Isso mesmo: Barack Obama e seus milhões de seguidores no Twitter, mais de metade dos quais são “pessoas como ele", ou seja, ‘fakes’. Você está vivenciando um momento raramente visto na Terra. Esta é a era do vazio: estamos sob o controle global de uma filosofia ‘fake’, comandada por líderes ‘fakes’ que dão "grandes discursos" ‘fakes’, e justificam suas ações com histórias ‘fakes’ e ciências ‘fakes’. Não há lugar para a realidade por aqui - para o verdadeiro, o bom e o belo. Mentiras, falta de consciência e a estética da feiura ganharam o dia. Em suma, o Ser está em declínio. Se você não existe, este é o seu momento.

*******

Notas do tradutor:

[1] Ver a minha tradução do artigo “Barack Obama: o fantasma da Universidade de Columbia”, no qual um colega da suposta turma de Obama conta como nem ele nem ninguém da turma se lembra de sua figura, que tampouco comparece aos encontros anuais.

[2] Mais sobre a minibiografia que apontava seu nascimento no Quênia - aqui.

[3] Sobre Bill Ayers, em português, ver meu artigo “A verdadeira insanidade”.

[4] Ver minha lista de artigos “Tudo que você nunca quis saber sobre o ataque terrorista em Benghazi, acobertado pelo governo Obama”, localizada na coluninha da direita do meu Blog do Pim, descendo a barra de rolamento.

[5] Sobre a colaboração e os vínculos familiares de Obama com radicais islâmicos e com o assassino em massa Raila Odinga, que declarou em 2008 que “o pai de Obama é meu tio materno”, ouvir também estes áudios fundamentais.

PS: Para entender como um sujeito como Barack Obama chegou à presidência dos Estados Unidos e nela permanece, bem como por que você não é informado de nada do que vai acima pela imprensa brasileira, leia o capítulo 'EUA' do best seller de Olavo de Carvalho, organizado por Felipe Moura Brasil, 'O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota'.

Compre-o nas livrarias ou aqui.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Por que os EUA espionam o Brasil

[Publicado originalmente no Facebook.]


"Como é que uma entidade que nem mesmo existe, ou que é apenas um inocente clube de debates, pode criar uma crise diplomática de dimensões mastodônticas? TODOS os que ocultaram ou disfarçaram durante quase duas décadas a existência do Foro de São Paulo são culpados de que ISTO esteja acontecendo agora."

OLAVO DE CARVALHO, que denuncia o Foro desde 2001, em nota sobre o texto que traduzo abaixo.

POR QUE NÓS ESPIONAMOS O BRASIL
Tradução de Felipe Moura Brasil da coluna de Carlos Alberto Montaner, publicada no Miami Herald de 25 de setembro de 2013.

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, cancelou sua visita ao presidente Obama. Ela se sentiu ofendida porque os Estados Unidos estavam espionando seu e-mail. Não se faz isso com um país amigo. A informação, provavelmente confiável, foi fornecida por Edward Snowden de seu refúgio em Moscou.

Intrigado, perguntei a um ex-embaixador dos EUA: "Por que eles fizeram isso?" Sua explicação foi duramente franca:

“Do ponto de vista de Washington, o governo brasileiro não é exatamente amigável. Por definição e historicamente, o Brasil é um país amigo que ficou do nosso lado durante a II Guerra Mundial e a da Coreia, mas seu governo atual não está.”

O embaixador e eu somos velhos amigos. "Posso revelar seu nome?”, perguntei. "Não", respondeu ele. "Isso criaria um problema enorme para mim. Mas você pode transcrever nossa conversa." É o que farei aqui.

"Tudo que você tem de fazer é ler as atas do Foro de São Paulo e observar a conduta do governo brasileiro", disse ele. "Os amigos de Luiz Inácio Lula da Silva, de Dilma Rousseff e do Partido dos Trabalhadores são os inimigos dos Estados Unidos: a Venezuela chavista, primeiro com (Hugo) Chávez e agora com (Nicolás) Maduro; a Cuba de Raúl Castro; o Irã; a Bolívia de Evo Morales; a Líbia dos tempos de Kadafi; a Síria de Bashar Assad.

"Em quase todos os conflitos, o governo brasileiro concorda com as linhas políticas da Rússia e da China, em oposição à perspectiva do Departamento de Estado dos EUA e da Casa Branca. A família ideológica com que mais se parece é a dos BRICS, com os quais tenta conciliar sua política externa. [Os BRICS são Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.]

"A imensa nação sul-americana não tem nem manifesta a menor vontade de defender os princípios democráticos que são sistematicamente violados em Cuba. Pelo contrário, o ex-presidente Lula da Silva muitas vezes leva investidores à ilha para fortalecer a ditadura dos Castros. O dinheiro investido pelos brasileiros no desenvolvimento do superporto de Mariel, próximo a Havana, é estimado em US$ 1 bilhão.

A influência cubana no Brasil é velada, mas muito intensa. José Dirceu, ex-chefe de gabinete e ministro mais influente de Lula da Silva, havia sido um agente dos serviços de inteligência cubanos. No exílio em Cuba, ele tivera o rosto cirurgicamente alterado. Ele retornou ao Brasil com uma nova identidade (Carlos Henrique Gouveia de Mello, um comerciante judeu) e ficou nessa função até que a democracia foi restaurada. De mãos dadas com Lula, ele colocou o Brasil entre os principais colaboradores da ditadura cubana. Ele caiu em desgraça porque era corrupto, mas nunca recuou um centímetro de suas preferências ideológicas e de sua cumplicidade com Havana.

"Algo semelhante está acontecendo com o professor Marco Aurélio Garcia, atual assessor de política externa de Dilma Rousseff. Ele é um anti-ianque contumaz, pior até do que Dirceu, porque ele é mais inteligente e foi mais bem treinado. Ele fará tudo o que puder para despistar os Estados Unidos.

"Para o Itamaraty – um ministério de relações exteriores reconhecido pela qualidade dos seus diplomatas, geralmente poliglotas e bem educados –, a Carta Democrática assinada em Lima em 2001 é só um pedaço de papel sem importância alguma. O governo simplesmente ignora as fraudes eleitores cometidas na Venezuela e na Nicarágua e é totalmente indiferente a qualquer abuso contra a liberdade de imprensa.

"Mas isso não é tudo. Há outras duas questões que fazem os Estados Unidos quererem ser informados em relação a tudo o que acontece no Brasil, pois, de uma forma ou de outra, elas afetam a segurança dos Estados Unidos: corrupção e drogas.

"O Brasil é um país notoriamente corrupto e essas péssimas práticas afetam as leis dos Estados Unidos de duas maneiras: quando os brasileiros utilizam o sistema financeiro americano e quando eles competem de forma desleal com empresas dos EUA, recorrendo a subornos ou comissões ilegais.

"A questão das drogas é diferente. A produção de coca boliviana quintuplicou desde que Evo Morales se tornou presidente, e o distribuidor dessa substância é o Brasil. Quase tudo acaba na Europa, e os nossos aliados estão querendo informações. Essas informações, às vezes, estão nas mãos de políticos brasileiros."

Minhas duas perguntas finais são inevitáveis. Washington apoiará a candidatura do Brasil a membro permanente no Conselho de Segurança da ONU?

“Se você perguntar para mim, não”, diz ele. “Nós já temos dois adversários permanentes: Rússia e China. Não precisamos de um terceiro.”

Para finalizar, os Estados Unidos continuarão espionando o Brasil?

“Com certeza”, ele me diz. “É nossa responsabilidade para com a sociedade americana.”

Acho que Dona Dilma deveria trocar seu e-mail com frequência.

*****

Para um resumo do Foro de São Paulo com vídeos de Lula, Chávez e Dirceu: http://www.felipemourabrasil.com.br/2013/06/conspiracao-e-o-foro-que-te-pariu-o.html ("Os cinco crimes do Foro" estão no décimo item);

Atas do Foro de São Paulo: http://www.midiasemmascara.org/arquivo/atas-do-foro-de-sao-paulo.html;

Best seller de Olavo de Carvalho, organizado por Felipe Moura Brasil, 'O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota'.

Ou então fique aí... esperando 20 anos a imprensa brasileira informar você das coisas.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Diário filosófico de Olavo de Carvalho: 'O Papa não é a Igreja. A Igreja É NÓIS.'

[Também publicado no Mídia Sem Máscara.]

Notas recentes do maior filósofo brasileiro - sobre Igreja, Papa, gayzismo, abortismo e guerra cultural - organizadas por Felipe Moura Brasil, também organizador do best seller 'O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota'. As críticas ao pronunciamento do Papa começam a partir da 19.

1.

O Brasil jamais entrará nos eixos se não consertarmos a Igreja Católica primeiro: http://logosapologetica.com/denuncia-faculdade-jesuita-convida-inimigos-igreja-dar-cursos-simposio/?fb_comment_id=fbc_228021844020094_793083_228034337352178#axzz2ec7S0Jxc

2.

Vocês já notaram que SÓ nos países católicos foi possível oferecer uma resistência séria ao comunismo? Espanha, Portugal, Itália, Hungria, Polônia, México, Filipinas, o próprio Brasil, mostraram que Antônio Gramsci tinha razão ao declarar que o principal inimigo do comunismo não era o capitalismo e sim a Igreja Católica. O Brasil só se tornou vulnerável ao comunismo quando a Igreja no nosso país se corrompeu e grande parte da população perdeu a fé. Ou expulsamos os traidores de dentro da Igreja, ou será impossível salvar o Brasil.

João Lucas Maliska Pedra Hume Prof., pouco sei sobre tal assunto, mas, se a ICAR se livrar da praga vermelha isso se estenderá às outras denominações?

Olavo de Carvalho Isso fortalecerá todas as igrejas cristãs. A Igreja Católica é a mãe delas. Se a mãe se prostitui, não se pode esperar que as filhas andem na linha.

3.

Sugestão para os católicos:

1) Organizar um dossier (pode ser uma página do Facebook) com dados sobre todos os padres e bispos que colaboraram com organizações comunistas, tudo muito bem documentado.

2) De posse desse material, enviar um abaixo-assinado ao Vaticano, com o maior número possível de assinaturas, pedindo que a excomunhão desses indivíduos seja reconhecida oficialmente.

Isso é urgente. Se não limparmos primeiro a Igreja Católica, pouco poderemos fazer pelo Brasil.

Carlos Penha O que tem de padre esquerdista nessas paróquias não é brincadeira.

Olavo de Carvalho "Ser esquerdista" não basta. É preciso provar colaboração ou parceria com entidades comunistas.

Arthur Valença Mas aí "um terço das estrelas cairão"...

Olavo de Carvalho Que caiam.

Danilo Severo Olavo, queria te perguntar que táticas usar pra quebrar os meios de ação dos movimentos gayzistas do Brasil Entre outros mais, creio que o movimento gay é o pior.

Olavo de Carvalho Uma coisa de cada vez.

4.

Ande com uma cópia do Decreto de Pio XII e João XXIII contra o comunismo e, quando encontrar um padre pregando comunismo, diga na cara dele: Você não é padre merda nenhuma. Não é sequer um membro da Igreja. Está excomungado faz tempo e anda por aí com essa fantasia de carnaval enganando as pessoas. Vá tomar no cu, mas tire a batina antes.

Olavo de Carvalho Faça isso e verá o bundão sair correndo.

Olavo de Carvalho NÃO RESPEITE jamais um falso padre.

Gabriel Viviani Eles não usam mais batina.

Olavo de Carvalho Parece batina mas é um negligé.

Diego Garcete Professor o que aconteceu no concilio vaticano segundo que aumentou esses comunistas dentro da nossa santa igreja?

Olavo de Carvalho Está tudo no livro do Roberto de Mattei. O autor irá ao Brasil em breve, por iniciativa do Instituto Plínio Correia de Oliveira. Se puder ir lá ouvi-lo, não perca.

Lucas Antonio Feitosa Tem que saber separar as coisas. Uma coisa é um agente infiltrado que sabe da merda que está fazendo; outra é um idiota útil que desconhece o básico do Magistério e do inimigo que está usando-o como massa de manobra. A excomunhão automática só vale para aquele primeiro. Para este último, a excomunhão latae sententiae só valerá caso ele for alertado e, ainda assim, permanecer no erro.

Olavo de Carvalho Na mosca.

Antonio Carlos Iranlei Sim, professor Olavo de Carvalho, o senhor viu a primeira 'descomunização' de um ex-debatedor que o senhor destruiu por aqui?

Olavo de Carvalho Não sei quem foi o primeiro. Muita gente desistiu dessa frescura de comunismo por ter lido coisas que escrevi. Agradeço a Deus por ter permitido que eu fosse o instrumento dessa transformação.

Fabricio Pitt Pois é, a esquerda está acusando Augusto Nunes de fazer do Roda Viva uma extensão da revista Veja.

Olavo de Carvalho Agora tem alguma chance de virar um programa decente.

Gabriel Warken Charczuk Olavo, uma pergunta: como a PUC admite professores esquerdistas? Na PUC-Rio, sei que é um padre o reitor até hoje, bem como ainda há os maristas na PUCRS e, mesmo assim, há praticamente só professores de esquerda.

Olavo de Carvalho Só uma coisa não tem vez nas universidades católicas: o catolicismo.

5.

Este é um dos acontecimentos mais graves dos últimos tempos no Brasil. A eliminação de TODA oposição cristã é objetivo prioritário do governo petista e de seus aliados: http://brasiliaempauta.com.br/artigo/ver/id/2551/nome/OAB_vai_pedir_a_cassacao_de_Marco_Feliciano_e_Jair_Bolsonaro

6.

Atenção: Quando escrevi que logo logo o pessoal gayzista iria às igrejas com o propósito explícito de cometer ultraje a culto e, reprimido, alegar homofobia, disseram que era um exagero calunioso. O caso ocorrido na igreja do pastor Feliciano ilustra que a minha previsão era simplesmente exata. Só que expulsar as garotas da igreja não basta. É preciso processá-las por crime de ultraje a culto (com o agravante da premeditação). E processar também a Rede Globo, que, ao assumir a defesa delas, incorre em delito de apologia do crime.

Lucas Ribeiro Cavalcante Segundo o André, não precisa 'da força do Estado' para resolver esses problemas... só expulsar já basta.

Olavo de Carvalho Gestos de macheza desacompanhados da ação judicial eficaz só servem para provocar o adversário.

Guiga Lacerda Não sei se é aplicável o ultraje a culto, Olavo, em função deste ter sido em local público, foi numa avenida da cidade.

Olavo de Carvalho O culto ser em recinto fechado ou aberto é indiferente. A lei ignora essa distinção.

7.

Se você não usa as leis, elas se esvaziam. A descrença nos tribunais é uma profecia auto-realizável.

Fernando Nepomuceno:



Olavo de Carvalho Cusil ou Brascu, será sempre no nosso.

8.

Antonio Perez Jr. Aí, o que o sr. sempre sugeriu que fosse feito, foi feito. E deu certo. http://youtu.be/3w3cIskY100

Olavo de Carvalho Crime é crime. Tolerá-lo é incentivá-lo.

9.

A campanha lançada pelo movimento gayzista, "Por mais beijos lésbicos nos cultos do Marco Feliciano", é ostensiva APOLOGIA DO CRIME, já que, de maneira ostensiva, deliberada e planejada, instiga à violação sistemática do Art. 208 do Código Penal. Isso traz aos cristãos a oportunidade - e o dever estrito - de processar TODOS os responsáveis por essa iniciativa criminosa e todos aqueles que a apóiam publicamente de qualquer maneira que seja. Não é justo nem razoável punir somente as duas agentes isoladas, e deixar seus mandantes e instigadores livres para que repitam a operação, impunemente, em todas as igrejas. O sucesso subiu à cabeça dessa gente, que agora dá a cara a tapa. Crime é crime. Tolerá-lo é incentivá-lo. Ou as igrejas cristãs reagem agora - não somente com palavras, mas com atos -, ou o crime de ultraje a culto, por impunidade reiterada, acabará por se consagrar como um direito, estrangulando de vez a liberdade religiosa no Brasil. .

10.

O óbvio do óbvio: Você pode ser contra gayzismo, feminismo, quotas raciais, controle da mídia, o diabo. Lutar contra idéias e propostas só tem valor simbólico. O que interessa é QUEBRAR O PODER DOS AGENTES. Quando vão entender isso, meu saco?

Olavo de Carvalho Quando você vence uma idéia, o filho da puta já vem com outras quinze. Tire dele os meios de ação, e ele vai ficar sonhando com suas idéias no banheiro, sem poder fazer mal a ninguém.

Jorge Roriz Olavo: como podemos quebrar o poder dos agentes?

Olavo de Carvalho O meio mais fácil é destruir a segurança psicológica do desgraçado, mediante humilhações sucessivas.

Jorge Roriz Vamos traçar planos para a ação?

Olavo de Carvalho Lênin ensinava: fazer o inimigo perder a vontade de lutar.

João Baltar Freire Para tornar-se também um agente?

Olavo de Carvalho Por definição, só se remove um agente para tomar o lugar dele. Se você não quer o lugar dele, ele quer.

11.

Por exemplo: Para que perder tempo refutando a teologia da libertação, se você pode fazer o seu representante perder o embalo de defendê-la? Quando uma teoria não tem substância cognitiva própria, quando ela é apenas uma camuflagem de um jogo de poder, discuti-la em si mesma é entrar no jogo. O que é preciso é quebrar a autoconfiança do jogador, fazê-lo "pedir para sair".

Olavo de Carvalho Humilhar, humilhar e humilhar, até o sujeito confessar que é um bosta.

Olavo de Carvalho É o método Oto Maracajá Branquinho.

Edson Teles Professor Olavo, dê um exemplo de como podemos colocar em prática este se ensinamento.

Olavo de Carvalho Não se contente em refutar idéias. Mostre a inépcia do adversário, exija publicamente que ele seja expulso da vida intelectual por incapacidade. Trate-o como um lixo, que é o que ele é, e não como um adversário respeitável. Fiz isso com o João Pedro Stedile na Bienal do Livro de Porto Alegre e ele saiu choramingando "Se eu soubesse que iria ser tratado assim, não teria vindo."

Dárcio Bracarense BOA! Peão fora do tabuleiro não joga.

Olavo de Carvalho É isso!

Olavo de Carvalho Fale no tom de quem exige: "Confesse que é um bosta!"

12.

É inútil tentar convencer quem acha que já sabe. Sem a humilhação preliminar que quebra a autoconfiança postiça e cria o desejo de saber, nada é possível.

Veri Vff II O pior é que a humilhação preliminar ainda gera uma falsa vitimização...

Olavo de Carvalho Não se deixe comover por lagrimas de crocodilo. Bata até o precunçoso pedir penico. Às vezes eles simplesmente vão embora, mas voltam depois de algum tempo, humildes, fazendo perguntas.

13.

Debater idéias é bom com pessoas honestas que respeitam a nossa dignidade e querem conhecer os nossos argumentos. Gente que intimida alunos, suprime nossos meios de expressão, monta campanhas difamatórias, "ocupa espaços", etc., tem de ser tratada sem dó nem complacência.

14.

Por exemplo: Ser o Breno Altman dói. Negue-lhe todo anestésico.

15.

Seja um estraga-prazeres. Mostre ao sujeito que ser quem ele finge ser tem um preço que não vale a pena pagar.

16.

Se quer dar certo nessas coisas, siga os meus lemas: (1) Eu vim para foder com tudo. (2) Ninguém me déte.

17.

Esse pastor é um covardão que, para não ter de combater o inimigo, se faz de valente contra outros cristãos. http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/09/17/pastor-faz-abaixo-assinado-para-retirar-de-imagem-de-santa-de-praca-em-goias.htm

18.

Mais uma farsa consagrada vem abaixo, com um atraso de muitas décadas: Matthew Sheppard, o santo padroeiro do movimento gayzista americano, não foi assassinado por um homofóbico, mas por um homossexual: http://www.wnd.com/2013/09/how-matthew-shepard-anticipated-trayvon/#W9mJE188T2tiLrrm.01

19.

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2013/09/1344294-papa-critica-obsessao-da-igreja-com-aborto-casamento-gay-e-contracepcao.shtml

O esforço intenso que esse Papa desempenha em lisonjear os inimigos e escandalizar os católicos não parece deixar margem a dúvidas sobre quem é ele e quais as suas intenções.

Bergoglio está para a Igreja Católica como Barack Hussein Obama está para a nação americana.

Li a declaração no original. Não há desculpa. Não é a Igreja quem "fala muito desses assuntos". É o movimento gayzista internacional, que tem todos os megafones à disposição, e perto do qual a voz da Igreja se torna um sussurro inaudível. E, se é para dar aos gayzistas o conforto do silêncio, é preciso conceder o mesmo benefício aos adúlteros, aos masturbadores, etc. que pelo menos pecam em privado e não se arrogam o direito de achincalhar a Igreja em público.

Esse é o ponto mais importante. Se o Papa tivesse recomendado mais discrição da Igreja ao falar dos pecados sexuais em geral (inclusive o homossexualismo, é claro), tendo em vista a ascensão generalizada de pecados infinitamente mais graves, como o homicídio em massa, o tráfico de pessoas, a prostituição infantil, etc., eu seria o primeiro a aplaudi-lo. Não tem sentido, no mundo atual, achar que o garoto que tocou uma punheta no banheiro vai para o inferno ao lado de Fidel Castro, Pol Pot e Robert Mugabe. Mas o homem concedeu uma trégua especial ao gayzismo e ao abortismo, que são forças políticas mundiais organizadas, sem estendê-la a todos os pecados da carne, mesmo infinitamente menos graves que o aborto, o qual não é um simples pecado da carne e sim um homicídio. É absurdo, é injusto, é um escândalo em toda a linha.

20.

O abortismo já alcançou as dimensões de um genocídio mundial, e dar-lhe trégua sem poupar garotos de 13 anos que se masturbam é TOTAL falta de senso das proporções.

21.

Aos adeptos do "senta que o leão é manso": O mesmo pretexto, de que se trata apenas de pastoral, não de doutrina, foi usado para justificar todos os erros do Concílio Vaticano II que estão destruindo a Igreja há meio século. Chega.

Olavo de Carvalho Não esqueçam que a Reforma Protestante na Inglaterra se fez por mudanças na liturgia, pouco a pouco, sem tocar ostensivamente na doutrina.

22.

Qualquer evangélico que deseje se prevalecer desta situação deprimente para falar mal da Igreja Católica em geral, que o faça em sua própria página. Se o fizer aqui, será bloqueado para sempre.

Daniel Gaspar "desta situação deprimente". Qual situação? Ser evangélico?

Deiby Mendes Ser luterano é uma condição deprimente?

Olavo de Carvalho Deiby Mendes e Daniel Gaspar, vocês não sabem ler? A situação deprimente a que me refiro são as declarações do papa. Não sei se vocês são analfabetos funcionais ou maliciosos que se fazem de sonsos.

23.

Por que alguns fulanos insistem em vir falar mal de mim na minha página, em vez de fazê-lo nas suas próprias? Essa parasitagem, por si, já mostra que são canalhas em toda a linha.

Olavo de Carvalho Mário Souza e Thiago Oliveira, é de vocês mesmos que estou falando. Sanguessugas, parasitas, canalhas, filhos da puta se fazendo de católicos devotos.

24.

Vou repetir os argumentos. Não vou aceitar que filhos da puta entrem aqui de carimbo em punho, fazendo-se de gostosões sem ser capazes de refutar o que eu disse: [repete o item 19, a partir de "Li a declaração original (...)"]

25.

Perguntas que eu faria ao Papa:

1) É a Igreja que faz mas barulho contra o abortismo ou os abortistas que fazem mais barulho contra a Igreja? Somos nós ou eles quem tem o apoio da mídia mundial?

2) É a Igreja que faz mais barulho contra o gayzismo ou os gayzistas que fazem mais barulho contra a Igreja? Somos nós ou eles quem tem o apoio da mídia mundial?

3) Vossa Santidade acha mesmo que recuar vai fazê-los calar? O recuo do Concílio Vaticano II ante o comunismo impediu que os comunistas continuassem a matar pessoas na China, no Camboja, no Vietnã, superando, em números, até os crimes de Stalin?

4) Vossa Santidade acha que dar trégua ao abortismo vai diminuir o número de abortos?

26.

Todos vocês são testemunhas de que sempre combati exageros moralistas contra gays, adúlteros, punheteiros, etc. NÃO É por "conservadorismo" que estou criticando o pronunciamento do Papa. É por um exame estritamente objetivo, que ninguém até agora conseguiu contestar, só resmungar contra. A PIOR ofensa que você pode fazer a um filósofo é achar que ele "toma posição" e daí deduz suas opiniões, quando ele está fazendo exatamente o contrário disso. Querem que eu repita os argumentos?

Yuri Freire de Carvalho Se os homens (profetas) se calarem, as pedras falarão! Já diz as escrituras.

Olavo de Carvalho Eu sou uma dessas pedras falantes.

27.

Todos os católicos que entendem a gravidade da situação (favor reler os meus argumentos e as quatro perguntas) têm a obrigação de escrever ao Papa EXIGINDO que ele corrija o que disse.

Olavo de Carvalho Se Sta. Teresa teve a coragem de dizer a um Papa "Seja homem", por que não deveríamos dizer a ele um simples "Seja sensato"?

28.

"Roma perderá a fé e se tornará a Sede do Anticristo" - N. Sra. de La Sallete

29.

Sugiro que todos os católicos rezem um Rosário pedindo a Nossa Senhora que nos faça vez as coisas como elas realmente são.

Olavo de Carvalho Não creio que encontraremos alguém mais capaz de aplacar as nossas dúvidas.

30.

O abortismo no mundo já alcançou tais proporções, que NADA que se diga contra ele é excessivo ou inconveniente. Por outro lado, carregar nas tintas do moralismo contra os homossexuais é também errado, porém mais insensato ainda é recuar ante o movimento gayzista e a proposta do "casamento gay". "Nossa luta não é contra a carne e o sangue, mas contra os principados e potestades das trevas." Vocês acham que esses principados e potestades são puramente espirituais, que eles não estão perfeitamente encarnados em poderes políticos neste mundo?

Olavo de Carvalho O que o Papa deveria ter dito é: Falem menos contra a conduta homosexual em si (ou contra qualquer outra conduta sexual) e mais contra o movimento gayzista como poder político.

Olavo de Carvalho Se foi isso o que ele quis dizer no fundo, ele deveria fazer um cursinho de expressão verbal.

31.

NÃO foi dando refresco ao inimigo que João Paulo II impôs respeito ao mundo.

32.

Sim, 19 de setembro (de 1846) foi a aparição de Nossa Senhora em La Salette, quando ela anunciou que "Roma perderá a fé e se tornará a Sede do Anticristo". 19 de setembro de 2013 foi a publicação das declarações insensatas do Papa Francisco. Se há nisso um sinal, não sei.

Olavo de Carvalho Mas creio que a própria Nossa Senhora não recusará esclarecer isso a quem o pedir com devoção.

33.

Notem que, SE as declarações do Papa já são a realização da profecia de La Salette, isso não enfraquece a nossa fé, mas a fortalece. Se não confirmam, se o Papa apenas se atrapalhou no uso das palavras, então a situação é melhor do que parece. Nos dois casos, Cristo vence.

34.

O Papa não é a Igreja. A Igreja É NÓIS.

Olavo de Carvalho "Tende bom ânimo."

35.

Isto vale para as nações como vale para a Igreja:



36.

O Papa Francisco traça um retrato unilateral dos homossexuais como vítimas, e nem de longe menciona o poder político gayzista e a guerra sem quartel que, com o apoio da mídia, de vários governos, de fundações bilionárias e de organismos internacionais, ele move contra a igreja em toda parte. Isso não é admissível, não é tolerável e, simplesmente, não é honesto.

37.

Será que o Papa sabe de coisas deste gênero? http://www.wnd.com/2013/09/christians-facing-hunger-after-gay-rights-battle/

38.

O cerco está se fechando, a liberdade de religião vai se extinguindo a olhos vistos, os canais de ação vão sendo tampados um a um, e as nossas gloriosas Forças Armadas dormem. Esperam que "a sociedade civil" as convoque. Fazem de conta que não sabem que todos os órgãos representativos da sociedade civil já foram tomados e aparelhados. Arranjaram a mais linda desculpa para a cumplicidade passiva.

39.

Por favor, santarrões de plantão. Parem se me explicar "o que o papa realmente disse". Li a entrevista no original. O que o papa propõe é claramente ATENUAR o discurso anti-abortista e antigayzista da Igreja, tal como o Concílio Vaticano II atenuou o discurso anticomunista. Vai ser um desastre agora, como foi então.

Olavo de Carvalho O papa fala dos pobres homossexuais humilhados, mas não diz uma palavra contra a perseguição movida pelos gayzistas contra os cristãos. É o fim da picada.

Conceição Aguiar No começo da entrevista ele afirma sentir-se incomodado em dar entrevistas, pois não gosta de respostas imediatas sem que ele possa pensar antes! Ele tem direito de errar e de esclarecer-se também. Não é justo julgarmos ele dessa forma. É preciso que ele saiba nossa indignação e se esclareça. Precisamos informá-lo sobre o grande lobby marxista no mundo, não podemos achar que ele é um deles sem que ele se esclareça.

Olavo de Carvalho Ok, o Papa é apenas um jovem inexperiente, vamos dar-lhe uma chance de se explicar. O prazo de UM ANO para ele fazer um discurso forte contra o abortismo e o gayzismo será suficiente? Espere então um ano.

40.

Falar apenas de "homossexuais" sem mencionar o movimento político enormemente poderoso que os sustenta é DEFORMAR a realidade, como se o problema fosse apenas de pecados individuais e não de uma força organizada em escala mundial. NÃO é possível o papa ignorar que suas palavras reforçam imediatamente o movimento gayzista sem trazer nenhum benefício substantivo aos homossexuais individuais, que nunca foram recusados na Igreja.

41.

Até o momento só vi o papa alisar a cabeça de não-cristãos e até de assassinos de cristãos. Quando um papa diz que é possível ir ao céu sem crer em Cristo, que é que falta para ele dizer que todas as religiões se equivalem, nelas incuído o ateísmo militante?

Olavo de Carvalho Exigir que todo mundo baixe a cabeça diante de afirmações tão aberrantes não é apelar com sinceridade ao dever católico da obediência: é usá-lo como arma de chantagem psicológica.

42.

Se a declaração do papa sobre gayzismo e abortismo fosse uma exceção, podia talvez merecer uma interpretação mais elástica. Mas essa declaração é coerente com tudo o que ele tem dito e feito desde que subiu ao trono de Pedro.

Igor Rocha Olavo, será que você com sinceridade procurou entender o que disse o papa desde que ele assumiu o papado? Com sinceridade? Acho que o senhor poderia conversar com alguém que entenda do assunto como Padre Paulo Ricardo...

Olavo de Carvalho E você tem certeza de que acompanhou com sinceridade o que vim pensando a respeito desde o início do reinado de Francisco? E tem certeza, com sinceridade, de que as frases dele não dizem o que dizem?

43.

Notem bem: O Papa não está lá para desfrutar sempre da nossa paternal condescendência na interpretação das suas palavras. Ele está lá para nos ensinar e guiar. É um pai e não um jovem inexperiente que precise de compreensão e tolerância. Chega de alegar sempre a desculpa da ignorância, das boas intenções mal expressas, das ambigüidades de linguagem, etc. Estamos fazendo isso desde 1962 e vejam no que deu.

Olavo de Carvalho Pio XII jamais precisou que alguém explicasse "o que ele queria realmente dizer". Ele dizia o que pensava realmente, e todo mundo compreendia.

44.

A simples ambigüidade de expressão, na boca de um papa, já é intolerável.

45.

A única hipótese viável, no sentido de que as intenções do Papa não sejam aquelas que transparecem das suas palavras, é a de que estas tenham sido falsificadas não pela "midia" em geral, que simplesmente as reproduziu, mas pelos próprios jesuítas que o entrevistaram, com a cumplicidade dos censores oficiais. Isso faria de Francisco um prisioneiro da elite vaticana, tal como Paulo VI. Nunca afastei essa possibilidade.

Jean Brandão Em se tratando deste tema, professor, nunca é demais ter precaução e moderação.

Olavo de Carvalho Você acha que aceitar todas as desculpas desde 1962 é pouca precaução e moderação?

Vito Pascaretta Professor, do que já acompanhei do Papa em entrevistas, o italiano dele não é dos melhores... aquela entrevista no aviao quando da viagem ao Brasil me deixou essa impressão. O Papa não sabe a diferença entre "ascoltare" e "sentire". Então talvez seja pura falta de vocabulário a razão dessa confusão toda.

Olavo de Carvalho Tente dizer as mesmas coisas com outras palavras, para ver no que dá. Vale a experiência.

46.

Mas, se a palavra do Papa só nos chega pelo filtro da elite traidora, a obediência ao papa torna-se, na prática, impossível.Você pensa que está obedecendo a um, mas está obedecendo a outro sem saber. A situação hoje parece muito pior e mais confusa do que aquela descrita por Malachi Martin em "The Windswept House".

Aijalom Wagner Porque não é possivel? Acaso não temos acesso ao material escrito por ele? É só deixar as interpretações externas de lado e meditar segundo aquilo que priorizamos em nossa jornada.

Olavo de Carvalho Cada palavra que ele escreve passa por muitos cardeais antes de ser publicada. A incerteza é perfeitamente legítima no caso. Então partimos para a livre interpretação e nos tornamos protestantes sem saber.

47.

Não tenho a menor idéia das intenções do Papa, mas tenho alguma das intenções que transparecem de algumas das suas declarações cujo sentido é, no mínimo, ambíguo. Ele diz, por exemplo, que alguém que não crê em Jesus pode ir para o céu, mas não esclarece se essa pessoa conserva a mesma possibilidade caso continue descrendo deJesus até o minuto da morte, ou se quis apenas dizer que o descrente de hoje pode ser o crente de amanhã. Diz que a Igreja deve falar menos contra o abortismo, mas não explica como vai impedir que essa atenuação do discurso acabe encorajando o abortismo. Se, por trás disso tudo, ele tem intenções que refletem a doutrina tradicional da Igreja, então das duas uma: ou ele está se explicando muito mal, ou alguém no Vaticano está pondo palavras na boca dele.

Marta Serrat Acho que o papa quis dizer o que ouvi de Don Ediney, arcebispo auxiliar de Dom Orani Tempesta, no Rio: Marta, Deus ama o pecador mas nao ama o pecado.

Olavo de Carvalho Se ele quisesse dizer isso, ele diria isso.

48.

Levem isto em consideração:

Pope's Exorcist Says the Devil Is In the Vatican

49.

Allan Lopes dos Santos Este trecho da Suma Teológica citado pelo Nelson Monteiro Sarmento [http://goo.gl/y4bfuz] não se aplica ao caso. O Olavo de Carvalho não está fazendo juízo sobre a bondade ou a malícia internas do Papa Francisco, mas do ato objetivamente. Qualquer catecismo simples ensina: os atos devem ser julgados segundo o objeto, fim e circunstâncias.

Longe de querer julgar o é de foro interno, o Olavo está deixando claro o que é justo.

O mesmo Santo Tomás diz um pouco mais adiante que a citação do Nelson:"O juízo não é outra coisa que certa definição ou determinação do que é JUSTO" [iudicium nihil est aliud nisi quaedam definitio vel determinatio eius quod iustum est].

Ademais, a resposta de Santo Tomás onde ele diz que "pode suceder que o que interpreta no melhor sentido se engane mais frequentemente; porém é melhor que alguém se engane muitas vezes tendo bom conceito de um homem mau que se engane raras vezes pensando mal de um homem bom, pois neste caso se faz injúria a outro, o que não ocorre no primeiro", é referente à objeção que segue:

"O juízo deve versar melhor sobre o que sucede EM MAIOR NÚMERO DE VEZES. Mas, na maior parte dos casos sucede que se opera mal, pois o número dos néscios é infinito, como diz em Eclesiástico 1,15, e os sentidos do homem estão INCLINADOS ao mal desde a adolescência, segundo se lê em Gênese 8,21. Logo, as dúvidas devem ser interpretadas melhor no mal que no bom sentido."

Qualquer infante no estudo da Suma Teológica sabe que ele usa nas "Praeterea" de PRINCÍPIOS corretos para artificiar argumentos LÓGICOS que possuem CONCLUSÕES erradas. Para nas suas refutações, dar as soluções. Ora, o que Santo Tomás responde no texto pelo jovem supradito é CONTRA os que PREFEREM escolher a interpretação maléfica em detrimento da benéfica.

Eu mesmo tenho divergências com o Prof. Olavo, mas usar de textos soltos para insinuar que ele disse o que não disse, ou mesmo, esquecer que ele não fica julgando o Papa Francisco maleficamente, só podem ser duas coisas: primeiro, que o jovem usou de má fé para dizer que devemos usar sempre de boa fé nos juízos, contradizendo-se evidentemente, ou, segundo, que não sabem bem como ler a Suma Teológica, ou mesmo que saiba, por algum possível colapso, escapou-lhe como assim se faz.

Prefiro entender beneficamente que ele teve um lapso comum a todos nós, contingentes.

Olavo de Carvalho Perfeito.

Allan Lopes Dos Santos E para refrescar o coração, veja isso, Olavo de Carvalho: http://www.youtube.com/watch?v=88XTSPWqeeI

Olavo de Carvalho Precisamos de mais cardeais como Burke.

50.

Alguns católicos não percebem o quanto é ridículo entrarem aqui com aquela pose inquisitorial de quem enxerga em mim o vírus da heresia, advertindo que estou no caminho da perdição, como um novo Lutero. São uns burrinhos que não conhecem nem os requisitos mínimos para uma acusação de heresia. Apegam-se a uma ilusão de ortodoxia como muleta para as suas personalidades imaturas, vacilantes, e tomam auto-afirmações pueris como "zelo pela Casa do Senhor". Foi desses que Simone Weil escreveu "Estar no inferno é acreditar, por engano, que se está no céu."

Cleidson Granjeiro Totus Mariae Será que Padre Paulo Ricardo se manifestará com relação às declarações do papa?????

Olavo de Carvalho Não sei. Acho que, como acontece a todos os católicos sinceros, esse problema o faz sofrer.

51.

É natural nos fiéis católicos a ânsia de interpretar no sentido mais bonito possível as palavras dos papas, cardeais e teólogos, as discussões dos Concílios, etc. etc., mesmo quando seu conteúdo sugere ao menos um fundo de escândalo. É natural até forçar um pouco o sentido das palavras para afastar suspeitas atemorizantes, por medo de dividir os fiéis. Mas foi só a partir de 1962 (Concílio Vaticano II) que os católicos foram induzidos a entregar-se a esse exercício com dedicação cada vez maior, em vez de exigir das autoridades eclesiásticas que falem claro e pratiquem o "Sim, Sim, Não, Não". Meio século dessa auto-anestesia piedosa já é o bastante. Já em fins da década de 60 Gustavo Corção arrependia-se amargamente de ter forçado até o último limite sua capacidade de adoçar o veneno eclesiástico. Leiam "O Século do Nada"e verão a dor, o sofrimento horrível do crente sincero que, de repente, percebe ter ajudado os outros a enganá-lo por muito tempo. Chega de tolerância para com a ambigüidade. Temos o dever e o direito de exigir isso não só do Papa, mas de todo o clero.

52.

Se o Papa quer que o compreendamos no sentido da doutrina tradicional, ele que se explique em termos claramente compatíveis com ela; que pare de se arriscar com figuras de linguagem temerárias, que lançam a dúvida no coração dos fiéis. Não faltam jornalistas e escritores católicos habilitados para ajudá-lo nisso.

53.

Qualquer que seja o caso, a Igreja não tem a obrigação se seguir o espírito dos tempos, mas de criá-lo. Ela é Mãe e Mestra, não filhinha e discípula. Ela tem de ser mais veloz que o mundo, ir adiante dele e conduzi-lo, e não deixar-se arrastar por ele. O que estou falando é o contrário de qualquer imobilismo tradicionalista. É a auto-renovação autônoma de uma Igreja que não recebe ensinamentos do mundo, mas o sobrepuja, transcende, abarca e domina espiritualmente. Ela tem de ser superior ao mundo, em conhecimento, iniciativa e criatividade. Non ducor duco.

Pedro Ferreira de Castro Senhor Olavo, aproveitando o tema religioso, gostaria de saber se filosoficamente é possível pensar uma moral sem pressupostos metafísicos. Obrigado

Olavo de Carvalho Seria como uma engenharia sem matemática.

54.

O Papa quer renovar o discurso da Igreja? Pois bem, que os padres, nos sermões, voltem a falar dos milagres, um assunto em que hoje eles têm inibição de tocar. Que mostrem aos fiéis os corpos intactos dos santos. Que mostrem os vídeos do Dr. Ricardo Castañon e desafiem a contestá-los. Que chamem os ateus para a briga tomando como ringue os milagres do Padre Pio. Que tornem os milagres o assunto mais falado do mundo, como deveriam ser. Amolecer com gayzismo e abortismo vai fazer tanto bem quanto isso? Para que precisamos alisar as cabeças de malucos, quando podemos injetar nelas alguma sanidade, bastando ter coragem para isso?

Rodrigo Machado De repente a linha de entendimento do Papa esteja agora mais voltada para como o próprio Jesus agiria nos dias de hoje. Quem conhece o Novo Testamento sabe que Jesus comia com pulicanos e pecadores, pois sua estratégia de evangelismo era com base no amor. Notem que durante o ministério de Jesus a pereguição a ele era de origem políto-religiosa. Cristo chamma sua igreja de pequeno rebanho...neste mundo a voz do povo não é voz de Deus, mas sim a do Espírito Santo que convence do pecado, da justiça e do juízo.

Olavo de Carvalho Alguém viu Jesus atenuar o discurso contra os poderes deste mundo? A fala do papa não ajuda nenhum homossexual em particular, mas favorece o movimento gayxista e abortista. Isto é o óbvio dos óbvios. E por que o Papa não mostra um pouco de amor aos católicos tradicionalistas que tanta discriminação vêm sofrendo há meio século?

55.

NADA, absolutamente nada autoriza algum católico a xingar o Papa. Mas TUDO nos autoriza a exigir dele uma atitude clara e inequívoca.

Thiago Moraes Mas você xingou ele, professor.

Olavo de Carvalho Comparei-o ao Barack Obama. Você acha que ele se ofenderia com isso?

Thiago Moraes Hahahahah...Eu acho que sim, quer dizer, ESPERO muito que sim, professor.

Rodrigo Mundaka Leon Prof. Olavo, quiero estudiar filosofía, personalmente que universidad o grupo usted aconseja? Un fuerte abrazo! Siga adelante. Siempre está en mis oraciones.

Olavo de Carvalho Rodrigo Mundaka Leon Em que país você mora?

Rodrigo Mundaka Leon Bolivia pero estaré yendo a la Universidad de Navarra, en España. Que le parece?

Olavo de Carvalho É uma das melhores opções.

56.

Sugiro o seguinte: Vamos esperar mais UM ANO e ver se as atitudes do Papa tomam um sentido mais claro.

Olavo de Carvalho Mas que estou cansado de ambigüidades, estou.

57.

Não me venham com essa conversa adocicada de que o Papa quer converter todo mundo por meio do "amor". As palavras dele não ajudam nenhum homossexual ou abortista a converter-se, mas fortalecem DIRETAMENTE o movimento gayzista e abortista. É IMPOSSÍVEL que alguém em seu juízo perfeito não perceba esse efeito imediato e incontornável.

Olavo de Carvalho Lisonjear a autovitimização desses grupos NÃO pode ajudá-los a converter-se.

Luhen Veiga EU NUNCA IRIA ME CONVERTER... SOU O QUE SOU E TO AÊ.

Olavo de Carvalho Você pelo menos é sincero. Por isso mesmo, acredito que vai se converter um dia. Ninguém aqui está com pressa.

Luhen Veiga TRANQUILO. Eu não tenho hora para morrer, por isso vivo...

Olavo de Carvalho Longa vida, irmãozinho!

Dereck Andrews Professor, quais são os livros mais indicados à compreensão do que real se passou antes, durante e depois do Vaticano II além daquele do Michael Davies? Um que abarcasse o assumpto desde São Pio X seria úptil, também.

Olavo de Carvalho O livro do Roberto de Mattei.

58.

Vejam as repercussões: http://www.wnd.com/2013/09/is-pope-francis-even-catholic/

Mario Celso de Moraes Esse papa permite que a inteligencia e o bom senso caminhem juntos com a fé que ele professa, de um modo Cristão como não se via há muito tempo, de modo que, ele vai revolucionar a igreja e vai amealhar muitos fieis. Acredito que em função do modo como ele pensa e conduz suas convicções, irá colaborar pra tornar o mundo um pouco melhor, com sua influência que não é pouca. Toda pessoa de destaque é assim mesmo, amada e criticada. Eu gosto desse Papa e até agora não vi nada que o desabone, muito ao contrário. Ateus e opositores falando e nada, são a mesma coisa.

Olavo de Carvalho Sonhos contra fatos. Ele pode conquistar muitos fiéis... para a Igreja da Nova Ordem Mundial. Você não estudou NADA do assunto e se limita a externar seus desejos, como uma criança.

59.

Não tenham dúvidas do que está acontecendo. Os poderes deste mundo estão implantando à força um projeto completo e abrangente de civilização, onde o Estado, associado a meia dúzia de grandes grupos econômicos, terá o controle total da sociedade. O maior número possível de famílias será dissolvido (nos EUA já são 50 por cento), reduzindo as massas um aglomerado de indivíduos atomizados, sem ligações orgânicas, só associados por justaposição mecânica regulamentada, isto é, pela mediação do Estado, vivendo num estado de permanente excitação sexual e alucinógena sem descanso possível, enquanto apenas 10 por cento da população trabalham para sustentá-los. Esse é o projeto. Gayzismo, abortismo, ecologismo e todos os movimentos de esquerda não são senão instrumentos para realizar o projeto. O livro do Malachi Martin, "Windswept House", descreve o esforço da elite globalista para integrar e usar a Igreja como instrumento desse projeto; esforço que, no tempo de João Paulo II, já estava quase vitorioso. Amoldar a Igreja aos "valores da nova civilização" é parte integrante desse projeto, e é IMPOSSÍVEL que o Papa não saiba disso.

Olavo de Carvalho As alternativas são o Califado e o Império Eurasiano. O Papa poderia virar o tabuleiro em 24 horas, mas não do jeito que ele está fazendo.

André Gomes da Silveira O que o ecologismo tem com esse projeto?

Olavo de Carvalho "Salvar o planeta" é a melhor desculpa para controlar todas as fontes de energia, toda a produção de alimentos etc. etc.

Jairo Reis Acho que o papa Bento XVI abdicou para não ser o porta-voz do projeto globalista.

Olavo de Carvalho Muitíssimo provavelmente.

Olavo de Carvalho Leiam "Windswept House". A luta de João Paulo II para salvar a Igreja no meio disso foi heróica, mas nem sempre hábil.

60.

É absurdo afirmar que o Papa aprova o aborto, mas ele propôs claramente atenuar o discurso anti-abortista. E não explicou como pode evitar que esse recuo encoraje ainda mais as pretensões abortistas.

61.

Pelo simples fato de dizer essas coisas, o Papa JÁ mudou a Igreja. Dividiu-a entre os que se sentem escandalizados e os que conjeturam que tudo isso é um plano genial dele para lisonjear, seduzir e por fim converter os inimigos.

62.

João VIII:24 "Se não crerdes que Eu sou, morrereis em vossos pecados." Quando o Papa diz que é possível ir ao céu sem crer em Jesus, ele está desmentindo o próprio Jesus ou está apenas usando uma retórica provocativa, limítrofe ao escândalo, para expressar a banalidade de que o descrente de hoje pode tornar-se crente amanhã? Se não se pode assegurar que a primeira interpretação é a unica verdadeira, quem pode jurar que, ao usar dessa linguagem, ele está falando na clave do "Sim, Sim, Não, Não" que Cristo considerava obrigatória?

Rodrigo Parreira "Nulla salus extra Christus". É o único mote que mantem alguma unidade entre os cristãos. Sem isso não há igreja cristã.

Olavo de Carvalho É o óbvio dos óbvios.

Olavo de Carvalho Em suma : Ou ele faz uma afirmação herética, ou usa de uma linguagem imprudente que só semeia a confusão. Tertium non datur.

Mercia Ribeiro Morais O papa está sendo evangelicalista. Segundo um movimento chamado evangelicalismo o amor e a piedade resolvem tudo. Nesse entendimento não é no Filho de Deus que está a Salvação e sim no atendimento ao próximo trazendo alívio da sua aflição. Quem não crê em Jesus Cristo, mas faz o bem ao próximo tem o céu garantido, porque fazer o bem é ato de amor. E o bem praticado garante o céu, foi isso que ele disse. Nesse caso o bem passa a ser desvinculado da verdade que Jesus disse em João VIII:24. Segundo o evangelicalismo, a prática do evangelho não está em crer em Jesus Cristo, mas tem toda ênfase em praticar a piedade, desta forma até os ateus tem o céu garantido. Parece que os evangelicalistas querem ser mais misericordiosos do que Deus.

Olavo de Carvalho É uma hipótese horrível, mas que temos de examinar.

Mercia Ribeiro Morais Eu a tenho examinado ultimamente e vejo que as palavras do papa se coadunam completamente com o evangelicalismo, assim como inúmeras denominações protestantes o fazem hoje em dia. Sinal dos tempos, estão fazendo Jesus Cristo desnecessário para a alma do Homem.

Olavo de Carvalho Continue estudando isso e escreva mais. Obrigado.

63.

Desafio QUALQUER UM a responder a este argumento: ou a fala do papa sobre a salvação dos descrentes é ambígua (no que acredito) ou é herética. Tertium non datur.

Eduardo Albuquerque Nem um nem outro. Simplemente amor. Quem disse que Cristo não faria o mesmo?

Olavo de Carvalho Prove isso, se puder. Eu pedi refutação, não wishful thinking.

Sidney Silveira Caro e nobre Olavo de Carvalho, vou além e digo que é possível haver AMBIGÜIDADE HERÉTICA, quando se trata de matéria grave e dogmática consignada na Escritura (no caso, em Hebreus, XI, 6), acolhida pela Tradição e definida solenemente pelo Magistério (entre incontáveis outros lugares, no CATECISMO DA IGREJA, CAPÍTULO 3, n. 183, etc.). Em suma, A FÉ É NECESSÁRIA À SALVAÇÃO, a menos que esquecêssemos da eloqüência das palavras de Cristo: "Quem acreditar e for batizado será salvo; mas, quem não acreditar será condenado» (Mc 16, 16). Aliás, é próprio de muitas heresias serem ambíguas, ou seja, dizerem parte da verdade católica, razão pela qual enganaram a muitos. Esta fala do Papa parece-me diferente da que deu João XXII no distante século XIV sobre a visão beatífica, pois ali se tratava de um ponto não definido pelo Magistério naquela altura, embora acolhido pela Tradição. Tanto que o Papa recuou. Grande abraço!

Olavo de Carvalho Obrigado pelo esclarecimento.

64.

Quando Gustavo Corção, em O Globo, passou a expor semanalmente seus sofrimentos de crente ludibriado e desiludido, o comunista Luís Garcia tratou logo de vetar a sua coluna. Não faltaram belas alminhas católicas para aplaudir o ato de censura, alegando que Corção estava sujando a reputação da Igreja. Leiam hoje o que ele escreveu naquele tempo, e, sabendo de tudo o que aconteceu na Igreja nesse ínterim, a debandada dos fiéis, as missas gays, a colaboração geral com o comunismo, etc. etc. verão que o único erro do escritor foi ser comedido demais.

Hendrio Medeiros Marques Olavo, porque não fazes um video de bate-papo com o Padre Paulo Ricardo, como fizeste com o Lobão?

Olavo de Carvalho Não tenho vontade de conversar sobre isso com o meu querido amigo por enquanto. Prefiro dar-lhe tempo de raciocinar.

65.

"Descobri que todas as pessoas que defendem o aborto já nasceram." (Ronald Reagan)

Shalako Tavares E de igual forma, os favoráveis ao aborto também não já nasceram?! Ora, ser contra ou ser favorável a qualquer coisa não depende do fator "nascimento", mas da capacidade de raciocinar e, mais especificamente nesse tema, a dependência dos ditos "elementos culturais". Ou não?

Olavo de Carvalho Terei de lhe explicar a piada? Será difícil entender que todos os defensores do aborto não o admitiriam para eles próprios?

66.

Só nos EUA, 60 milhões de bebês foram abortados desde o infame processo Roe x Wade, e o Papa acha que reclamar muito contra isso é "obsessão". Quantos bebês mais devem morrer para que falar contra o aborto se torne, na opinião dele, uma coisa normal e equilibrada?

Guilherme Santos Olavo, o sr. acha que o Papa é agente da Nova Ordem Mundial?

Olavo de Carvalho Parece que sim. Parece.

Felipe Pires Eu sou a favor do direito individual. Voces têm direito de ser contra o aborto. Mas sua doutrina não muda a realidade. Muitas pessoas descordam de você. E enquanto um ser precisar viver dentro de outro pra sobreviver, o mesmo tem direito de escolha, usando camisinha ou não. Eu não acho coincidência que os países com maiores níveis de IDH permitem a prática. A opinião de vocês é ultrapassada.

Olavo de Carvalho Você quer dizer que todos devemos seguir a opinião dominante nos países mais ricos. Opiniões "ultrapassadas" são apenas opiniões que saíram da moda, que não são aprovadas pelas pessoas chiques do Primeiro Mundo. Isso não quer dizer que sejam opiniões erradas. Você tem o direito de seguir a opinião dessa gente, mas, por favor, não faça isso e depois venha dizer que tem uma opinião independente. Não há independência em ser uma maria-vai-com-os-ricos.

67.

A primeira obrigação, já não digo só dos filósofos, mas a de todo intelectual público, é julgar as coisas com implacável apego aos fatos e aos critérios de inteligibilidade, sem concessões à moda, à opinião chique, a algum fundamentalismo ou ao que quer que seja. O que estou dizendo sobre o Papa não é baseado em nenhum "tradicionalismo", mas simplesmente na lógica do significado. Se Jesus diz que quem não crer n'Ele morrerá em pecado, e o Papa diz que não é preciso crer em Jesus para alcançar a salvação, recusar-se a enxergar aí uma contradição flagrante é o que poderíamos chamar fundamentalismo papista, que sobrepõe a opinião do Papa à letra expressa dos Evangelhos. Por outro lado, enxergar essa contradição não implica necessariamente uma acusação formal de heresia, como poderiam pretender os tradicionalistas (o Brother Dimond, por exemplo), mas implica, sim e incontornavelmente, a admissão de um escândalo. Não vejo, por mais que examine o caso, como escapar disso.

Olavo de Carvalho "É preciso que o escândalo venha, mas ai daquele pelo qual o escândalo vem."

Wallace Junior Prof. Olavo, o Papa Emérito não pode intervir nesse discurso e pedir que ele refaça seu discurso?

Olavo de Carvalho Não sei, mas parece que não.

Fernando Borges de Moraes "Francisco deixou claro que a 'obsessão' da hierarquia católica com o debate político em torno desses temas (aborto e homossexualismo) deixou em segundo plano o que ele vê como mensagem central do Evangelho: o amor e a misericórdia de Deus. É isso o que 'acende um fogo no coração' das pessoas, disse ele, citando o Evangelho de Lucas. Para o pontífice, esquecer isso faz com que a Igreja pareça incitar o ódio contra os homossexuais, o que ele condena." (Reinaldo José Lopes)

Olavo de Carvalho OK, alisar o ego dos abortistas é "acender um fogo no coração deles". Desculpe, mas puta merda! O que acende um fogo no coração é ver a misericórdia de Deus agindo no mundo, como ocorreu em Fátima ou nos milagres do Padre Pio. Não tem nada a ver com palavras adocicadas e dar refresco ao inimigo. A Igreja tem algo de melhor a oferecer ao mundo do que badalação.

David Róger Prof. Olavo: Seria este Papa agente subliminar da NOVA ORDEM MUNDIAL!?

Olavo de Carvalho David Róger Não sei, mas está parecendo que sim.

Antonio Monteiro O que eu vi até agora ele não afirmou isso, eu gostaria que fosse ação completo de onde está o dito!

Olavo de Carvalho O link da entrevista original em italiano já foi posto aqui dezenas de vezes. Role a página e procure.

Antonio Monteiro Vou ter que deixar de assinar o caro filosofo, comentários as suas passagens estão cheios de palavrões!

Olavo de Carvalho Palavrões fazem bem à saúde.

Priscila Dalcin Eu acho q o Papa só quis mostrar ao mundo q os catolicos nao abominam os gays, mas q os amamos como seres humanos, embora nao aprovemos tal conduta.

Olavo de Carvalho Não foi isso que o Papa disse. Ele acusou de obsessivos os católicos que protestam contra gayzismo e aborto.

Thiago Rachid O Papa não falou ex cathedra, Olavo.

Olavo de Carvalho É por isso que me refiro a escândalo, e não necessariamente a heresia.

Bruno Cesar Olavo, não estaria o Papa utilizando a mesma estratégia do marxismo cultural, mas com um propósito inverso: trazer as pessoas para mais perto da igreja e, aos poucos, fazer com que elas assimilem os fundamentos da Igreja?

Olavo de Carvalho O marxismo cultural pelo menos não bajula os inimigos. É mais decente.

68.

Ninguém aqui está querendo ensinar teologia ao Papa. Estou apenas tentando compreender as suas palavras, e, quanto mais as compreendo, menos compreendo a sua razão de dizê-las. Nada entendo de teologia, mas de interpretação de textos entendo alguma coisa.

69.

Reproduzo esta mensagem [do Pedro Eduardo, que trouxe o texto de Adriano Soares] na cabeça da página porque é muito importante e elucidativa:

Caro professor, veja esse comentário do irmão [Adriano] de Dom Henrique Soares, e se possível o divulgue:

A visão latinoamericana é sempre mais flexível em relação aos valores morais. Somos, por assim dizer, mais condescendentes, menos afeitos à rigidez. Há um risco muito grande, portanto, quando olhamos o mundo a partir exclusivamente do nosso ponto de vista.

Parece-me que o Papa Francisco sofre um pouco desse mal vezo. Ao falar de modo flexível sobre temas caros à moral católica, como o aborto, por exemplo, que é a expressão mais eloquente do desrespeito à vida (que, intrauterina, não tem a possibilidade de autodefesa), o Papa passa uma ideia perigosa de sinal trocado, invitando a que, na vida privada, as pessoas deixem de fora justamente os preceitos religiosos que deveriam fazer vida e sob os quais deveria pautar os seu atos.

Ao Papa é dado ser luz para os católicos e não-católicos. Mostrar acolhimento e compreensão aos pecadores (entre os quais todos nos incluímos como dado de fé; todos precisamos do gesto salvífico de Cristo na cruz!). Nada obstante, em temas morais, a flexibilidade que se pode conceder nos casos individuais, conforme as circunstâncias concretas, não corresponde àquela defendida como princípio universal. Exemplificando: a Igreja não admite relações homoafetivas, por princípio, porque o casamento é um sacramento destinado a homem e mulher. Não poderia a Igreja, sem trair o Evangelho, adotar sacramentalmente a união entre pessoas do mesmo sexo. É algo que refoge à moda, que pertence à palavra de Deus. A Igreja não pode dispor dos tesouros da fé, sendo apenas a sua guardiã. Esse é o princípio universal da moral católica.

Isso, contudo, não implica em rejeitar os homossexuais. A Igreja pode até acolher casais homoafetivos que vivam uma relação sincera de amor, porém com acompanhamento pastoral e dentro de limites precisos: trata-se de uma relação que impede a vida sacramental, como ocorre, por exemplo, com os casais de segunda união. É dizer, a Igreja acolhe os seus filhos, porém sem abrir mão dos pontos cardinais da moral católica, baseada na tradição oral e escrita.

É disso que o Papa Francisco fala, porém sem a necessária prudência de pastor do povo de Deus. Expõe uma flexibilidade admitida diante de situações concretas como princípio universal, o que é grave erro em um mundo sem um eixo de valores seguros em que vivemos. Cabe à Igreja o duro papel de ser luz do mundo e sal da terra; cabe à Igreja de Cristo a dura missão de pregar a palavra de Deus, mesmo quando nos recusamos a ouvi-la. Não foi assim, ao seu tempo, com Jeremias? (Jer 1,5-9: "Antes mesmo de te formar no ventre materno, eu te conheci; antes que saísses do seio, eu te consagrei. Eu te constituí profeta para as nações. Mas eu disse: "Ah! Senhor Iahweh, eis que eu não sei falar, porque sou ainda uma criança!" Mas Iahweh me disse: Não digas: "Eu sou ainda uma criança!" Porque a quem eu te enviar, irás, e o que eu te ordenar, falarás. Não temas diante deles, porque eu estou contigo para te salvar, oráculo de Iahweh. Então Iahweh estendeu a sua mão e tocou-me a boca. E Iahweh me disse: Eis que ponho as minhas palavras em tua boca.").

Esse é o papel da Igreja: proclamar profeticamente a palavra de Deus. Ainda quando o mundo a rejeite. Ainda quando grupos de pressão a ataquem. Ainda quando os cristãos sejam perseguidos. Se a Igreja for pop, por certo estará traindo o Cristo Jesus. Ele que não foi pop, não veio para fazer sucesso e ser compreendido. Ele não quis se fazer compreender; quis antes de tudo converter.

Falo sobre mim. Dou o meu testemunho. Em minha privada tenho falhado em face desses princípios da moral católica. Isso não me autoriza, porém, a dobrá-la à minha vontade, à minha conveniência. Já dizia o Senhor, através da boca de Isaías: "Com efeito, os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, e os vossos caminhos não são os meus caminhos, oráculo de Iahweh." (Is 55, 9 ). Cumpre-me, então, sinceramente arrepender-me e buscar adequar a minha vida à palavra de Deus. É fácil? Evidente que não! Já o dizia São Paulo aos Romanos (Rm 7,19-20): "Com efeito, não faço o bem que eu quero, mas pratico o mal que não quero. Ora, se eu faço o que não quero, já não sou eu que estou agindo, e sim o pecado que habita em mim".

A Igreja que amo é a Igreja de Cristo! Não a igreja que que busca estar cheia, não a igreja que se converte ao mundo ou apregoa milagres a torto e a direito. A Igreja de Cristo é aquela que proclama a sua palavra e que a preserva, mesmo sendo incompreendida. Por isso, penso que o Papa Francisco, com a sua doce humildade, não pode dar sinais dúbios em matéria de fé e em matéria moral, porque pesam sobre os seus ombros dois mil anos de história e bilhões de fiéis.

Amo Francisco, como meu pai na fé. É um sinal de humildade e pobreza. Mas há de ser também um sinal eloquente da fé católica em um mundo que não se cansa de dizer não a Deus.

Olavo de Carvalho Perfeitíssima explicação: "É dizer, a Igreja acolhe os seus filhos, porém sem abrir mão dos pontos cardinais da moral católica, baseada na tradição oral e escrita.É disso que o Papa Francisco fala, porém sem a necessária prudência de pastor do povo de Deus. Expõe uma flexibilidade admitida diante de situações concretas como princípio universal, o que é grave erro em um mundo sem um eixo de valores seguros em que vivemos."

Pedro Eduardo Aqui está o perfil do autor do texto: https://www.facebook.com/adrianosoares69

Olavo de Carvalho Pedro Eduardo, por favor, agradeça a ele em meu nome.

70.

Sobre o texto de Sidney Silveira, "Autoridade e 'Autoridades'".

Olavo de Carvalho Muito bom mesmo. Obrigado.

71.

Teologicamente sou um analfabeto, moralmente nunca fui um exemplo para ninguém, e em matéria de QI conheço muitos que são mais altos que o meu. Mas faço um esforço danado para ser intelectualmente honesto, para não fugir das dificuldades e contradições, para examinar as coisas por todos os lados e não enunciar nenhuma conclusão que não seja razoavelmente defensável e, de preferência, melhor do que outras alternativas. O mais irônico da minha vida é que, quando enuncio brevemente essas conclusões, sem ter às vezes a oportunidade de expor detalhadamente o caminho que levou a elas, imediatamente aparecem pessoas que, julgando-me por si próprias, imaginam que as tirei do nada, de meras preferências pessoais ou de algum preconceito ideológico. São em geral pessoas que nunca estudaram o assunto -- e, sem a menor cerimônia, dão por pressuposto, sem nenhum motivo plausível, que o estudei ainda menos. Não têm sequer a prudência de examinar os meus escritos e aulas, para averiguar se eu disse algo mais a respeito. Como pensam por opiniões soltas, por efusões momentâneas, imaginam que meu processo mental é o mesmo delas. Haja saco.

Elton Mesquita http://attualita.vatican.va/sala-stampa/bollettino/2013/09/20/news/31708.html

Olavo de Carvalho Elton, como é que o Papa nos manda difundir a "cultura da vida" - expressão criada por João Paulo II para designar a luta cristã contra o abortismo, o gayzismo e outras manifestações da "cultura da morte" - e, quando fazemos isso, nos acusa de obsessivos? Ele realmente não tem o senso de prudência ao falar, que no chefe da Igreja é virtude obrigatória.

Aijalom Wagner Também é um erro achar que outras pessoas também não fazem o mesmo, tenho a impressão que o senhor subestima opiniões contrárias às suas. Não é preciso ler trocentos materiais seus para perceber que você tem falhas e erros como qualquer um outro. Penso que é um tempo de urgência e temos todos de manter a ordem primeiro em nossas cabeças, exigimos demais das pessoas, tanto que acabamos por sermos algo que no fundo não gostaríamos de ser.

Olavo de Carvalho Dizer que alguém tem "falha e erros como todos os outros" é uma banalidade vazia que, oferecida como afirmativa de fato com relação a um indivíduo em particular, pode ser, por sua vez, mais certa ou mais errada. No meu caso, está errada, porque você não diz quais são os "outros" aos quais me nivela. Tenho erros e falhas como Platão e Aristóteles, como Emir Sader e Marilena Chauí ou como alguém que está na parte média dessa escala? Tenho falhas e erros como Mário Ferreira ou como você? Não, NÃO tenho falha e erros COMO TODOS OS OUTROS. Tenho muito menos do que a média dos opinadores brasileiros em qualquer campo, inclusive você, como este mesmo caso demonstra. Eu jamais julgaria um filósofo com base num chavão oco, e antes de ler "trocentos" textos dele.

Aijalom Wagner Não estou debatendo, estou conversando.

Olavo de Carvalho Não se começa uma conversa julgando o interlocutor com base num chavão boboca.

Right Judge Tendo em vista o poder da militância gaysista global, não estaria o Papa apenas sendo prudente em não bater de frente com ela? Suas palavras brandas podem ser interpretadas como estratégicas para uma reaproximação cautelosa. Eu torço para que seja isso.

Olavo de Carvalho Não há prudência nenhuma em lisonjear o inimigo ao preço de escandalizar milhões de católicos.

João Alberto Azevedo SE VC ENUCIA RAPIDAMENTE, PORQUE DISCUTIR SE É ANALISADO DE MESMO MODO????

Olavo de Carvalho João Alberto Azevedo Você tem razão, mas veja a minha situação: ou discuto com quem não vale a pena, ou mando logo o sujeito tomar no cu. Nas duas alternativas há quem goste e quem não goste. Nem Jesus conseguiu agradar a todo mundo.

Agnes Castaño Mas, Olavo, não é porque você tem uma linha de raciocínio que te leva a uma direção, que suas colocações possam ser interpretadas como corretas. eu tenho uma base lógica que me leva pra outro lugar. achei que ISSO fosse filosofia...

Olavo de Carvalho Você está caindo no mesmo erro. Você pode encontrar uma "linha de raciocínio" na exposição das conclusões, mas não a compreenderá enquanto não discernir as MUITAS "linhas de raciocínio" que examinei e assimilei antes de chegar a essas conclusões. É inútil discutir com um filósofo se você só apreende nele uma "linha de raciocínio" e não o inteiro horizonte de consciência dele, na máxima medida das suas possibilidades. Se você não faz isso, está debatendo pedaços soltos que, justamente por ser soltos, não fazem sentido filosoficamente. Compreender um filósofo é compreender a unidade da sua experiência do mundo, absorvê-la como sua própria e SÓ ENTÃO discuti-la, se você consegue ter uma experiência mais ampla e abrangente que a dele.

Antonio Carlos Iranlei Trecho do Livro Sobre o Céu e a Terra:

"Sobre os ateus

Bergoglio: (...) Não encaro a relação para fazer proselitismo com um ateu, eu o respeito e me mostro como eu sou. (...) Na medida que haja conhecimento, aparecem o apreço, o afeto, a amizade. Não tenho nenhum tipo de reticência, não diria que sua vida está condenada porque tenho certeza de que não tenho direito de julgar a honestidade dessa pessoa. Muito menos quando me mostra virtudes humanas, essas que engrandecem e me fazem bem. (...) todo homem é imagem de de Deus, seja crente ou não. Por essa única razão, ele conta com uma série de virtudes, qualidades, grandezas. E caso tenha baixezas, como eu também as tenho, podemos compartilhá-las para nos ajudar mutuamente e superá-las."

Isso para mim é bastante! Será para ti também, professor Olavo de Carvalho?

Olavo de Carvalho Olhe aí o homem cometendo grossa imprudência outra vez. Ele se gaba de não fazer proselitismo entre os ateus, quando Jesus ordenou fazer precisamente isso.

Rafael Musselli Por isso a mídia é podre e distorcida, o que o PAPA disse é que se deve observar e ter misericórdia, não concordar com o ato dos mesmos, não que a Igreja seja a favor do aborto, do homossexualismo ou do divórcio, e não vai mudar sua posição sobre tais assuntos, porém ela deve abrir as portas e buscar ter piedade e misericórdia com as pessoas que cometeram ou cometem tais erros e ajudar os mesmos para que não cometam mais estes deslizes e se arrependam: é essa a mensagem, não diz nada aí da Igreja concordar com nada ou mudar seu conceito sobre esses assuntos.

Olavo de Carvalho Por favor, leia o texto e não a interpretação que você mesmo criou. O Papa disse explicitamente que combater abortismo e homossexualismo é "obsessão".

72.

Posso dar gentil atenção até a opiniões bobocas. O que não posso admitir é o sujeito brandir na minha frente uma opinião boboca acreditando que está me ensinando alguma coisa ou me trazendo a revelação das revelações, sem nem de longe suspeitar que posso já tê-la examinado e abandonado há tempos, que ela pode ser apenas uma etapa já superada de um itinerário cognitivo que percorreu mais territórios do que ele sequer imaginou que existissem. Pois essa é a PRIMEIRA precaução ao ler um filósofo: nunca imagine que o que ele não diz na página 2 não está na página 495, ou 1.204, ou talvez em outro volume, ou pelo menos subentendido em algum lugar. Ser um filósofo É examinar as coisas por muitos ângulos. Mostrar a um filósofo algum ângulo que lhe seja totalmente desconhecido é coisa para outro filósofo, não para o recém-chegado.

Gabriel Fernando Eu discordo em gênero, número e grau de toda interpretação que o sr. fez da entrevista do Papa Francisco. O senhor mesmo disse: "Por princípio, não cumpro leis que me proíbam de criticar ou elogiar o que quer que seja. Nem as que me ordenem fazê-lo. Não creio que haja, entre os céus e a terra, nada que mereça imunidade a priori contra a possibilidade de críticas. Nem reis, nem papas, nem santos, nem sábios, nem profetas reivindicaram jamais um privilégio tão alto. Nem os faraós, nem Júlio César, nem Átila, o huno, nem Gengis Khan ambicionaram tão excelsa prerrogativa. O próprio Deus, quando Jó lhe atirou as recriminações mais medonhas, não tapou a boca do profeta. Ouviu tudo pacientemente e depois respondeu. As únicas criaturas que tentaram vetar de antemão toda crítica possível foram Adolf Hitler, Josef Stálin, Mao-Tse-Tung e Pol-Pot. Só o que conseguiram com isso foi descer abaixo da animalidade, igualar-se a vampiros e demônios, tornar-se alvos da repulsa universal."

Gabriel Fernando Reiterando: A Igreja católica NUNCA perderá a fé, ela foi fundada por Cristo Jesus e o Santo Padre é o doce Cristo na terra, como dizia santa Catarina de Sena.

Olavo de Carvalho Primeiro: Você confunde discordância e crítica. Segundo: qual é propriamente a sua divergência na interpretação do texto? De qual parte você diverge? Divirja, por exemplo, desta: João VIII:24 "Se não crerdes que Eu sou, morrereis em vossos pecados." Quando o Papa diz que é possível ir ao céu sem crer em Jesus, ele está desmentindo o próprio Jesus ou está apenas usando uma retórica provocativa, limítrofe ao escândalo, para expressar a banalidade de que o descrente de hoje pode tornar-se crente amanhã? Se não se pode assegurar que a primeira interpretação é a unica verdadeira, quem pode jurar que, ao usar dessa linguagem, ele está falando na clave do "Sim, Sim, Não, Não" que Cristo considerava obrigatória?

Pedro Santos Tavares Olavo, o que você acha disto, essa mensagem foi transmitida em 11 de fevereiro de 2012, exatamente um ano antes de Bento XVI anunciar a sua renúncia: http://www.thewarningsecondcoming.com/my-poor-holy-vicar-pope-benedict-xvi-will-be-ousted-from-the-holy-see-in-rome/

Olavo de Carvalho Nossa Senhora tem enviado mensagens umas atrás das outras, todas concordantes. Nem todas foram ainda aprovadas pela Igreja, mas todas devem ser ouvidas com atenção e reverência.

73.

Eu não daria um curso de filosofia se não estivesse empenhado em ensinar meus alunos a concordar e divergir COMO FILÓSOFOS, não como autores de opiniões soltas que aplaudem ou combatem outras opiniões soltas. Como ensinava Dirty Harry, opinião é como bunda: todo mundo tem. O que falta no Brasil não são opiniões, aliás nem bundas. São discussões à altura das exigências filosóficas, o que requer o domínio do método filosófico.

Olavo de Carvalho Dediquei pelo menos oito anos da minha vida ao estudo do marxismo e dez ao da escola tradicionalista. Se você é capaz de abranger um leque de contradições tão vasto, com tudo o que medeia entre uma coisa e a outra, então pode abranger e até transcender o meu horizonte de consciência, portanto me ensinar muita coisa. Até lá, por favor, limite-se a fazer perguntas e não me encha o saco.

Olavo de Carvalho Na escola pitagórica, o estudante passava cinco anos ouvindo quieto, depois tinha cinco anos para fazer perguntas, e por fim podia participar das discussões. É inviável adotar essa disciplina hoje, mas que ela é certa, ah, isso é.

74.

A diferença entre uma discussão filosófica e um mero confronto de opiniões não é a diferença entre dois países ou duas culturas: é a diferença entre dois planetas. Ou, como diria Montaigne, a diferença entre um homem e um ganso.

75.

Há quem seja ingênuo o bastante para imaginar que tudo aí é uma questão de "argumentos". Argumentos são só a casca da discussão filosófica. O fundo é a superposição comparativa e absorção mútua entre dois - ou mais - horizontes de consciência.

*****

Pós-escrito:

76.

Graças a Deus o Papa agora se explicou direito, reconhecendo implicitamante a impropriedade das expressões que usara na sua entrevista aos jesuítas, e que tanta angústia desnecessária haviam espalhado entre os católicos. A presteza com que ele veio desfazer os equívocos só pode nos trazer alívio e esperança, além de uma lição inesquecível: nenhum Papa tem o dom da infalibilidade literária.

*****

Nota do Org.: Isto são apenas notas no Facebook, ok? Para artigos completos e educativos sobre o assunto, ver especialmente a seção 'Perseguição x silêncio' do capítulo 'Religião' do best seller de Olavo de Carvalho, organizado por mim, Felipe Moura Brasil, 'O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota'. Mais notas do professor sobre outros temas, em breve aqui no Blog do Pim.

O mínimo sobre o mensalão - Olavo de Carvalho falou, Olavo de Carvalho avisou...

[Transcrição publicada originalmente no Facebook - no perfil de Felipe Moura Brasil e na página do best seller 'O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota' - logo após o voto de desempate do ministro Celso de Mello no STF, gerando grande repercussão, com mais de 700 compartilhamentos no total.]


Comentário completo de Olavo de Carvalho em 10 de outubro de 2012, transcrito e ajustado por Felipe Moura Brasil:



"Antes de tudo o mais, tem uma coisa que eu quero dizer pra vocês: eu não estou compartilhando desse entusiasmo nacional pela punição dos mensaleiros. Eu não acho que isso foi uma grande vitória da democracia, eu não acho que isso foi um marco histórico, eu acho que isto é mais uma ilusão de uma classe média IDIOTA, que acha que pode combater esse esquema petista simplesmente aplicando a lei, ou seja: sem nenhuma tomada de posição ideológica, sem nenhuma análise estratégica, nem nada. Que acha que pode mover um combate contra uma força política tremenda usando apenas acusações criminais de corrupção contra os indivíduos. E por que é que eu acho isso?

Em primeiro lugar: nada do que foi feito no Mensalão, absolutamente nada, foi feito apenas para proveito individual do sr. Fulano ou do sr. Beltrano. Tudo isso está perfeitamente integrado dentro da estratégia do partido e eles entraram nisso com muito 'boa' consciência porque afinal de contas estão jogando para o partido e não para 'nós' [eles] mesmos. Isso é tradicional nesses movimentos esquerdistas.

Vocês devem ter assistido àquele filme sobre o Jimmy Hoffa [nos EUA, 'Hoffa'; no Brasil, 'Hoffa - Um homem, uma lenda'], com o Jack Nicholson, em que o sujeito roubou, roubou, roubou, mas ele estava sempre com a consciência tranquila, porque 'Não, eu não roubei pra mim, roubei para os sindicatos... Claro que eu levei lá a minha comissão, mas o objetivo fundamental era fortalecer o movimento revolucionário'. Então, sem investigar direitinho qual é a função estratégica do mensalão dentro do projeto petista total, você não vai entender é coisa nenhuma.

E, ademais, o que vai acontecer com esses mensaleiros condenados? No máximo vão pegar uma prisão domiciliar por um tempinho, vão continuar com as suas atividades normais e nada de pior vai lhes acontecer. Quanto ao sr. Lula, parece que não vai ser tocado. Nem o Lula, quanto mais o partido, meu Deus do Céu! Quer dizer: o que está acontecendo no Brasil, há anos, é uma guerra assimétrica, onde um lado pode roubar, trapacear, mentir, difamar, fazer o que quiser, e o outro não pode sequer tomar uma posição ideológica: 'Nós vamos aqui apenas nos ater ao aspecto jurídico criminal...' Ou seja: é claro que isso é guerra assimétrica. Um lado tem que lutar com uma mão amarrada.

E, ademais, celebrar a condenação de corruptos - vocês já viram quantas vezes vocês já fizeram isso?

Quando o Maluf foi condenado, foi uma festa nacional: 'Acabou a corrupção no Brasil! Agora é um novo Brasil!'... Tudo no Brasil é um marco histórico. O sujeito dá um peido: é um acontecimento histórico! [Risos] Depois, na queda do Collor, que roubou infinitamente menos que essa gente, foi uma festa maior ainda: 'É a festa democracia! É o novo Brasil!' etc. Vocês vão cair nessa de novo, gente? Puta merda...

Quer dizer que o problema do Brasil não é a corrupção. O problema é que a corrupção foi tanta que o padrão de julgamento moral já baixou. Então é aquele negócio que fala o Reinaldo Azevedo: 'Não, eu podia estar roubando, eu podia estar matando, mas estou aqui trabalhando, portanto sou um santo.' Já estão pensando até em lançar o Joaquim Barbosa presidente da República.

Vocês não lembram da campanha do Betinho? O Betinho foi um estrategista de esquerda, marxista, que descobriu que a caridade pode dar lucros políticos. Tradicionalmente a esquerda era contra as obras de caridade, porque dizia que isso amortecia a consciência social do proletariado, aplacava a revolta dos pobres e tal. E um dia chegou um cara, que tinha um QI 12,6 - contrastando com a média de 12,4 -, que era o Betinho, e disse: 'Não... Oh, raios, nós estamos perdendo oportunidade! Porque ficam essas senhoras do movimento de arregimentação feminina, federação das indústrias, esse pessoal todo fazendo caridade e se promovendo com a caridade, e nós ficamos parecendo os malvados da história. Então vamos nós monopolizar a caridade.' E foi isso que fez. E isto foi a origem do Fome Zero [hoje Bolsa Família], gente! Já esqueceram tudo?

E ele dizia claramente em entrevista: 'Não, isso aí não adianta nada. Só o que vai resolver é a socialização dos meios de produção.' Quer dizer: o cara era comunista, ortodoxo mesmo. E sabia que a caridade não ia resolver nada na perspectiva dele e que, portanto, aquilo era só para melhorar a imagem das esquerdas e criar eleitorado. Ele praticamente confessava isso.

Não obstante, o Betinho constou durante anos como o protótipo da bondade. Chegaram a propor a beatificação do Betinho! A revista Veja soltou a capa 'Um santo brasileiro'. Quer dizer que, para ser santo, é só você inventar um truque para melhorar a imagem do seu partido - pronto: você já virou santo. Agora, o Joaquim Barbosa mostrou alguma competência - mínima, hein - como juiz, quer dizer, cumpriu a sua obrigação, fez o que qualquer juiz deveria ter feito no lugar dele, pronto: ele já 'virou' presidente da República, porra.

Vocês já ouviram falar do Princípio de Peter? Laurence J. Peter, que escreveu o livro 'Todo Mundo é Incompetente, Inclusive Você'. Leiam esse livro. Ele diz o seguinte: numa empresa ou num órgão estatal, o sujeito faz o serviço dele direitinho e daí ele é promovido. Faz de novo o serviço direitinho, é promovido. Aí, promovido pela terceira vez, ele começa a fazer burrada, daí para e não sobe mais. Isso quer dizer que todos os caras que estão no primeiro escalão de qualquer coisa são todos incompetentes por definição.

[Nota do Felipe: O Princípio de Peter foi assim enunciado por Lawrence J. Peter: "Num sistema hierárquico, todo funcionário tende a ser promovido até ao seu nível de incompetência."]

Então essa mania de que 'O cara deu certo aqui. Promove!', isso nem sempre funciona. Não teve gente, uns idiotas que vieram [e propuseram]: 'Olavo de Carvalho para presidente!'? Eu digo: eu seria um primor de incompetência! Puta que pariu! Não é porque eu sou capaz de fazer isto aqui que eu estou fazendo que eu sou capaz de fazer uma outra coisa. Joaquim Barbosa, a mesma coisa: não é porque ele é um bom juiz que vai ser um bom presidente da República. O presidente da República precisa de algo mais do que conhecer e respeitar as leis. O homem não administrou nem um clube de futebol, já querem botá-lo na presidência da República.

Então isso aí mostra o barateamento das virtudes morais. E isso já é a corrupção da alma, a corrupção profunda da psique brasileira. Quer dizer: a sociedade está tão corrompida que o simples fato de o sujeito fazer o mínimo já é, para eles, o máximo. Então quer dizer: as grandes virtudes humanas, as virtudes superiores, [os brasileiros] não são mais capazes de imaginar!

Então o que são os heróis de um país que mede as coisas nessa escala? Quer dizer: se aparecer um santo de verdade, vocês não são capazes de reconhecer. Um herói de verdade, não são capazes de reconhecer. Um sábio de verdade, não são capazes de reconhecer. O pessoal mede [por esses padrões muito baixos]... O que é um gênio no Brasil? Gênio [no Brasil] é Chico Buarque de Hollanda, porra! Se você mostra uma coisa que é superior, como por exemplo eu mostrei o Mário Ferreira dos Santos, as pessoas não sabem o que é que é, então não falam. Mas o Chico Buarque, eles são capazes de perceber alguma coisa. Então o sujeito fez uns sambinhas, pronto: é gênio! E [as pessoas no Brasil] não entendem que esta descida do padrão de julgamento moral é o que facilita toda a operação dessa gente, tipo mensalão. Então não se incomodem, meus filhos: vocês prendem esses, vai vir coisa pior.

Sobretudo aguardem... O pessoal que é da esquerda mesmo e que está fazendo discursos inflamados contra os mensaleiros, eles fazem discursos inflamados por quê? 'Essa geração da esquerda acabou, eles se ferraram, agora é nossa vez.' Exatamente como o PT fez nas décadas de 1980 e 1990, porque o PT fez carreira na base da acusação de corrupção. Foi o PT que acabou com a carreira do Maluf, que acabou com a carreira do Antônio Carlos Magalhães, que acabou com a carreira do Collor de Mello, que acabou com a carreira de todos os seus inimigos posando como 'o partido ético'! Chamava-se na época, o pessoal dizia: 'o partido ético', meu Deus do Céu!

Por quê? Porque isso também foi algum espertalhão lá dentro que falou: 'Não, peraí, nós vamos refrear um pouco o discurso ideológico e vamos agora usar o discurso do inimigo.' Porque a direita antigamente fazia carreira na luta contra a corrupção. Se vocês estudarem, vocês vão ver que lutar contra a corrupção era a bandeira da antiga UDN, que o Jânio Quadros(!) subiu nesta base de acusar os outros de corruptos, e o adversário principal dele era corrupto mesmo, era o Adhemar de Barros, então ele subiu nesta base, para depois chegar lá em cima e fazer o que fez. Do mesmo modo, o Fernando Collor de Mello: vocês não se lembram que ele era o caçador de marajás?

Então quem quer no Brasil que faça carreira na base do combate à corrupção é picareta. E vai enganar vocês de novo, porra.

Quer dizer: não que seja ruim que os caras sejam condenados, e não que os juízes não tenham feito o serviço deles direito. Fizeram, mas fizeram o mínimo. Agora, levantar o verdadeiro problema e dizer 'Peraí. Isto não é um crime praticado por tais ou quais indivíduos. Isto é um crime praticado por uma entidade chamada Partido dos Trabalhadores, que, dentro da sua estratégia geral, usou deste recurso do mensalão, como utiliza a aliança com as Farc, que é hoje, segundo documentos oficiais do governo americano, a maior distribuidora de drogas do universo!' Isto ninguém quer investigar. Perto disso, o que é que é o mensalão? O mensalão não é nada, minha gente. E ainda vem mais. Quando sair esse negócio do Carlinhos Cachoeira, esse é que vai ser legal. Porque isso aí vai sobrar pra Dona Dilma também. Então você vai ver que ainda vai [piorar]...

Olha: as latrinas no Brasil são que nem aquelas bonecas russas, matryoshka: você abre uma latrina, tem outra latrina dentro, outra latrina dentro, outra latrina... [Risos.] Só que é o contrário da matryoshka, porque na matryoshka as bonecas vão ficando pequenininhas, no Brasil acontece esse negócio: você abre uma latrina, aparece outra maior dentro! E outra, e outra, e outra, e outra! É a merda sem fim. Por quê? Não é pegando casos isolados de corrupção que vocês vão acabar com isso, gente.

Vocês têm que entender: há um problema estrutural permanente, que é o seguinte: vocês já notaram que, quanto mais cresce a hegemonia cultural esquerdista, mais cresce a corrupção, mais cresce a violência, mais cresce a imoralidade geral? Isso está acontecendo faz 30 anos e vocês não chegaram ainda à conclusão, porra!? Estudem um pouco, e vocês vão ver o seguinte: que é uma tradição dos partidos revolucionários de esquerda utilizar-se do direito burguês como instrumento para chegar ao poder, para em seguida não só destruir esse direito burguês, mas destruir todo e qualquer direito. Porque a ideia mesma de direito é incompatível com o marxismo. O direito, no entender do marxismo, é a vontade da elite revolucionária, que encarna o espírito da história. Então é a abolição de todo e qualquer direito e sua substituição pelo 'poder onipresente e invisível' do partido, como dizia Antonio Gramsci. É isso que eles estão fazendo, minha gente. Mas vocês não conseguem ver relação nenhuma?

Então aqui tem uma professora que escandalizou um aluno de dez anos com um dicionário sobre posições sexuais. Então todo mundo diz: 'Oh! Que coisa!' Mas você não vê nenhuma relação entre isso e o mensalão não? Você não percebe que é a mesma coisa? Que é corromper a sociedade como um todo, em todos os seus níveis? E que este tem sido o projeto da esquerda há 30 anos? Que trinta! Quarenta! Leiam Herbert Marcuse. Leia o material da Escola de Frankfurt e vocês vão entender tudo aquilo que está acontecendo.

Agora, o fato é o seguinte: é que vocês estão sofrendo os efeitos de uma macroestratégia de alcance continental e querem tratar disso como se fosse um problema assim: 'Ah, ele cometeu um crimezinho aqui, o outro cometeu um crimezinho ali' e, quando pega uns criminozinhos e condena, todo mundo canta vitória e diz 'É a vitória da democracia!' e bate no peito... Vocês não bateram no peito quando caiu o Collor, porra!? Hein? Vocês não lembram os caras-pintadas na rua, 'tudo' cantando o hino nacional? Vocês vão cair nisso de novo!?

Olha aqui: luta ideológica é luta ideológica. Esse pessoal da esquerda, o objetivo deles é chegar a implantar o socialismo no continente. E uma vez que implantou o socialismo, ele não cai mais, meu filho. Porque mesmo que ele caia, continua no poder a mesma elite, como aconteceu na Rússia e na China. Então isso aí é o poder eterno, é o que esses caras querem, porra. E eles estão fazendo tudo para isto.

Cada vez que eles usam o discurso moralista burguês, o pessoal burguês todo se comove. Diz: 'Oh! Ele é de esquerda, mas é honesto! Ele é de esquerda, mas não rouba!' Meu Deus do Céu! Esquerdista honesto é quadrado redondo, porra. O processo revolucionário esquerdista, ele é desonesto na base. A noção mesma de honestidade é objeto de chacota entre os marxistas. É que vocês não estudam.

Se vocês querem saber se um sujeito é comunista, vocês querem saber assim: "Ah, mas pra ele ser comunista, ele tem que ser sincero.' Ah, então ele é sincero ou aproveitador? Eu falo: essa distinção só existe na sua cabeça, ô burguês. Para o marxista, isto não faz diferença. A própria noção de sinceridade... Imagina se a sinceridade da crença de um militante tem a mais mínima importância dentro de uma organização revolucionária comunista? Os seus sentimentos subjetivos não importam, meu filho! Importam as suas conexões reais, os seus compromissos materiais efetivos já assumidos, importam o quanto de poder 'nós' temos sobre você. Se você, por dentro da sua cabeça, está complemente contra, não importa, porra.

Então quer dizer: é uma noção religiosa de sinceridade, da fé - eu sempre pego a categoria cristã da fé - que [vocês] aplicam no comunismo. No cristianismo, é importante ter a fé sincera. Mas, se quer saber, esse conceito de fé não existe nem nas outras religiões! No Islam, não importa se o cara é hipócrita. Você não precisa ter fé nenhuma. É só fazer a declaração pública. Isso é oficial, porra. Eu conheço a teologia islâmica, porra. Escrevi um livro, ganhei um prêmio do governo da Arábia Saudita, eu entendo alguma coisa desse negócio, porra. Então a sinceridade não tem importância no Islam. Porque o Islam não é um objeto de fé como o cristinianismo, fé individual. Não. O islam é uma comunidade. Então, qual é o equivalente da fé no budismo e no hinduísmo? Acontece que essa noção de fé, ela, além de ser religiosa, só se aplica a UMA religião, que é o cristianismo. E você, trouxa, pega tudo que existe, não só as outras religiões como até ideologias políticas, e quer aplicar esse conceito lá. Então você pergunta: 'Mas esse cara é comunista mesmo ou ele é aproveitador?' Eu digo: quanto mais comunista, mais aproveitador. E quanto mais sincero, mais mentiroso. Essa categoria não se aplica nesses casos. Mas não adianta explicar.

Eu não sei quem foi que disse: 'Nós não acreditamos na mentira, porque fomos enganados. Nós acreditamos porque queremos.'

Então não vem para cima de mim com esta nova festa cívica. Eu já estou com 65 anos de idade, eu já vi tanta festa cívica, eu já vi tantos momentos históricos que no dia seguinte ninguém lembra mais... Por exemplo, se você falar: campanha do Betinho, quem é que se lembra hoje? Quem de 20, 25 anos sabe o que é campanha do Betinho? Nem sabe. Passou! Foi mais um peido histórico.

Peido uma hora faz barulho, mas passa com o vento. [Risos] Então isso daí foi mais um peido histórico. Pode se transformar em alguma coisa se aprofundarem as investigações e procurarem o aspecto estrutural. Mais ainda. Tem outra coisa: como esses deputados todos foram comprados para votar determinadas leis e medidas oficiais, essas medidas oficiais não valem. Tem que ser tudo revogado. Isto quer dizer que, no mínimo, no mínimo, do crime de responsabilidade o presidente [Lula] não pode escapar. E a atual [Dilma], também não! A respeito da atual, esperem as investigações sobre o PAC, sobre o Carlinhos Cachoeira, que vocês vão ver que vai sobrar para ela também. Mas vai sobrar só nominalmente. Outra coisa: o Zé Dirceu pode dizer 'Não, eu sou réu primário, então não vou para a cadeia'. Réu primário, porque todos os crimes anteriores dele foram anistiados. Quer dizer: o sujeito faz o crime, todo mundo da esquerda faz o crime, e a direita apaga. Faz o crime, e a direita apaga. Estão fazendo a mesma coisa na Colômbia."

******

Nota de rodapé: Isto foi apenas um programa de rádio, ok? Para uma análise completa do assunto em textos escritos, veja o capítulo 'Petismo', especialmente a seção 'Tradição & estratégia', do best seller de Olavo de Carvalho, organizado por Felipe Moura Brasil, 'O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota'.